Participam pessoas atendidas pela Associação Fala Mulher, Passarela Alternativa e Instituto Velho Amigo

 

O departamento FAAP Responsabilidade Social, em parceria com o curso de Moda da instituição, realizou no mês de junho dois encontros sobre costura e customização para as mulheres atendidas pelas ONGs Associação Fala Mulher, Passarela Alternativa e Instituto Velho Amigo.

A iniciativa é parte das ações desenvolvidas pelas áreas e teve início em 2020, com a Associação Fala Mulher. O objetivo é capacitar mulheres atendidas pelas ONGS em atividades de costura e contribuir na geração de renda dessas participantes.

Professora Fernanda Binotti em aula online sobre customização e aproveitamento de tecidos

Ministradas pela professora de Moda, Fernanda Binotti, que é especialista em modelagem, as aulas ocorreram no formato online, devido à pandemia de Covid-19. Ao todo, participaram 35 mulheres, que tiveram informações básicas sobre costura, além de atividades práticas de customização e reaproveitamento de roupas.

De acordo com Bianca Rossetti, do FAAP Responsabilidade Social, a ideia inicial era que as aulas ocorressem presencialmente, nas oficinas da faculdade e com apoio dos alunos e professores, mas isso não foi possível devido às medidas de segurança.

“Mas vamos promover esses encontros assim que for seguro e permitido. Conseguiremos, por meio da moda, trazer mais liberdade econômica, de expressão e criação para essas mulheres, que já são tão potentes”, diz.

Parceria antiga

A parceria do FAAP Responsabilidade Social com a Associação Fala Mulher, que atua no combate à violência doméstica contra a mulher, teve início em 2015, com ações de cunho social que contribuíssem com as atividades já praticadas pela ONG e que contassem com a participação dos alunos de graduação da FAAP. Nesses anos, já foram desenvolvidos workshops na área de artes, artesanato e empreendedorismo, além de visitas ao MAB FAAP, exposição de telas de patchwork feitas pelas participantes, entre outras atividades.

O Instituto Velho Amigo, que trabalha pela inclusão de idosos em vulnerabilidade social, e a Passarela Alternativa, que atua com as práticas da justiça restaurativa por meio da moda, foram convidadas posteriormente, a fim de ampliar a participação e multiplicar o conhecimento.