Uma crônica de utilidade pública.

(Foto: Arkady Lifshits)

O lado bom do digital é a praticidade e o custo. Contudo, não existe almoço-grátis. Nem na semana do voucher ‘Na Faixa’ do Uber Eats.

No caso dos carros de aluguel via aplicativo, o fator humano é o que estraga tudo. Se esses veículos fossem autômatos, como na série de TV Black Mirror, o site do Reclame Aqui viveria às moscas. Foi por isso que fizemos esta tipologia do motorista digital. Inclusive porque desafortunadamente eles agora usam a digital para outros fins que não os bons serviços de transporte urbano.

MOTORISTA BICHO-PREGUIÇA: o aplicativo mostra que o seu carro chegará em dois minutos e ele leva 20 para estacionar na sua frente. Como se não bastasse, o condutor ainda leva mais dez minutos para inserir o destino no Waze, pentear-se, fazer ligações pessoais e alongamentos para a coluna na calçada antes de partir.

MOTORISTA-GAMBÁ: solta inadvertidamente odores putrefatos no interior do carro durante a corrida e faz cara de gatinho indefeso para não acusar o golpe. Geralmente comete a deselegância depois de ficar mais bêbado que um gambá em algum bar da cidade.

MOTORISTA-CACATUA: fala de um jeito altíssimo e anasalado o tempo todo. Os seus temas são aleatórios e desagradáveis. Podem ir de política à economia ou de religião à esterilização de minorias.

MOTORISTA-SUÍNO: uma variante do gambá. Mas que mete o dedo no nariz, arrota, tosse, escarra fazendo tudo isso com uma mão só. A outra é usada para, de vez em quando, dirigir o veículo.

MOTORISTA-ALCE: tem uma galhada enorme e, durante todo trajeto, fica cantando boleros-dor-de-cotovelo de Lucho Gatica.

MOTORISTA-CORUJA: consegue virar o pescoço 90 graus para trás com a intenção de olhar as pernas das passageiras.

MOTORISTA-DINOSSAURO: tiozão ou tiazona pra lá de sexagenários que se movimentam pesada e molemente pelas ruas.

MOTORISTA-RAPOSA: matreiramente, faz sumir os pertences dos passageiros.

MOTORISTA-ÁGUIA: depois de ter acertado uma corrida com você, enxerga, a quilômetros de distância, um passageiro que quer ir para o aeroporto. Imediatamente corta com as garras a conexão do celular e vai voando caçar a presa mais apetitosa.

MOTORISTA-GIRINO: possui geralmente um Ford K. Apesar de ser um anão no trânsito, passa tirando finas de outros veículos gigantes como um girino ao lado de um tucunaré.

MOTORISTA-JIBOIA: tem uma aparência ok, veste-se de um jeito ok, trata o passageiro de um modo ok, mas quando abre a boca desprende-se um bafejo nada ok.

MOTORISTA-MORCEGO: prefere trabalhar nas madrugadas. E, quando é obrigado a fazer dupla jornada, não enxerga com a luz do dia e fica pedindo orientações ao passageiro sobre a cor dos semáforos, significado dos sinais de trânsito e a mão das vias.