Na mitologia clássica, Janus era o deus romano do início e da transição – as passagens, mudanças, os começos e recomeços eram por ele governados, função curiosa aparentemente sem correspondente na mitologia grega. De forma mais concreta, era também o deus das pontes, portas e portões, além de representar a passagem do tempo. Ele era retratado com um deus de duas faces, uma olhando para trás, outra para frente, como a observar o passado enquanto encara o futuro.

O mês de Janeiro tem esse nome em sua homenagem, já que marca não apenas a chegada do ano novo, mas também uma passagem, o fim de um ano e começo de outro; um reinício, num ciclo velho conhecido de todos nós. Dentre os diversos ritos que marcam essa transição o hábito de fazer resoluções de ano-novo está perfeitamente simbolizado em Janus: decidimos como agir no futuro com base naquilo que vemos no passado; insatisfeitos com aspectos que até hoje foram de um determinado modo, propomos que – daqui para frente – eles sejam diferentes.

Um grupo de cientistas japoneses pesquisou o twitter para ter um retrato do que as pessoas se propunham a mudar após o réveillon, e confirmaram: parar de fumar, comer bem, exercitar-se e perder peso são as principais resoluções, juntamente com gerir melhor o tempo para investir mais na família, na amizade e no amor.

A grande pergunta é: por que é tão difícil manter essas resoluções? Em pesquisas de longo prazo os números não são muito animadores, já que até 80% das pessoas acabam desistindo de seus projetos em dois anos. Mas os 20% bem sucedidos talvez tenham algo a nos ensinar.

Ao longo dessa série de posts, veiculados também na coluna Ideias no Ar da Rádio Estadão durante as quatro quintas-feiras de dezembro, vamos tratar do papel da motivação no sucesso das resoluções de ano-novo, ensinar algumas dicas práticas – baseadas em evidências – que aumentam a chance de sucesso, e por fim aprender a treinar nossa força de vontade, peça chave em qualquer programa de mudança comportamental.

Assim, quando janeiro chegar, quem sabe estaremos mais preparados para acompanhar Janus na missão de fazer a travessia bem sucedida em direção ao futuro amparados pelas lições do passado.

Zhu D, Fukazawa Y, Karapetsas E, Ota J. Long-Term Goal Discovery in the Twitter Posts through the Word-Pair LDA Model. In: H. Isahara and K. Kanzaki (Eds.): JapTAL 2012, LNAI 7614, Springer-Verlag Berlin Heidelberg 2012 pp. 262–267, 2012.