ipad-907577_1280

A geração de nossos filhos já nasceu no mundo digital e virtual. As crianças demonstram, desde cedo, muita agilidade no uso da internet e das redes sociais.

Através dessas ferramentas, eles têm acesso a uma ampla gama de conhecimentos, desempenham multitarefas e estão sempre conectados. Ao mesmo tempo não demonstram um raciocínio linear.

Diante desta realidade, o que nós pais da geração não digital e de raciocínio linear podemos fazer?

São dois mundos diferentes, e somos nós, pais, que temos que fechar o gap, entender e entrar no mundo dos nossos filhos.

O mundo da internet tem vários pontos positivos, mas também alguns negativos. Nesse sentido devemos tomar certas precauções.

Sabemos que o cérebro não consegue multiprocessar informações e decisões.

Quando os filhos fazem várias coisas ao mesmo tempo, acabam se distraindo e o nível das respostas fica prejudicado.

Para chegar a realidades de pensamento mais profundas, precisamos focar em uma única atividade e ter tempo para consolidar os pensamentos.

Dessa forma, a geração 2000 acaba tendo muitas informações, porém mais superficiais.

Além disso, um uso grande da internet pode causar prejuízos em nível cerebral, falta de sono, obesidade e déficit de atenção.

Por isso a Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças não tenham smartphones ou tablets antes dos 12 anos de idade.

Também devemos ajudar os filhos a serem navegantes virtuais com critério. Ver os conteúdos deles e ajudá-los a terem “unidade de vida”, ou seja, que sejam a mesma pessoa em todos os lugares e situações, inclusive nas redes. Mentir ou criar perfis falsos pode ser bastante danoso para a sua formação de caráter.

Além disso, podemos passar alguns princípios:

– Que só entrem e escrevam o que possa ser compartilhado por todos.

– Que evitem o isolamento.

– Que pensem, mesmo no mundo virtual, nos outros, em como promover o carinho e a união entre os amigos e familiares.

– Quando navegarem terem bem claro: o ponto de saída, de chegada e a rota para evitarem se perderem e divagarem.

– E o mais importante: ver a internet como meio, e não como fim. Buscar compartilhar informações, filmes, músicas de qualidade com as outras pessoas, usando a internet como ferramenta para a melhoria de vida das pessoas.

Curta a nossa Fan Page: https://www.facebook.com/educarparafelicidade/