Ella é uma menina. Com a idade e corpo de uma mulher.
Tem pele bem branca, estatura média, cabelos ruivos e compridos. E as vezes, nos cabelos, usa laço de fita vermelho.

Não acredita em Príncipes Encantados. Estes, Ella sabe bem, que não existem. Mas acredita no amor puro, na essência forte e transcendental.

Ella é adulta, mas vê a vida com o deslumbramento de uma criança. E muitas vezes, não consegue separar o que é real de um sonho.

É alegre por natureza, dança no ar em pensamentos e desejos; viaja na imaginação do que pode ser. E não desiste de nada, dá um jeitinho de unir as coisas que mais ama, sem deixar nada pra trás.
Sempre acredita que vai dar certo, nem sabe como, mas acredita.

Difícil é alguém entendê-la. Quase ninguém consegue.

Ella encanta e seduz os mais belos homens. Os conquista e os assusta com sua vivacidade, sinceridade e com sua sede de ser feliz a cada instante.

Um raio de sol a faz sorrir, a chuva a faz gargalhar. Não existe tempo ruim, Ella só pensa em aproveitar.

Com doce é pior que criança. Seus olhos brilham ao ver chocolates. Ella perde a noção, de que tem idade adulta e até pula e bate palmas!

Elles geralmente tem medo, de que tanta simplicidade a fazerem feliz. Se a amam, querem prendê-la e esconder do mundo, porque tem receio de perdê-la.
Mas se Elles a perdem é justamente por prendê-la.

Mas nada no mundo a faz brilhar, mais do que se apaixonar. Óbvio, com todo mundo é assim, porque que com que Ella seria diferente?

Mas parece que há um pequeno mau entendido no universo. Ella conhece alguém e se interessa, mas o moço nem dá bola. Em outras ocasiões o moço se interessa e justo este, Ella não tem a menor atração.
Isto aconteceu durante a sua vida toda.
Mas há uma exceção, em que Ella se apoia ‘as coisas simplesmente acontecem‘ e é preciso estar distraída.
Os amores que teve em sua vida, aconteceram, assim de repente, sem explicação.
Nada de principes encantados, apenas homens comuns.

Novas crônicas toda quarta-feira.

Leia também: