Barbas e bigodes são ambientes propícios para a proliferação e sobrevivência do vírus causador do Covid-19, além de impedirem a vedação adequada das máscaras de proteção (Foto: Unsplash)

E aí, beleza?

Cuidar da barba no barbeiro é fácil, não é mesmo? O difícil é manter os pelos faciais sob controle, em casa; ainda mais em tempos de quarentena, em que acabamos por ficar mais ‘relaxados’ com os os cuidados com a barba. Muitos deixaram crescer, outros tiraram completamente… mas, ainda há muitas dúvida em torno do tema.

Para dar uma ajudinha, conversamos com o Dr. Alberto Cordeiro – Dermatologista especialista em Cosmiatria à frente da Clínica Horaios Estética – que esclareceu alguns mitos e verdades em relação à barba e a contaminação por coronavírus.

Barbas e bigodes são ambientes propícios para a proliferação e sobrevivência do vírus causador do Covid-19.

Verdade. Já que a pele também é um ambiente apto para a propagação do Covid-19, não há nenhuma evidência clara para a orientar a remoção a barba nessa época de pandemia. O que existe é um consenso que, a barba e o bigode, podem sim, ser propícios para a proliferação e sobrevivência do vírus.

Os pelos faciais podem impedir a vedação adequada da máscara

Verdade. Os pelos faciais podem impedir a vedação adequada da máscara. As pessoas, principalmente as que possuem barbas grandes, podem ter essa dificuldade de vedação, o que favorece a contração da virose.

Há recomendação dos órgãos sanitários para que homens retirem a barba como medida de segurança para reduzir o contágio do novo coronavírus.

Mito. Não existe nenhuma obrigação sobre esses casos, entretanto, é de bom tom que os profissionais de saúde não tenham barba, pela possibilidade de propagação do vírus.

Tocar os pelos faciais constantemente com as mãos pode ajudar na propagação do vírus.

Verdade. Assim como tocar a face com frequência, o contato das mãos com os pelos faciais também pode colaborar a propagação.

Dr. Alberto Cordeiro, Dermatologista especialista em Cosmiatria (Foto: Divulgação)

Para promover uma correta higienização da barba e bigode na quarentena, Dr. Alberto Cordeiro alerta: “a higienização da barba na quarentena deve ser feita sempre após a lavagem das mãos e, com um produto específico para a mesma. O uso do álcool não é recomendado por ocasionar a irritação da pele, alergias e ressecamento dos fios da barba”, seja na forma líquida ou em gel.

Portanto, se estava pensando em gastar metade do seu álcool gel na barba, esqueça! Utilize sabão neutro ou champú específico para a barba. Existem inúmeras boas opções hoje no mercado, para todos os bolsos e gostos.

Shampoo para barba Brentwood (R$36,00), que promove a limpeza da barba e pele deixando-os macios e hidratados. Em burb.com.br (Foto: Divulgação)

Então, para ajudar você a fazer a barba sem sofrimento durante esse período de isolamento social, separamos três dicas essenciais para conquistar o barbear perfeito. Confira:

Esfolie: usar um esfoliante é uma ótima maneira de preparar a pele antes de se barbear. Isso porque o produto retira as sujidades acumuladas na superfície do tecido cutâneo, facilitando o deslizar da lâmina, além de prevenir irritações, inflamações e pelos encravados.

Aplique um pré-barba: retirar a barba, ou mesmo apará-la, sem a ajuda de um produto específico pode ser realmente prejudicial para a pele e os pelos, favorecendo cortes e irritações. Por isso, é fundamental o uso de um gel ou espuma para barbear, que são desenvolvidos especialmente para preparar a pele e os pelos para receberem a ação das lâminas.

Hidrate com um pós-barba: para finalizar o barbear sem complicações, é fundamental o uso de um pós-barba, que tem o objetivo de restaurar, higienizar, hidratar, refrescar, acalmar e promover sensação de bem-estar à pele.