Jay Park/Creative Commons

Jay Park/Creative Commons

É tarde, e Elle sempre fica acordado até muito tarde.
Na verdade, o dia está quase amanhecendo.
Elle esta sem camisa, em frente ao computador. Troca mensagens instantâneas, lê e responde e-mails, organiza alguns arquivos, confere por diversas vezes alguns dos seus sites favoritos. Olha no relógio, são quase 4hs da manhã e está completamente sem sono.

Fecha todos os sites abertos, clica para desligar o computador, mas pára e fica pensando.

O quarto está vazio, olha ao seu redor só há a luz da luminária acesa e que reflete sua sombra na parede branca. Existem algumas roupas sob a cama, uns tênis pelo chão.

Levanta da cadeira, recolhe as roupas, separa-as, organiza os tênis, senta na cama e olha para o computador.

Agora deita na cama e olha para o teto. Fica ali por alguns minutos, de olhos abertos piscadas lentas, só pensando, pensando: ‘E se?’

A vida seria mais simples, se não tivéssemos que fazer escolhas. Se pudéssemos ter certezas com mais frequência.

Mas fala a verdade?
Seria muito sem graça nunca arriscar. Nunca pagar pra ver, nunca ralar o joelho, escalando o muro da indecisão! E espiar pra saber, ‘se’ do outro lado tem a visão mais incrível, melhor.

Num impulso, Elle pula da cama, cancela o ‘shut down’ do computador e abre seu e-mail. Conecta-se rapidamente e vai para a pasta de ‘rascunho’.

Abre uma mensagem que começou, mas não terminou de escrever. Lê diversas vezes. Ri. Apaga. Depois escreve mais.  Apaga de novo. Cancela de vez a mensagem e fecha o e-mail.
Vira de costas para o computador e pensa: “E se eu ligar? Putz! São 4h30 da manhã, Ella vai pensar que sou louco. Ou pior que estou louco por Ella. Não. Não. Vou dormir!”

Mas volta para o computador. Abre o e-mail e começa a digitar. Inicia com frases engraçadas, brincadeirinhas soltas. Para e salva, a mensagem vai pra pasta de rascunhos novamente.

“Eu não tenho tempo nem pra mim.”
“E existem milhares de outras garotas, que eu ainda quero conhecer.”
“Por que sair com Ella?”
“E se eu não gostar dElla?”
“E se Ella ficar me perseguindo?”
“E se Ella não gostar de mim?”
“E se esta brincadeira não der em nada? Vou perder meu tempo, droga!”
“Vou dormir!”

Então, desliga tudo, computador, luminária e se arruma pra dormir.

Enquanto se troca, vê que um faixo de luz entra pela janela, então a abre e nota que é a luz da lua. Com isto, o quarto se ilumina completamente e Elle visualiza algo que o faz lembrar dElla. Pega o objeto, senta na cama. Ainda com a janela aberta, abre a caixa, olha, sente o cheiro, suspira fundo.
Levanta-se e fecha a janela.
Deita na cama meio jogado. Com olhos bem abertos e pensa: “E se”?
Pensa, pensa, repensa. “Amanhã eu vou falar com Ella!”

Sorri, com o sorriso de quem vence a batalha e dorme feito anjo, imediatamente ao fechar seus lindos olhos castanhos.

Novas crônicas toda quarta-feira.