O dicionário de palavras que não existem, mas deveriam existir.

(Arquivo de Carlos Castelo)

Está no dicionário que dicionário é uma compilação das unidades léxicas de uma língua

ou de certas categorias específicas suas, organizadas numa ordem convencionada

geralmente alfabética.

Meulogismos fica no setor “certas categorias específicas”.

É um dicionário que procura organizar  palavras que faltam à língua portuguesa.

A única coisa que ele tem em comum com os pais dos burros é a ordem alfabética.

ATLOTA: atleta idiota. “Esse é um atlota, só sabe falar de academia.”

BRANCONI: negroni dos brancos, anglo-saxões e protestantes.

CANETACHIM: redator, escritor, ghost-writer; qualquer indivíduo que vive de escrever.

DOSSIECRACIA: sistema de governo sul-americano no qual se faz a gestão de um país ameaçando os adversários com dossiês comprometedores.

EMPODRERAMENTO: quando alguém sujo assume um papel central numa sociedade, empresa ou corporação.

FORMIGADÁVEL: inseto de grande virtude; formiga que excede.

GATUM: felino doméstico mimado pelos donos. “O Fido é cheio de frescura, só come atum”.

HIDROXICLOROCHINA: vacina contra coronavírus fabricada na China e vetada pelo governo brasileiro.

IMBECIVILIDADE: politicamente correto.

JORNALISTÁRIO: jornalista cuja maior fonte de renda é oriunda de testemunhais e merchandising para marcas, produtos e serviços. Também chamado de publicitalista.

KARKAMANO: rapper do Estado Islâmico.

LEITORADOR: indivíduo que só consegue ler textos de jornal, revista, livro e outros se acompanhar a leitura com a boca.

MIDIATRIA: ramo da medicina que estuda os estragos feitos pela grande mídia no cérebro humano. “Menina, achei um midiatra ótimo pro Luiz Alberto, curou ele da dependência de tv a cabo.”

NAPACLIN: Indivíduo que passa o tempo todo limpando o nariz com o dedo.

OHCATAPLOFT: expressão onomatopaica dita quando falta luz no banheiro em que se está defecando.

PIPIZZA: ruído da buzina da moto do delivery no portão avisando que a pizza chegou à sua casa.

QUACRE: Membro da seita protestante Quaker nascido no Acre.

RAYBÂNICO: aquele que muda de personalidade quando coloca um par de óculos escuros.

SINVASTATINO: pessoa que controla o colesterol dos outros. “Osmundo, a vida é tua, mas pelo que estás comendo de gordura, logo tuas veias entopem…”

TELIMPAR: o ato de esfregar a tela de um celular na manga da blusa ou na perna da calça com o fito de limpá-la das marcas de dedos.

UBERXISTA: taxista que oferece água mineral gelada, balinhas e revistas aos passageiros, mas não pertence ao Uber.

VEROPESO: pessoa que sobe na balança várias vezes ao dia para saber se está gordo. “O Antunes é um veropeso completo, devia ser sócio da Filizola.”

WI-FÓIM-FÓIM-FÓIM: tecnologia de rede sem fio que, toda vez que tenta se conectar à Internet, cai.

XÍNGARA: Xícara de porcelana que traz escrita em sua superfície sugestões de palavrões que o dono(a) pode proferir quando ela se quebrar.

YACULT: bebida, com a presença de lactobacilos especiais, que atua no cerebelo fazendo qualquer estúpido virar celebridade do Prêmio Jabuti em questão de minutos.

ZUMBICHEIRO: morto-vivo que explora a loteria ilegal.