Foto: Luiza Cervenka

 

Próximo a São Paulo, Brotas é uma ótima opção de viagem para tutores e cães. Por ser próxima e poder ir de carro, Brotas pode ser uma alternativa para finais de semana, feriados curtos ou mesmo férias. Descubra os passeios, restaurantes e hospedagem que aceitam cachorro.

Para comemorar meu aniversário, resolvi fazer uma viagem diferente e rápida com minha cachorrinha, Aurora, e meu namorado. Queria um destino com atividades que pudesse levar a Aurora, que não fosse muito distante de São Paulo e nada muito caro. Pensei em diversas possibilidade até 3h de viagem. Mas devido às chuvas, Campos do Jordão, São Luiz do Paraitinga, Monte Verde e São Francisco Xavier saíram da lista de possibilidades. Ir para alguma praia, também não parecia uma boa, devido à grande procura nessa época e altos valores.

Foi, então, que uma amiga sugeriu Brotas. Contou que as pessoas são super adeptas ao movimento pet friendly e quase todos os lugares e passeios aceitam cachorro. Lá fui eu pesquisar. Amei tudo que encontrei. Mas o que me encantou foi a possibilidade de fazer rafting com a Aurora.

Assim, arrumei a minha mala e a da Aurora e pegamos estrada.

Hospedagem

Ficamos hospedadas na Pousada Pé na Terra. Ela foi indicada fortemente por ser a mais tranquila com cachorro. Apesar da regra ser “manter o cachorro na guia”, na prática, os cães ficam soltos e correndo pelo imenso gramado da propriedade.

Há diversos pontos positivos, como a localização, o espaço, a incrível atenção de todos os funcionários (principalmente com a Aurora), mas o melhor: fazer as refeições com a Aurora. Infelizmente nem todas as hospedagens, que aceitam animais de estimação, oferecem espaços para humanos e peludos desfrutarem um belo café da manhã conjuntamente. O mais comum é ter que deixar o pequeno no quarto ou então entrar no restaurante para se servir e sair para encontrar o cachorro.

Foto: Luiza Cervenka

Na Pé na Terra, o restaurante é um quiosque. Na parte interna ou central, onde ficam os alimentos, animais não são permitidos, Mas basta descer o degrau para a parte mais externa do quiosque e sentar em uma das mesas com seu peludo. A vista da piscina e do imenso jardim aumentam o entretenimento do cachorro e dos humanos.

Os quartos não têm luxo, mas são bem confortáveis. A Aurora se sentiu em casa rapidamente. Principalmente após conhecer os gatos e o cachorro que moram na pousada. Nem sentiu falta dos irmãos.

Rafting

No primeiro dia, já corremos para fazer o tão famoso e esperado rafting com cachorro na EcoAção. Após uma breve explanação de formas de remar e primeiros socorros, colocamos nossos coletes (incluindo a Aurora) e seguimos para o rio fazer o mini-rafting. Essa é a única modalidade em que cães são permitidos, devido a segurança.

Foto: Luiza Cervenka

Mesmo no auge dos seus 2,5 kilos, a Aurora se sentiu super segura e relaxou no piso do bote, enquanto passamos pelas corredeiras. Quando chegamos ao Poção, um local amplo com águas calmas, pudemos pular do bote. Aurora pôde demonstrar toda sua habilidade aquática. Mas logo sentiu o frio da água e começou a tremer.

Durante toda a viagem, queria que a Aurora me acompanhasse em tudo, a todo momento. Mas antes de qualquer desejo ou expectativa, coloquei o bem-estar dela. Assim, ao sinal do primeiro tremor, saímos da água, para nos aquecer ao sol.

A estratégia funcionou. Aurora parou de tremer e pudemos voltar ao bote e finalizar o passeio. Na parte final, em um lindo canal com túnel de árvores, pudemos observar um grupo de macacos pregos.

Areia que canta

Após o rafting, fomos almoçar e conhecer a nascente do Hotel Fazendo Areia que Canta. Você não precisa se hospedar na propriedade para usufruir da estrutura. É possível fazer day use ou contratar passeios avulsos. Mas reserve antes. Se chegar direto na portaria, provavelmente não conseguirá entrar. É bem concorrido.

O restaurante tem uma área externa, onde pudemos ficar com a Aurora. Após o almoço, seguimos para a nascente, descobrir como a areia canta. Apesar de não poder entrar na água, devido as regras de preservação do local. Mas mesmo assim ela curtiu a trilha até lá.

Foto: Luiza Cervenka

Seguimos para as cachoeiras. Nessa trilha, levei a Aurora no colo, devido à dificuldade. Porém, chegando a primeira parada, entramos na água e curtimos as quedas d’água. Mais uma vez, a água estava fria e Aurora começou a tremer. Dessa vez, tinha uma toalha para secá-la e aquece-la. Assim, eu voltei para a água, mas sem ela. Sempre garantindo o conforto dela.

Foto: Luiza Cervenka

Mesmo na região chamada prainha, com água calma e rasa, preferi não colocá-la na água novamente. Eu, sim, fui curtir a área de hidromassagem e cachoeira.

