pixabay

Se os leitores não vêm, o poeta, se tiver coragem e não tiver vergonha, vai até onde eles estiverem, seja onde for.

+++

RUMO

O amor não tem rumo certo,

O amor trilha trilhas curvas

E afoga-se em águas turvas.

O amor nunca será perto.

 

ANA C.

Serias Ana só, se

um anjo torto não viesse,

Aninha, e não te dissesse

vai Ana, ser Ana C.

 

CONCEITO

Um só

nunca fica a sós.

Sempre é preciso dois –

nós.

 

ROLETA

Não somos nada, não temos

Nada. Em nós quem apostar

Há de se decepcionar.

Não, nós jamais venceremos.

 

PECINHA

Estamos rindo de quê?

Você escarnece de mim,

Eu retribuo a você,

E o amor ri de nós, no fim.

 

PARIS É UMA FESTA

Na noite de inverno, Alice,

Olhando Gertrude, disse:

Por que desde ontem, pipocas,

Tu não me beijas nem toklas?

 

OXALÁ

Chegará o tempo

não mais de se abster –

o tempo em que o pecado

será não colher.

 

COLE PORTER

És preciosa. Se estou tenso,

Só tu podes acalmar-me,

Porque só tu, amor, tens o

Poder de hipnotizar-me.

 

TEXTO E PRETEXTO

Não, tu não és um pretexto

Que eu use para a poesia.

Tu és o que diz o texto

E o que sem ti não diria.

 

CARIMBO

Já não podemos dispor

Das virtudes ou defeitos.

Desgraçadamente o amor

Já produziu seus efeitos.

 

COTAÇÃO

Não melhoraremos

nem com a morte

nem mesmo após

 

Até nós

já desistimos de nós.

 

O QUÊ

Se nós excluirmos o amor,

Que coisa mais há de ser

Capaz de nos convencer

De que a vida tem valor?

 

MÉRITO

Seja do jeito que for,

Se de mim um cisco só

For poupado pelo pó,

Que seja o cisco do amor.

 

DE VIVER E MORRER

Enquanto eu me mato assim

achando que escrever

é viver

dostoiévski e shakespeare

que já tiveram

o bom-senso

de morrer

morrem outra vez

de tanto rirem de mim.