O World University Student Fashion Design Competition foi realizado em Qingdao, na China

Formada em Moda pela FAAP, a jovem criadora Ana Luisa Fernandes venceu recentemente o concurso World University Student Fashion Design Competition Qingdao 2018, realizado na China.

Ana Luisa representou a FAAP no concurso, acompanhada pelas professoras Camila Rossi, atual coordenadora do curso de Moda, e Marcia Cerqueira de Aguiar, e também pela estilista Gabriela Prado. A FAAP foi a única instituição de ensino brasileira a enviar uma comitiva ao evento, que contou ainda com a participação de 15 escolas estrangeiras e mais 10 locais.

Ana Luisa foi premiada em concurso chinês por sua coleção “Tela”

Ana Luisa ganhou com o projeto “Tela”, uma coleção artística que incorpora o processo criativo como forma de terapia. Os looks foram criados ainda durante a graduação na FAAP, como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

As roupas são inspiradas no trabalho e na força de Nise da Silveira, médica, psiquiatra e primeira mulher a trazer a arteterapia para o Brasil. De acordo com a estilista, os looks descrevem o caminho do inconsciente sendo liberado, como na terapia, pela arte. “É a cura através da expressão artística”, diz.

A coleção foi inspirada no trabalho da médica Nise da Silveira, que trouxe a arteterapia para o Brasil

Pensando no menor dano ao meio ambiente, todos os tecidos utilizados por Ana Luisa permaneceram em suas cores originais e são reciclados ou biodegradáveis. Os saltos dos sapatos foram feitos de madeira, também em cores naturais, e os resíduos foram encaminhados para reciclagem, gerando uma produção circular com mínimo de sobra.

“Ter uma estilista formada pela FAAP entre as vencedoras nos enche de orgulho, principalmente porque a Ana Luisa ficou à frente de participantes de escolas renomadas e internacionalmente conhecidas, como a London College of Fashion e Politécnicno de Milão”, reconhece a professora Camila Rossi, coordenadora do curso de Moda da FAAP.

Ana Luisa formou-se em 2017 e possui uma marca própria, a ALUF, que na última terça-feira (23/10) estreou na SPFW, dentro do projeto Estufa, que revela novos talentos da moda brasileira.

 

Autoestima como ferramenta para o emponderamento

Gabriela Prado, que também concorreu, apresentou a coleção “Mojubá”, que é uma saudação usada na Umbanda, em homenagem à pombagira. O objetivo do trabalho foi celebrar a pombagira e as mulheres, além de estabelecer um paralelo entre elas.  Para isso, a coleção tenta capturar a essência da entidade feminina. O vermelho dos looks remete à cor favorita da pombagira, além de ser a cor principal da paleta. Os tecidos são leves com um pouco de transparência para revelar a sensualidade. Há ainda babados, que são uma desconstrução dos vestidos usados nos rituais.

Gabriela apresentou a coleção “Mojubá”, inspirada na pombagira

Gabriela diz que tem a ambição de transmitir nas roupas o ritmo, o calor, a cor e a sensualidade que as pombagiras exalam. “Pombagiras mostram que as mulheres não são sexo frágil e apenas objetos do desejo masculino. Mostra ainda que a autoestima é uma ferramenta para o empoderamento e que uma saia e um batom vermelhos podem ser símbolos de poder”, destaca.

A competição ocorreu no Qingdao International Conference Center, onde todos os looks  –  apresentados em uma exposição – puderam ser apreciados por representantes da indústria de moda chinesa, que faziam parte do corpo de jurados.  Houve ainda um desfile das peças no Zhanqiao Pier, um dos cartões postais da cidade de Qingdao.

Paralelamente ao concurso, foi organizada uma programação especial para os  professores, com mesa de debates sobre cooperação e desenvolvimento, desfile de trajes tradicionais chineses, fórum sobre a indústria de moda internacional e visita a uma indústria local, a Cotte do Redcollar Group, que emprega tecnologia na produção em grande escala de alfaiataria sob medida.

“Foi um período de muito aprendizado e troca de experiência sobre o ensino e sobre como as escolas e seus alunos estão refletindo e criando moda”, finaliza a professora.

O evento foi organizado pelo Beijing Institute of Fashion Technology, em conjunto com o governo do município de Quingdao e a China Fashion Association.