O slow travel sugere que os viajantes esqueçam a pressa e foquem em viver o máximo possível da viagem (Foto: Vinha Boutique Hotel/Divulgação)

E aí, beleza?

Já parou para pensar e até anotar as suas resoluções no pós-Covid para este ano? Pensar no seu bem-estar e traçar uma “lista de desejos” de tudo aquilo que ficou em stand by por causa da pandemia?

Por exemplo, desacelerar deste ritmo frenético que acompanha nosso jeito de fazer as coisas, de viver a vida, de se cuidar e até viajar: é comum querermos conhecer muitos lugares em pouco tempo e incluir dezenas de atrações em um só dia de roteiro. Por isso mesmo, o slow travel sugere que os viajantes esqueçam essa pressa toda e foquem em viver o máximo possível da viagem – ao invés de apenas ver e tirar fotos.

O conceito surgiu há alguns anos e vem ganhando cada vez mais força, em especial para as viagens pós-pandemia. Esse movimento cujo nome significa “viagem lenta”, em tradução livre, pretende refletir e criar mudanças na maneira de viajar, dando mais importância à qualidade, ao bem-estar e às escolhas conscientes.

Nesse sentido, o Alentejo, região mais autêntica de Portugal, é um destino perfeito para quem quer curtir férias no estilo slow travel. Confira alguma dicas e principais motivos para colocar a região no seu roteiro numa próxima ida a Portugal:

O contato com a natureza é um dos pilares do slow travel (Foto: Divulgação/Visit Alentejo)

Contato com a natureza

O contato com a natureza é um dos pilares do slow travel. O Alentejo possui um território marcado por campos dourados, vinícolas verdejantes, inúmeros rios e lagos, além de um litoral de tirar o fôlego. Com isso, os viajantes podem fazer diferentes atividades em meio à natureza, desde piqueniques e passeios de barco, até aventuras de bicicleta ou surfe. Apesar de ser a maior região de Portugal, o Alentejo não conta com cidades grandes, o que possibilita também aos visitantes hospedarem-se em propriedades rurais, onde o descanso é absoluto e as experiências, autênticas.

HERDADE DA MATINHA

A Herdade da Matinha é uma propriedade familiar que merece ser descoberta. Essa casa de campo especial, perto de tudo, longe de tudo, é o lugar perfeito para passar bons momentos sem pressa. No final de um dia de aventuras, regressamos a este paraíso remoto por uma estrada de pó e terra, que nos leva de volta ao tempo em que só as coisas simples importavam: o ritmo das estações, o respeito pelos animais, a vida em comunidade.

No coração do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, quase a chegar ao mar, aninhada por entre sobreiros e campos de trigo e perfumada pelo aroma da alfazema, do rosmaninho e da calaminta, é onde se esconde uma casa de campo especial…

A Herdade da Matinha é uma propriedade familiar que merece ser descoberta (Foto: Divulgação)

É nesse recanto de paz onde teve início o empreendimento de turismo local, onde hoje trabalham duas gerações de uma família em que o patriarca é um artista e um visionário.

Quando Alfredo Moreira da Silva chegou à terra onde hoje se encontra a Herdade da Matinha, o único edifício que existia no meio do antigo canavial era uma casa antiga com quatro quartos, sem água nem luz. Apesar de a propriedade precisar de muitas obras e de a terra estar esgotada, ele tinha uma visão. E conseguia ver o seu potencial. Começou por construir uma casa para a sua família. Depois, em 1998, a casa foi transformada na Casa dos Proprietários, o edifício principal da Herdade, dando início a um novo capítulo da sua história. Nesse mesmo ano, abriu as suas portas pela primeira vez na qualidade de hotel.

A piscina privativa é um convite para relaxar na calmaria da região do Alentejo (Foto: Divulgação)

Atualmente, a Herdade da Matinha é composta pela Casa dos Proprietários e por 35 quartos e suítes distribuídos por quatro edifícios, todos inspirados nas casas típicas alentejanas, nas quintas locais e seus celeiros. São elas: a Casa Velha, o Surf Lodge, o Family Barn e o Rose Club. A Herdade da Matinha tem tanto de familiar como de confortável. É como ficarmos alojados na casa de campo de um velho amigo de família, mais do que num hotel… um lugar tão único quanto belo, um paraíso remoto e imaculado, onde o tempo realmente para.

