filhote de beagle

O Beagle foi criado para ser caçador – Foto: Canil Banrrove Beagles

Fui atender um filhote de beagle, em um apartamento. Minha primeira surpresa foi encontra a raça. A segunda, foi ver a casa intacta, sem móveis roídos. Com fama de destruidores, os beagles podem se tornar um problema, se não tiverem seus comportamentos naturais atendidos.

Originários da Grã-Bretanha, os beagles são classificados no padrão FCI (Federação Cinológica Internacional) como cães Sabujos Farejadores.

Segundo a criadora Priscilla Teixeira Cançado Pacheco, do canil Banrrove Beagles, a raça advém do grande Foxhound, possuindo instinto nato para caça. “O Beagle marcou presença significante durante o reinado do Rei Henrique XIII e Rainha Elizabeth” pontua.

Não existe mini beagle. Para entender melhor sobre a raça, clique aqui.

beagle adulto e um filhote

São cães robustos e muito alegres – Foto: Canil Banrrove Beagles

Características físicas dos beagles

Priscila conta que é criadora filiada a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia ) e a FCI. Por isso, segue o padrão da raça estipulado por tais entidades. O qual tem como objetivo o desempenho correto e natural das funções da raça.

“O padrão não existe somente para ‘separar’ o cão de raça pura do mestiço, ele mostra quais as características ideais para que o cão consiga desempenhar sua função com facilidade e sem prejudicar sua saúde” explica.

O cão da raça beagle é de porte médio, robusto, de construção compacta. Possui uma cabeça poderosa, sem ser grosseira e mais refinada nas fêmeas. A trufa (nariz) é larga e de preferência preta, pode ser mais clara nos bicolores. Os olhos têm uma expressão meiga e suplicante, de cor marrom escuro ou avelã. As orelhas são a parte que mais se destaca no Beagle, são longas, graciosamente caídas e rentes á face. E são uma delícia de dar uns afagos.

O beagle possui pêlo curto e denso, podendo ser tricolor (preto, castanho e branco), bicolor (limão e branco, vermelho e branco ou laranja e branco) dentre outras cores menos comuns descritas no padrão FCI.

No geral, cães dessa raça são muito saudáveis e não costumam apresentar doenças facilmente.

dois filhotes de beagle

Muito ativos, os beagles têm fama de destruidores – Foto Canil Banrrove Beagles

Comportamento do Beagle

Segundo o advogado e criador da raça, Bruno Mourente, o cão da raça beagle é alegre. Sua função essencial é a caça à lebre, seguindo seu rastro. Mas também é um excelente cão de companhia.

É corajoso, com grande atividade, vigor e determinação. Também é alerta, inteligente e possui um temperamento equilibrado. Amável e vigilante, não demonstra nem agressividade, nem timidez.

“Beagles são inteligentes, mas, como resultado de serem criados para longas caças, são obstinados e determinados, o que pode torná-los difíceis de treinar” expõe Bruno.

A injusta fama de serem arteiros, segundo Priscilla, se deve ao fato de ser um cão com muito vigor, e que gosta de estar sempre brincando e interagindo.

“Quando o proprietário do beagle não oferece a ele formas de gastar sua energia, ou o mantém preso e sem atenção, o cão tende a procurar uma distração, e acaba fazendo “artes”, que para ele são brincadeiras” elucida.

O correto é oferecer ao cão brinquedos, cordas, ossos, que possam ser mordidos, e não tentar impedir que ele se comporte da forma que, para ele, é totalmente natural e necessária.

Beagle em apartamento?

Priscilla e Bruno são enfático ao dizer que sim, é possível criar em cão da raça beagle em apartamento. Mas desde que o tutor se atente para as necessidades de gasto energético do animal. Passeios diários, Enriquecimento Ambiental e muita paciências são necessários para ter um cão saudável, sem tantas surpresas desagradáveis.

Segundo Priscilla, um beagle com boa genética e boa procedência já é meio caminho andado. “Ele sendo saudável, precisa apenas de boa alimentação na quantidade certa (ração de qualidade ou alimentação natural balanceada), água fresca, escovação dos pêlos pelo menos 1 vez na semana (se puder ser mais vezes, melhor), vermifugação e vacinas em dia, controle de parasitas (ex.: pulgas e carrapatos), oferecer ambiente, arejado, limpo e confortável, passeios, brincadeiras, distrações, enriquecimento ambiental e muito, muito amor” comenta.

E por falar em comida, vem daí mais uma fama do beagle, de ser guloso, com tendência à obesidade. Na verdade, qualquer cão com pouca atividade e que come mais do que o necessário, tem tendência a ficar gordo.

O beagle precisa de atividade. Muitas vezes, a alimentação é uma das poucas oferecidas a ele. Assim, tenderá a comer muito e rápido. Se o tutor não se atentar para a quantidade correta de alimento e não fizer os exercícios necessários, realmente retermos um beagle gordo.

Mais uma vez vale ressaltar que a responsabilidade do bem-estar e qualidade de vida dos cães é nossa, tutores. Se algo não estiver bem com ele, precisamos reavaliar seu ambiente e nossa conduta.