Viva Brotas

Uma das pousadas mais novas da região, a Viva Brotas reúne cachoeira e atividades radicais. Apesar de não estarmos hospedados lá, pudemos passar o dia e curtir todas as possibilidades oferecidas.

Pela manhã, fizemos a trilha de 800 metros até chegar a cachoeira. Aurora amou a trilha e a lama da cachoeira. Ela não curtiu a força dos 47 metros de queda de água da cachoeira. Preferiu a piscininha formada na parte inferior da cachoeira.

Na hora do almoço, a surpresa: não pudemos entrar no restaurante, mesmo sendo todo aberto. Cães não são permitidos. Devem almoçar no andar debaixo, em uma mesinha colocada na recepção, no meio do vai e vem de pessoas. Encontramos um labrador bem fofo almoçando com seus tutores na mesa ao lado.

Foto: Luiza Cervenka

Após o almoço, descansamos no redário. A Aurora não pôde me acompanhar nas atividades da tarde. Ficou com meu namorado, enquanto eu fiz o cachoeirismo (rapel) e a tirolesa. Se você pretende fazer os passeios oferecidos, sugiro ir com alguém que possa ficar com o cachorro.

Eco Parque Cassorova

A melhor infraestrutura da viagem, o eco parque tem diversas atividades, além do day use com direito a cachoeiras e piscina. A única regra para o cachorro é ficar na guia nas trilhas. Mas com 1.500 metros de comprimento, a Aurora cansou e foi para a mochila. Só saiu quando chegamos a primeira cachoeira, a dos Quatis. Com áreas para todos os gostos, a Aurora preferiu ficar nas pedras com águas rasas e mais calmas.

Na volta, deixei a Aurora correr pelo pomar. Acredita que ela voltou correndo para a trilha da cachoeira?! Acho que ela gostou do passeio. Mal sabia ela que iríamos para outra cachoeira, eleita a oitava mais linda do Brasil, a Cassorova.

Com trilha toda calçada e com corrimão, o caminho para a cachoeira Cassorova é mais curta, mas não menos bela. São duas áreas: a de flutuação e da hidromassagem. Com 120 metros de queda d´água, a Aurora não quis chegar nem perto. Morreu de medo do forte barulho e dos intensos respingos. Por isso, eu entrei sozinha e ela ficou confortável com o meu namorado.

Foto: Luiza Cervenka

Na hidromassagem, eu entrei com a Aurora no colo. Foi o local que ela se sentiu mais confortável. Mas nada de entrar embaixo da cachoeira. Para deixa-la mais calma e fugir da chuva, voltamos a sede do parque. Quando chegamos, coloquei a Aurora no chão e, para minha surpresa, ela saiu correndo para voltar para a trilha. Ela amou os cheiros e novidades encontrados no parque.

Parque dos Saltos

No centro de Brotas há o Parque dos Saltos. Pode ser público, não precisa de reserva e nem é pago. Basta estacionar o carro na rua, pegar uma pequena trilha e se divertir nos diversos pontos do parque. São inúmeras cachoeiras e piscinas naturais. O banho é obrigatório, inclusive para a Aurora. Ela gostou de pisar na pedra com água, e fugiu da cachoeira. O que ela mais amou mesmo foi passear e curtir a trilha calçada.

Foto: Luiza Cervenka

Restaurantes

Perguntei para diversas pessoas sobre restaurantes que aceitam pets. Não tive nenhuma indicação específica, mas disseram que muitos locais são pet friendly. Tentei ir no Brotas Zen, mas estava fechado. Por isso, seguimos para o restaurante Camillo, cujo dono é o irmão do cantor Daniel.

Ao chegarmos, não vimos mesa na área externa. Mas quando viram a Aurora, rapidamente montaram uma mesa com guarda-sol no deck externo. Com comida deliciosa, a Aurora aproveitou para dormir embaixo da mesa.

Foto: Luiza Cervenka

Antes de pegar estrada, fomos até o Tavolaro. Lá há uma área pet, onde podemos almoçar e nos deliciar com as diversas opções gastronômicas locais.

Normalmente, almoçamos nas cachoeiras ou locais de day use. Quase todos são pet friendly. A noite, a maior parte das hospedagens oferece alguma opção. Para quem quiser passear, há diversas opções de lanches, pizzas e bares no centro. Muitos também aceitam os peludos.

Dicas

Brotas é indicada para humanos e cães de diversas idades e níveis de energia. Porém, quem mais curte são os mais animados e destemidos. E, principalmente, os que amam água. Mesmo assim, alguns itens são de extrema importância.

Levar toalha, potinho de água, cata caca e comida é o básico. Mas uma mochila para levar o peludo, caso ele canse, pode garantir o bem-estar de todos. Eu levei o sling da Cachorraria e a mochila da YellowPet. Ambos desenvolvidos especificamente para carregar cachorro.

Por mais que você queira muito que seu cachorro vá em algum lugar ou faça uma certa atividade, ao observar qualquer desconforto, aborte a missão. O bem-estar deles deve ser o primeiro a ser observado. Afinal, nós que estamos colocando em situações diferenciadas. Não foram eles que acordaram com olhinhos de gatinho do Shrek e pediram para ir para Brotas. Porém, quem vai e conhece as delícias dessa terra, sempre quer voltar!