Estabelecimentos locais

Outra característica das viagens lentas é a utilização de serviços em estabelecimentos locais, o que permite ao viajante conhecer mais da cultura local. No Alentejo, a maioria dos hotéis e restaurantes são tipicamente alentejanos, e é difícil encontrar grandes redes que seguem uma padronização mundial e, por isso, são iguais no mundo todo. O incentivo à economia local é importante para o turismo na região e faz parte do conceito do slow travel.

ALENTEJO MARMÒRIS

É em Vila Viçosa – na zona dos mármores de Estremoz, uma vila histórica, das mais especiais do Alentejo – onde habita o Alentejo Marmòris Hotel & Spa, um empreendimento tão especial quanto único, um verdadeiro museu dedicado ao mármore, gerado pela ligação secular de uma família com o “ouro branco”.

O Hotel foi criado a partir de um antigo lagar de azeite pela visão dos proprietários e pela arte dos arquitetos João Paulo Ferrão e Miguel Câncio Martins (Pacha Bar, Buddha Bar Paris) utilizando, na sua maioria, mármores locais e também de outros países, como Itália, França, Turquia e Brasil, entre outros.

O Alentejo Marmòris tem a chancela ‘Small Luxury Hotels of The World’ (Foto: Divulgação)

O Hotel dispõe de 44 quartos distribuídos por 5 categorias, todas oferecendo um ambiente requintado, de enorme conforto e tranquilidade, além de uma hospitalidade genuína e um conjunto de serviços criados para proporcionar experiências memoráveis aos hóspedes. Não deixe de marcar uma massagem de assinatura no Stone Spa, que é uma referência na Europa, bem como fazer uma refeição no restaurante Narcissus Fernandesii, que oferece uma interpretação contemporânea da cozinha alentejana de terroir, com sabores genuínos e de produtos frescos vindos dos campos que rodeiam Vila Viçosa. Imperdível!

Moradores simpáticos

O slow travel incentiva também o contato com novas culturas. Um viajante lento sempre tem tempo para parar e conversar com alguém que cruze seu caminho. Os alentejanos são extremamente simpáticos e adoram receber visitantes. É comum sair da região repleto de novos amigos. As pessoas que vivem no Alentejo levam a vida de um jeito tranquilo que é admirável, principalmente para quem mora em grandes cidades, e vale a pena bater um papo com elas quando a oportunidade surgir.

Deslocamentos curtos e por terra

Não será necessário embarcar em mais aviões para conhecer as terras alentejanas. Basta chegar em Lisboa e, a partir dali, os deslocamentos podem ser feitos por terra, de carro ou até de bicicleta, para quem tiver disposição. Com isso, há tempo para apreciar os cenários belíssimos da região, além de ter mais flexibilidade para ficar o tempo que quiser em cada parada.

Turismo de experiência

Esse tipo de turismo é altamente valorizado no Alentejo. Mais que ver monumentos e fotografá-los, os viajantes podem fazer várias atividades diferentes. Isso inclui não só as mais tradicionais, como passeios a cavalo ou bicicleta, prova de vinhos ou trilhas, por exemplo, mas opções como workshops de gastronomia, a possibilidade de criar seu próprio vinho ou a observação de estrelas. Criar experiências ricas e viver intensamente cada destino como se vivesse ali são motivadores do slow travel.

HOWARD’S FOLLY

Nesta simpática adega local é possível aprender as características dos vinhos de base e atribuir-lhes a sua pontuação, além de desenvolver o seu próprio blend. Isso mesmo, é possível ser enólogo por um dia! O Howard’s Folly Winemaker Workshop contempla uma experiência divertida de aprender mais sobre a arte de fazer vinhos, aguçar seu paladar e obter uma nova compreensão de porquê a mistura é importante para o processo de fazer grandes referências. Você também degustará alguns deliciosos vinhos alentejanos e criará seu próprio rótulo de vinho antes de concorrer ao muito premiado título de Enólogo Medalha de Ouro.

Viagem sustentável

A sustentabilidade é outro pilar do slow travel, que preza por roteiros, hotéis e atividades que tenham um impacto mais positivo no mundo. Como essa é uma preocupação de diversos empreendimentos alentejanos, não é difícil encontrar maneiras de viajar de forma mais amigável para o meio ambiente. Restaurantes e hotéis produzem refeições com vegetais produzidos organicamente por eles mesmos, passeios pelos vilarejos podem ser feitos a pé, e assim por diante.

