Em 2020 a.C., sangrentas batalhas mudaram a História de além-Brasília.

(British Library)

Em 2020 a.C., tribos bárbaras que habitavam a província de Ceilândia invadiram além-Brasília em resposta ao pronunciamento do imperador Bolsos sobre a peste.

Em poucas horas, os bárbaros invadiram o Eixão, a porção leste do Congresso e a oeste da Praça dos Três Poderes. Ao mesmo tempo, uma coalizão de bandos tribais e desertores, liderada pelo gótico Maiah, cruzou a fronteira e avançou em duas colunas. A primeira coluna sitiou as fortalezas de Weintrabius e sua aliada, a sacerdotisa Dam Ares.

A coluna de Alcolumbrus, por sua vez, cruzou o Lago Sul, onde foi repelido por Carlúxias. Após alguns reveses, moveu-se para o sul. Flavínio, apoiado pelos esquadrões de Queirózimo, foi em seu encalço para salvar a capital.

Quando o exército de Bolsos estava estacionado no Eixão, foi surpreendido pelas tropas bárbaras, e o general Helânus teve que bater em retirada.

Após submeter as legiões de Flavínio e Queirózimo a uma fragorosa derrota, Alcolumbrus saqueou além-Brasília e capturou a imperatriz Michellia – solicitando mais tarde um pesado resgate ao senador Osmarius Terranostrum.

O rescaldo de além-Brasília incitou Bolsos a agir. Após receber reforços de milicianos bolsominions e reparar as fortificações candangas, dirigiu-se contra os homens de Maiah, que foram cercados pelas tropas de Helânus enquanto tentavam retirar-se.

Bolsos atacou-os de surpresa. É incerto o contingente bélico de ambos os lados no momento da batalha, embora sabe-se que Maiah dividiu suas forças em três unidades, com uma delas sendo posta atrás de um pântano.

Bolsos sentia-se confiante de que seria capaz de esmagar o contingente de Maiah em um assalto final, porém as circunstâncias mostrariam que subestimara seu inimigo. Na verdade, Maiah era um bom estrategista, bem como estava muito familiarizado com o terreno pantanoso de além-Brasília.

O estudioso do século XXI, Leandrix Karnalis, descreveu assim o massacre das tropas de Bolsos e sua queda:

“Prosseguindo assim teimosamente num lugar desconhecido, ele e seu exército de bolsominions ficaram atolados no barro e, naquela desvantagem, foram cercados pelos flancos. Bolsos, Flavínio, Carlúxias e Eduardo, o Micro caíram no lodaçal; acabaram cobertos pela lama e execrados pelas gargalhadas dos inimigos.”

O filósofo Pondeus descreveu a queda do imperador Bolsos da seguinte forma:

“Foi subitamente cercado pelos oponentes, junto com grande parte de sua tropa; depois despojado e colocado numa cela da masmorra da Papúdia, junto ao tribuno Cunha Hemovirtus.”

Com base na avaliação de Pondeus, por muito tempo pensou-se que a derrota fora provocada pela traição do governador Witzix, apoiado pelo mercenário Dorianes César, embora hoje a teoria seja rechaçada. O mais provável é que as estultas legiões bolsomínias acabaram proclamando um imperador sem antes submetê-lo a um exame psiquiátrico.