husky

Foto: Canil Volk Plato

A origem da raça Husky Siberiano é, obviamente, a Sibéria. Há milhares de anos, os huskies foram especialmente desenvolvidos para puxar trenós, em condições de frio extremo. Também faziam companhia às crianças, por isso a sua docilidade característica.

Segundo Daniel Barbosa Pereira, criador da raça no Canil Volk Plato, explica que em 1887, esses cães migraram da Sibéria asiática rumo ao Alasca e começaram a se popularizar pelo mundo. Alguns anos mais tarde ajudaram a salvar a população da aldeia de Nome, quando levaram medicamentos e suprimentos aos habitantes isolados por uma tempestade, percorrendo os 1.600km.

A raça se desenvolveu mais nos EUA, até se tornar o que conhecemos hoje. O padrão oficial da raça, que define as características de um husky siberiano, foi definido em 1930.

No site da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), é possível encontrar informações sobre a raça Husky Siberiano. No documento diz que o Husky é um cão de trabalho, de porte médio, sendo rápido e ligeiro. Seu movimento é fluente e gracioso. Seu corpo moderadamente compacto com pelagem densa. Suas orelhas são eretas e a cauda em pincel revelam sua herança nórdica. As proporções e as formas de seu corpo refletem esse equilíbrio básico de força, velocidade e resistência. Em condições ideais, com sua musculatura firme e bem desenvolvida, o Husky Siberiano não deve parecer pesado.

Os machos podem chegar a 60 cm (do chão aos ombros), enquanto as fêmeas dificilmente passam dos 56 cm. Os machos costumam pesar de 20,5 kg a 28 kg. Já as fêmeas são mais leves, entre 15,5 kg e 23 kg.

Segundo Daniel, são cães muito curiosos e extremamente dóceis com crianças e estranhos. Animais pequenos podem virar alvo de brincadeiras de caça.

O Husky Siberiano solta muito muito pelo?

Apesar de serem peludos, os Huskies não podem ter pelos longos. A pelagem é dupla, com pelo e subpelo, que atua como um isolante térmico.

Segundo Daniel, não é incomum você encontrar um husky dormindo tranquilamente sob o Sol do meio-dia, assim como sob a chuva ou sob o sereno. “Claro que eles preferem baixas temperaturas, e não devem ser expostos ao calor excessivo” alerta. Por todo esse papel dos pelos, é muito importante que o tutor não queira tosar ou raspar seu Siberiano.

Os cães da raça Husky Siberiano trocam a pelagem 2 vezes por ano, como decorrência das oscilações de temperatura do inverno e verão do hemisfério norte, de onde são originários. “Nessas épocas o volume de pelo eliminado é muito grande, demandando escovações diárias para diminuir a quantidade de pelos voando pela casa” conta Daniel.

As cores (pelo e olhos) do Husky Siberiano

Nos anos 90, muitas pessoas criavam Huskies Siberianos, devido aos seus olhos azuis. Segundo Daniel, alguns poucos criadores daquela época ainda permaneceram fiéis aos siberianos.

Os cães da raça Husky Siberiano podem ter várias cores de olhos, um olho de cada cor (heterocromia) ou até duas cores em um mesmo olho. Os olhos podem ser azuis, castanho escuro, castanho bem claro, ou combinação dessas cores, em cada olho ou mesmo em um único olho, que poderá ser parte azul e parte castanho, por exemplo. “Cada husky é único!” se alegra Daniel.

Isso acontece porque eles possuem um fator genético chamado quimerismo, que se caracteriza pela ausência de genes dominantes ou recessivos.

Quando falamos de pelagem, os siberianos podem ter uma grande variedade de cores e marcações. A maioria possui as patas, peito e barriga brancos, podendo o dorso ser preto, cinza, vermelho, vermelho claro ou quase branco. Todas as variações de tons das cores citadas acima são permitidas.

husky

Foto: Canil Volk Plato

Quais as doenças mais comuns dos cães da raça Husky Siberiano?

De modo geral são muito saudáveis. Mas sempre há a necessidade de reforçar a importância de uma alimentação equilibrada, vacinas de boa qualidade e vermifugações regulares.

