As crises da sociedade são crises de valores, sendo a decadência da verdade o principal motivo da decadência de toda uma sociedade.

Segundo o Doutor em Direito Dom Rafael Llano Cifuentes e autor do livro Vidas Sinceras, a história da civilização é a história da procura da verdade, seja nas ciências, na astronomia, filosofia, política e em todas as áreas do conhecimento humano.

Isso porque nossa faculdade superior da inteligência busca e alimenta-se da verdade. Os filhos, principalmente quando pequenos, têm uma enorme necessidade de aprender, de conhecer o mundo e as realidades que os cercam.

Além dessa busca pela verdade eles têm um instinto de autenticidade, ou seja, de perceberem quem são.

Precisam desenvolver sua identidade e aprofundarem no conhecimento próprio em todas as suas dimensões. Precisam sentir-se únicos e irrepetíveis.

Precisam desenvolver uma coerência interior entre o que pensam e falam, conseguir ser autênticos, ser eles mesmos sem fingimentos ou máscaras.

Que nosso sim seja sim e o não seja não.

Pois a mentira vai gradativamente gerando uma deturpação da personalidade e dignidade.

E quando pelo contrário, ensinamos nossos filhos a sempre dizerem a verdade, eles vão adquirindo a virtude da sinceridade. E a sinceridade leva à confiança e a confiança gera segurança, que é uma necessidade básica do ser humano e de toda a sociedade.

Se não pudermos confiar uns nos outros, a vida torna-se impossível. As pessoas começam a ficar desequilibradas e neuróticas, de dupla personalidade.

A educação na sinceridade é, portanto, fundamental para a felicidade de nossos filhos e de toda a sociedade.

10 dicas para educar na sinceridade:
1- Ajudar as crianças a reconhecerem a realidade, separando-a da imaginação, fantasia, criatividade.
2- Corrigir pequenas mentiras.
3- Evitar colocá-las quando pequenas em situações que tenham que mentir (em vez de perguntar se a criança já escovou os dentes, dizer a ela simplesmente que vá escovar).
4- Pouco a pouco ajudar a que falem a verdade e aguentem as consequências. (Inicialmente diminuir a intensidade das consequências quando tiverem tido a coragem de dizer a verdade).
5- Ensinar a diferenciar fatos de opiniões.
6- Ensinar a ouvir todas as partes.
7- Ajudar a conhecer-se e não deixar que coloque a culpa nos outros. (- Se você tirou nota baixa a culpa não foi da professora)
8- Evitar fazer elogios falsos.
9- Ensinar a devolver as coisas, mesmo as pequenas, de pouco valor, pelo princípio.
10- Ajudar a não dar desculpas esfarrapadas ou se justificar.