“Fiz um curso de leitura dinâmica e li Guerra e Paz em 20 minutos. Tem a ver com a Rússia.”

(Woody Allen)

(Pixabay)

Se ler é viver, dependendo do que anda pegando na prateleira, você pode estar morto. Ou a caminho de. Na literatura há uma infinidade de conhecimentos para quem quiser usufruir. Mas, como tudo na natureza, existe a competência que forma cidadãos pensantes, cidadãos pedantes ou cidadãos pentelhos.
Outra coisa: o leitor sempre é coautor da obra. Por isso repare sempre com quem está andando. Você pode estar criando uma parceria bastante temerária. Mesmo que não leia os poemas do Temer.
PAULO COELHO: você é o tipo de leitor que senta às margens de um rio e chora. De tão ruins são as obras que escolhe para se aculturar.
JAMES JOYCE: todas as suas leituras são fosquirrotas, louvas de peliça e aquelas salças furfúreas e a bandoneira categuta e suas bostas panunculares morduradas como um nãosionalista verme-amare-zerdavul violetamente indigonado, até o finda da fina fonta de seu carjado de capatrás. Você tapeou sua mão rudosa nasorícula gelhada e falhou o que bostava e sua flh mbld dss prela ir focando côta, miafia. E a bobeca fê-lum calapôca.
Ou seja, você é um tipo perkodhuskurunbarggruauyagokgorlayorgromgremmitgfaititillibumullunukkunun de leitor.
JOSÉ SARNEY: as suas preferências são claramente masoquistas, uma pessoa que lê Marimbondos de Fogo, Brejal dos Guajas e Saraminda só pode estar querendo se automutilar. Ou então é correligionário do ex-presidente inventor do Plano Cruzado.
GUSTAVO CERBASI: ah, já sei você é um leitor pragmático. Aliás, pra que ler se a vida, quando é levada de uma maneira positiva, prática e sem grandes filosofices pode render uma grana preta?
CHARLES BUKOWSKI: se consegue ler o criador de Cartas na Rua após uma feijoada, não saberia-se dizer que gênero de leitor você é, mas uma coisa é certa: vai ter estômago de avestruz assim lá na África subsariana.
E.L.JAMES: deixe-me, por favor, arriscar um palpite sobre suas preferências literárias (sem querer ser indelicado): você se masturba lendo romances.
JÔ SOARES: A leitura, para você, é muito mais do que absorver, de modo superficial, algum tipo de conhecimento. Também não se trata de entretenimento. Você literalmente morde as linhas, mastiga os parágrafos e come os capítulos com os olhos. E, claro, depois que termina um livro está gordíssimo.
LEANDRO KARNAL: você não é exigente com suas leituras. Para você Karnal, Pondé e Cortella são as mesmas pessoas. Aliás, eles mesmos vivem se confundindo nas mesmas palestras que dão por aí.
CAMÕES: você lê usando um olho só.
CHICO BUARQUE: apesar de você, amanhã há de ser um novo Jabuti.
FERNANDA TORRES: você não lê, você assiste TV.
J.K. ROWLING: as pessoas que o veem lendo um livro dessa autora, em especial no transporte público, acham que você é um trouxa.
JOSÉ SARAMAGO: um dia você pegou um livro desse cara achou-o superpessimista de fato mas decidiu ir em frente por uma razão muito simples a sua narrativa trazia uma estranheza uma coisa de cara até meio chata mala pentelha ranzinza mas ao mesmo tempo era impossível largar aquela merda até que se soubesse o que aconteceria com as personagens deus que agonia essa maldita falta de vírgulas.
PADRE FÁBIO DE MELO: ave Maria!