Mesmo com todos esses cuidados, os Huskies podem apresentar doenças oftálmicas. Catarata juvenil, glaucoma e distrofia corniana são alguns exemplos. Geralmente tudo isso pode ser evitado com um acompanhamento adequado da criação, de modo a não colocar em reprodução exemplares que apresentem histórico do problema.  Por esse motivo é importante que, ao pensar em adquirir um Siberiano, procure criadores que façam controle para doenças oftálmicas geneticamente transmissíveis.

Qual o temperamento dos cães da raça Husky Siberiano?

Os siberianos são curiosos, dóceis e amáveis. Eles têm muita energia, mas quando estão com sono, são capazes de nem mesmo acordar com a chegada de um estranho.

Possuem uma energia ilimitada, capazes de correr por horas. Amam brincar e têm muita paciência com crianças.

São carinhosos, mas possuem vida própria. Eles vão dar e receber carinho, mas também terão o seu momento, de explorar o mundo, seguir bichinhos e fazer suas traquinagens.

O tutor de um husky deve ter disponibilidade para gastar a energia do seu cão, com longas caminhadas, passeios de bicicleta, corridas, trilhas ou muitas brincadeiras.

huskies famosos

Dom e Rox

Dom e Rox, os Huskies famosos

Nada disso é novidade para o engenheiro de produção, Bruno Carboneiro Rosa e para a administradora Beatriz Lopes Frachetta. Eles são os pais do Dom e da Rox, os irmãos Huskies mais fofinhos do Instagram.

O Dom foi um desejo do Bruno de ter novamente a raça que havia tido na infância. Já a Beatriz, nunca tinha tido contato com husky, e sonhava com um Golden Retriever. O  acordo foi: primeiro o husky, e o segundo cachorro seria um Golden. Mas os lobinhos ganharam o coração da Beatriz, que se apaixonou pela raça e, depois do Dom, pegou a Rox.

A maior dificuldade deles é referente à alimentação. “Não pode nada que contenha corantes e conservantes, até mesmo os petiscos passam por esse cuidado na hora de comprar. Embora eles comam alimentação natural que é mais variada e palátavel, a raça é conhecida por ter períodos em que se recusam a comer” conta Beatriz.

família de huskies

Família apaixonada por Husky

Os passeios são diários. Segundo eles, tem que ser O passeio. “Pelo menos 1 hora na rua com eles, e de preferência com uma parada em algum cercado onde eles possam correr sem guia. E brincadeiras em que eles interajam conosco, seja cabo de guerra, seja esconder ou pega-pega. Fora isso, eles têm à disposição uma variedade de brinquedos para brincarem sozinho ou entre eles” relatam.

A pergunta que o casal mais escuta é se pode ter Husky em apartamento. “Para viver em um espaço reduzido, deve haver comprometimento de passeios diários, se houver a possibilidade de deixá-lo numa creche alguns dias da semana ou contratar um passeador pode ser uma boa opção. Ter conhecimento de enriquecimento ambiental e ter brinquedos adequados para preencher o tédio nos momentos em que ele precisar ficar sozinho vai salvar seus móveis e sua relação com os vizinhos, pois um husky sozinho, chateado, entediado e cheio de energia, é certo que vai uivar, e muito” alerta Beatriz.

A paixão não é só pela beleza, mas pela personalidade. “São muito inteligentes e expressivos! Cheios de manias, e resmungos e caras e bocas, para eles não se aplica a expressão ‘só falta falar’ porque eles falam, com as caras e resmungos, basta você prestar atenção para entender. Não passa um dia sem darmos risadas com eles” se alegra Beatriz.

Para finalizar, Beatriz deixa uma dica: “Assim como qualquer raça, pesquise bastante! Pesquise o canil onde vai comprar, tenha certeza de são comprometidos com o que fazem, que as matrizes são bem tratadas e que os exemplares são saudáveis. Tenha muita certeza da sua disponibilidade para esse compromisso, tanto financeira quanto de tempo para dedicar a eles. Os Huskies, como qualquer cachorro, precisam de boa alimentação, cuidados veterinários e da sua atenção as necessidades dele – passear, brincar, aprender”.