A década de 80 do século XX será vista no futuro como o momento em que se iniciou uma mudança revolucionária na história dos relacionamentos – a ascensão dos nerds. A revolução dos computadores pessoais é sem dúvida a maior responsável pelo fenômeno que, se teve seu início na década de 70, foi vislumbrado pouco tempo depois, em 1984. O filme “A vingança dos nerds” mostrava um grupo de alunos do curso de ciências da computação que, após sofrer muito bullying, contra todas as probabilidades invertia a cadeia alimentar do campus universitário e acabava recebendo mais prestígio e badalação do que os atletas e descolados. Virada semelhante se deu na sociedade, que os elevou da categoria de párias nos anos 70 a necessários nos anos 90 – em 1996 o documentário “O triunfo dos nerds” não deixa dúvidas que o dinheiro, e consequentemente o poder, estavam mudando de mãos.

Mas a vida deles ficou mais fácil não só porque a tecnologia criou empregos bem remunerados que só eles conseguiam – tornando-os mais ricos e, como decorrência, mais sexy. Ficou também mais fácil descobrir pessoas que compartilhem dos mesmos interesses, por mais específicos que sejam, e assim encontrar possíveis pretendentes. A tecnologia veio auxiliá-los a superar as complicadas barreiras – antes quase intransponíveis – para seus relacionamentos.

No artigo científico ironicamente intitulado “Quem acha Bill Gates sexy?”, por exemplo, pesquisadores americanos, não sei se nerds ou não (provavelmente sim), buscaram diferenciar os tipos de comportamento criativo que tornam as pessoas mais atraentes – aos olhos dos outros. Partindo do princípio de que a criatividade é uma forma de sedução, mas que compor uma música é bem diferente de criar um algoritmo, eles foram a campo descobrir o que as pessoas consideram mais sedutor. Diferenciaram a criatividade estética da criatividade prática, e com isso duas listas foram elaboradas, apontando as dez atividades criativas mais sexy, e, como não poderia deixar de ser, com as dez menos.

Dez mais:

1. Praticar esportes
2. Ter um encontro numa viagem não planejada
3. Gravar músicas
4. Fazer observações inteligentes
5. Compor músicas
6. Tocar numa banda
7. Tirar fotos artísticas
8. Apresentar números de comédia
9. Vestir-se num estilo próprio
10. Escrever poesia

E as dez menos:

1. Fazer anúncio de campanhas
2. Decoração de interiores
3. Escrever um programa de computador original
4. Fazer websites
5. Jardinagem
6. Apresentar artigos científicos ou matemáticos
7. Decoração de exteriores
8. Usar matemática de forma original para resolver um problema prático
9. Desenvolvimento de experimentos científicos
10. Participar da produção de um drama

Em princípio os nerds estão em grande desvantagem: boa parte do que eles gostam ou dominam está no fim da lista. Mas a boa notícia é que essa foi uma classificação geral. Em nichos específicos há público bastante interessado nas “dez menos”. Pessoas com características como curiosidade intelectual e prazer em raciocínio complexo acham essas formas de criatividade prática muito mais sexy. Aliás, os resultados da pesquisa mostraram que homens com grande curiosidade intelectual praticamente evitam relacionamentos com pessoas com criatividade estética.

Ou seja: todo pé cansado tem seu chinelo velho. Nerds tendem a gostar de nerds, e hoje, com tantos sites e aplicativos de relacionamento, não é difícil que eles se encontrem e vivam felizes para sempre.

ResearchBlogging.org
Kaufman, S., Kozbelt, A., Silvia, P., Kaufman, J., Ramesh, S., & Feist, G. (2014). Who Finds Bill Gates Sexy? Creative Mate Preferences as a Function of Cognitive Ability, Personality, and Creative Achievement The Journal of Creative Behavior DOI: 10.1002/jocb.78