gazeronly/Creative Commons

gazeronly/Creative Commons

Eu, de fora noto, será que o rapaz nota?

 

Lendo meu livro, noto a minha frente, que há uma espécie de euforia, em torno de um rapaz.
Elle é alto, bonito, tem um sorriso constante e envolvente. Muitos o cumprimentam, beijam, abraçam, comemoram algo e tiram muitas fotos deste momento.

 

E tem Ella, que está de lado, só observa, pacientemente aguarda.

 

Paro de ler meu livro e observo a menina.
O olhar dElla brilha, num misto de carinho/timidez.

 

Elle distribui sorrisos, abraços e Ella, apenas fica ali parada. Presta atenção a tudo, ao olhar dElle, o jeito com que trata as pessoas a sua volta, seu sorriso.
Ah o sorriso! (Em particular, devo dizer que é realmente o sorriso mais encantador, mais iluminado, mais cheio de vida e apaixonante, que já vi).
Ella parece que suspira, a cada sorriso dElle, mesmo assim permanece imóvel.

 

Uma a uma as pessoas se afastam. Agora que tem poucas. Começo a disfarçar e levanto o meu livro, na altura dos olhos.
Tem apenas um pessoa próxima dElle. Ella dá um passo a frente. Elle nota, enquanto se despede da última pessoa. Ella aproxima mais, Elle sorri de forma encantadora, a cumprimenta e Ella entrega um presentinho. Não consigo ver o que é mas os dois agora, iniciam uma conversa aparentemente sobre o ‘nada’.
Enquanto Elle abre o pequeno embrulho, trocam sorrisos e olhares profundos. Há uma conversa desconexa, falam baixo, palavras soltas, há muito mais olhares que palavras.

 

Já perdi totalmente o interesse no livro. E começo a fingir que procuro algo na bolsa, enquanto observo.
Elle faz um sinal com a cabeça e Ella o acompanha, caminhando lado a lado, agora mais soltos. Conversam descontraidamente e descem a rua rumo a um café, que fica na esquina e entram.

 

Eu me levanto lentamente, recolho minhas coisas e sigo andando.
Disfarçadamente passo na frente do café (do outro lado da rua) e vejo que os dois estão, sentados numa mesa que fica na janela. Estão de frente um para o outro.
E e Elle passa a mão esquerda nos cabelos dElla que sorri e deita seu rosto na mão dElle.
E eu passo do café, agora sorrindo também.

Novas crônicas toda quarta-feira.

Leia também: