pixabay

+ Só pode ser um chato aquele que, quando o padre quer saber se há alguém ali contrário ao casamento, levanta a mão e com voz de tenor pergunta: que horas são?

+ Não existe a figura do meio-chato. O chato é sempre uno e indivisível.

+ Um chato tem sempre algo mais a dizer, mesmo que não seja nada.

+ Quando um chato morre, não é só ele que descansa.

+ Quam anda com um chato não são seus amigos; são suas vítimas.

+ Pode haver dez, vinte ou cinquenta pessoas na sala. Quando o chato chega, sabemos que é no nosso ombro que sua mão suada vai pousar.

+ O único lugar em que temos a satisfação de ver um chato é na lista de desaparecidos.

+ Não é preciso pesquisar. No primeiro spoiler de que se tem notícia estão certamente as impressões digitais de um chato.

+ Um tipo interessante é o chato modesto. Você pode lhe dizer mil vezes que ele é insuportável, que ele nunca acredita.

+ Quando um chato morre, convém esperar pelo menos quinze minutos para começar a comemorar. Vai que…

+ Citar frases em latim não faz, por si só, a fama de um chato, mas ajuda a construí-la.

+ Um chato sempre pergunta pela saúde de nossa mãe, mesmo que ela tenha morrido há dez anos.

+ Não adianta mandar um chato à santa madre que o produziu. Ele acaba voltando.

+ Chato é aquele que aponta uma vírgula errada numa frase nossa de cinco linhas. Gramático é aquele que aponta pelo menos três.

+ O chato é o único que se lembra das coisas que nós queremos esquecer.

+ Por que um chato sempre nos faz pensar na lei do talião?

+ Se você diz a um chato que vá verificar se você está na esquina, ele faz o quê? Pede que você vá junto.

+ Se um chato nos diz até logo, convém levar a ameaça a sério.

+ O que se pode esperar de um chato é sempre aquilo: o pior.