Passeios com tempo

Não podíamos deixar de mencionar que o Alentejo é um lugar onde o tempo parece passar de forma diferente. Quem viaja por lá deve aproveitar a viagem para se revigorar: dormir bem, comer bem, respirar ar puro, descansar. Não há nada como perder-se pelos vilarejos alentejanos, passeando a pé e observando detalhes da arquitetura local, aprendendo sobre sua história, parando para tomar um café quando der vontade. Horários e prazos podem e devem ser esquecidos, de forma que a viagem seja ainda mais prazerosa.

A Casa Relvas é uma adega tradicional alentejana e proporciona experiências inesquecíveis e locais (Foto: Divulgação)

CASA RELVAS E HERDADE DE SÃO MIGUEL

Provas de vinho, gastronomia, artesanato, música, produtos regionais, jogos tradicionais e demonstrações de artes e ofícios da região são algumas das experiências que podem ser vivenciadas nesta Herdade pra lá de especial, na região do Redondo. Aqui, poderá conhecer um pouco do muito que o Alentejo tem para oferecer.

A Casa Relvas abre as portas da Herdade de São Miguel e convida-o para “Um dia em São Miguel”, onde apreciadores de vinho, do campo e do Alentejo, e as suas famílias, poderão passar um dia diferente e muito animado. O enoturismo da Casa Relvas tem agora uma nova sala de provas e vários programas de visitas e provas disponíveis todo o ano. A experiência inclui a visita à adega, degustação de produtos regionais, como o próprio azeite da Casa Relvas, e vários queijos da região, além de um almoço com pratos típicos, harmonizados com os vinhos da Herdade. Um luxo simples e cativante.

O The House of Sandeman é o primeiro branded hostel do mundo (Foto: Divulgação)

PRA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DO NORTE

Tão incrível quanto o Alentejo, o Centro e Norte de Portugal também abrigam lugares especiais e que merecem ser descobertos…

Dois deles ficam na região do Porto, mais precisamente em Vila Nova de Gaia – a outra margem do Douro, em frente à ribeira, onde têm as caves de vinho do Porto mais famosas do mundo.

O espírito alternativo e independente do Porto é algo que se sente nas ruas da cidade, na forma de estar dos seus habitantes. Depois de um dia desbravando a “Cidade Invicta” – como é conhecida pelos locais – hospede-se nesta joia em forma de alojamento local chamado de The House of Sandeman: o primeiro branded hostel do mundo, que celebra uma das mais relevantes marcas de Vinho Porto, mesmo junto do rio Douro, num dos edifícios mais icónicos do Porto – as Caves Sandeman. Aqui, poderá descobrir uma nova forma de viver a cidade, com uma experiência autêntica e local, com uma vista de cortar a respiração.

Conjugue a sua estadia com uma visita à Caves Sandeman, uma experiência tão rica quanto prazerosa, uma imersão no mundo dos vinhos do Porto, com degustação incluída.

O The House of Sandeman é um empreendimento The Independente Collective, um grupo português de hospitalidade criativa, com o objetivo de criar experiências únicas e autênticas para viajantes e locais. Com o intuito de reinventar a tradição portuguesa de bem receber, o grupo aposta numa oferta baseada na singularidade e originalidade. Os visitantes encontram em cada um dos espaços The Independente Collective um lugar para partilha de histórias e ideias, onde podem dormir e tomar uma refeição, mas sobretudo, descobrir e sentir a vida local.

No Vinha Boutique Hotel é possível vivenciar um conjunto de experiências de bem-estar exclusivas (Foto: Divulgação)

Mais afastado do burburinho da ribeira está o Vinha Boutique Hotel, um pequeno hotel de charme onde todos os detalhes são cuidadosamente preparados para os hóspedes. Aqui é possível vivenciar um conjunto de experiências exclusivas, seja no Sisley Paris SPA – o primeiro SPA da marca no Norte de Portugal – ou no Restaurante Vinha, tudo é preparado com o máximo detalhe para que o visitante possa rejuvenescer o corpo e alma.

Vibrante, acolhedor e com uma linguagem de interiores marcadamente contemporânea que se estende do restaurante e bar aos 38 quartos existentes, dos quais 19 apresentam uma decoração orientada pela estética das grandes maisons internacionais de moda e decoração, o moderno e sofisticado Vinha Boutique Hotel reinterpreta genuinamente a arte de bem receber, oferecendo um serviço personalizado de excelência.