(Foto Divulgação: FAAP)

O uso de dados e a previsibilidade da demanda para o mercado de moda. Estes foram alguns dos destaques da fala de Anay Zaffalon, Head of Products da AMARO, em evento na FAAP que teve a participação de Marília Carvalhinha, coordenadora da pós-graduação em Negócios e Varejo de Moda da instituição, e do professor convidado de Marketing Digital, Marcelo Teixeira.

Apesar de ter ocorrido antes da pandemia global do coronavírus, o talk sobre “Fashion Innovation & Smart Use of Data – como usar dados na moda” apresentou informações que podem servir de apoio para ações de empresas de outras áreas em um período como o que passamos.

Em sua apresentação, Anay falou da importância de enxergar adiante. Um dos recursos que utiliza é uma ferramenta, desenvolvida dentro da empresa, para a previsão de demanda. A ferramenta que usa algoritmos identifica diversas preferências de seus clientes e propõe quantidade mais assertivas a serem produzidas.

Para quem conhece com profundidade a cadeia de valor têxtil-vestuário, sabe que gerenciar bem os estoques pode ser a diferença para ter um negócio rentável.  Dessa forma, combinar inteligência na tecnologia da informação e utilizar estoques centralizados é possível buscar uma vantagem competitiva que vai além das questões tradicionais amplamente discutidas no mercado de moda, ou mesmo fazer uma análise diante de mercado incerto.

“Foi uma palestra muito interessante e, olhando para o cenário atual, vemos que os negócios na área da moda estão tão alinhados quanto o mercado geral, ou mesmo ofertando novas maneiras de atuação como a Amaro, por exemplo”, destaca Marília.

De acordo com a coordenadora do curso na FAAP, o uso da tecnologia pode contribuir muito para se manter o negócio, em especial para lidar com a complexidade tradicional deste mercado. Além disso, ressalta que a redução do tempo entre a criação de um produto e a disponibilização no ponto de venda é um fator fundamental para que este modelo funcione bem.

Hoje, as lojas conceito estão fechadas por conta do Covid-19, mas  com seus outros canais de distribuição – site e aplicativos nativos (de Android e iOS) – a Amaro permanece na ativa e consegue prever demanda de produção, manter os estoques em níveis saudáveis e, principalmente, entregar o produto exato na hora certa, para quem está em casa.

(Foto Divulgação: FAAP)