pixabay

Que hoje a poesia seja dispensada de rimar amor com dor e mostre que às vezes sabe – como não? – até dar um sorrisinho.

+++

ERMITÃO

Até no face

a única amizade que eu tinha

desfez-se.

 

APARÊNCIA

Por fora um portento

por dentro

nenhum talento.

 

REFLEXIVO

Para a gramática aprovar-me

devo ensimesmar-me

ou em mim mesmar-me?

 

VOCAÇÃO

Já aos dez anos

minha mediocridade

dava sinais de precocidade.

 

AMANHÃ

Quem falta dos meus braços sentirá

além do meu gato

e do meu sofá?

 

INOCUIDADE

À inquietação da carne

o amor não traz cura ou sossego –

é só placebo.

 

… SE LHES PARECE

Como os poetas hodiernos

os de mil oitocentos e nada

também se diziam modernos

com a cara mais deslavada.

 

REALIDADE

Num homem velho

tudo é meio

tudo metade.

Até seus anos

conquistados com tenacidade

não são inteiros

são só meia-idade.

 

GEOGRAFIA

Voltaire e Rousseau lá

não filosofavam como

o Marquês de Maricá.

 

OCASO

No fim da jornada

uma borboleta no lombo

ao burro velho parece

uma carga pesada.

 

HISTÓRIA

Um dia os dias

antes dispersos

se reuniram

num congresso extraordinário

e criaram o calendário.

 

DELÍCIA

Depois de pirar

Ismália vive nua.

Toma banho de mar,

Toma banho de lua.

 

RETRATO

De alguns anos para cá

não tenho sido mais que um gato velho

deitado no meu sofá.

 

NORMA DE SEGURANÇA

Passando sob um poema concreto

o correto e o prudente

é usar um capacete.

 

CARTILHA

Os orifícios

são as mães

de todos os vícios.

 

EGO

Acho estranho

qualquer grande momento histórico

do qual eu não seja contemporâneo.