Já reparou que cada momento da História tem um artefato para atrapalhar o sexo?

A Baixa Idade Média, tinha o cinto de castidade; o século XIX, a rainha Vitória; o século XX, o aparelho ortodôntico. E os anos 2000, o piercing.

Para quem já usou espartilho e sapato tamanho 15 pra deixar o pé mais delicado, o piercing é até compreensível. Mas 9 entre 10 brasileiros estão ao meu lado, achincalhando-o.

Um brinco enorme de penas de sanhaço-do-peito-dourado, colares em forma de jaca, perucas roxas. Tudo isso é absolutamente fashion e aceitável numa pessoa. Mas um estegossauro de metal saindo da língua, convenhamos, é demais. Especialmente na hora do “vamos ver.”

Já pensou levar uma lambida e ter que fazer uma traqueotomia? Ou dar uma lambida e ficar mudo pra sempre?

Não há dúvida, é preciso cautela para tratar desse assunto.

Afinal, ninguém vai perder a (o) cara-metade por causa de algumas poucas gramas de alumínio. Mas piercing, em especial nos grandes lábios, fica complicado. E perigoso.

Poucas pessoas se dão conta de que encostar um vibrador com quatro pilhas pequenas num metal desses pode gerar descarga elétrica suficiente para abastecer um celular por seis longos meses. Agora imagine isso, que Deus o livre, na sua boca. Nem o melhor dos ortodontistas resolveria seu problema.

Os sexólogos deveriam se debruçar – com todo respeito – sobre este tema. O piercing, no caso feminino, cheira à uma vingança ao poderio do macho alfa nos últimos 20 séculos. Querem cutucar o homem e, para isso, colocam metaizinhos nas partes mais inimagináveis. Para ferir-nos em nossa autoestima há tempos rebaixada  – desde Cauby cantando “Conceição” nunca mais fomos os mesmos.

Por isso, carecemos urgentemente de uma legislação do “sexo com piercing.”

O ideal seria uma CPI, mas como a sacanagem no Congresso anda maior do que todas as outras juntas, os senadores não vão se preocupar com ninharias.

Modestamente então, aponto cinco tópicos que poderiam melhorar o referido intercurso:

1.A pessoa é do tipo que não tira a joia por nada desse mundo. Ok, ok. Então você também não usa camisinha.

2. Evite orgias regadas a champanhe. Piercing enferruja.

3. Nunca transe com alguém que usa piercing em cima de televisores, atrás de geladeiras, sobre computadores. Metal é ótimo condutor de eletricidade.

4. Se você usa marca-passo, e a(o) parceiro(a) piercing, vista-se e vá embora. Você corre sério risco de vida.

5. Se tudo isso não funcionar, arrume um(a) acupunturista.Ou fique em casa com a máquina de costura. Dá na mesma.