Amber/Creative Commons

A humanização dos cães chegou ao seu auge: sapato para cães! Botas, meias, tênis e sandálias são algumas opções encontradas em pet shops e e-commerces. Mas será que pode ou é exagero humano?

A reação de quem encontra um cachorro andando de sapatinho na rua é sempre extremante oposta. “Aaaahhhh, que fofoooo!!!” ou “Jesus, que horror! Coitado!” são as duas únicas possibilidades. Mas o que está por trás delas?

Quem acha fofo, gosta da possibilidade do animal estar cada vez mais parecido com o seu humano. Ama a versão do bebê cão. Nem sempre essa pessoa pensa sobre o bem-estar ou sobre a real necessidade daquele objeto. Mas confessa, vai?! Dependendo do modelo, é bem engraçadinho um doguinho desfilando de All Star por aí.

heri Terris/Creative Commons

Mas não podemos deixar de falar da reação oposto: o famoso “tadinho!”. Para justificar tal posicionamento, muitos se baseiam de que sapato não é natural ao animal. Mas o que é natural?! Viver sozinho dentro de apartamento, andar no asfalto e comer ração?!

Não podemos negar que a vida dos cães mudou muito. Eles não vivem mais como os seus parentes lobos. É preciso se adaptar à realidade, ao jeito moderno de viver. Não apenas dos animais, mas nosso também.

O mais importante é questionarmos cada item utilizado nos nossos peludos. Não ir por moda, tendência ou ícones pets. Sempre consulte o médico veterinário e pesquise sobre o assunto. Quanto mais informação com credibilidade, melhor.

Eu uso na minha cachorra!

Sim, eu uso sapatos na minha cachorra. Pode me julgar. Mas antes, vamos aos fatos:

Aurora, minha chihuahua de pelo longo é especial. Após uma fratura na coluna e um derrame, ela perdeu os movimentos das patas traseiras. Com muita fisioterapia, paciência e carinho, ela voltou a andar. Porém, ela ainda arrasta uma das patinhas. Quando andamos no parque ou em locais com piso rústico, seus diminutos dedos ficam esfolados, chegando a sangrar.

Assim, eu uso apenas um sapatinho nesta patinha que ela arrasta. Além de manter a patinha intacta, dá mais segurança e estabilidade para ela apoiar a pata. Isso porque, normalmente, os sapatinhos são antiderrapantes.

Dessa forma, cães especiais ou com alguma dificuldade de locomoção estão super liberados para usarem os famosos sapatos pets. Mas não é qualquer modelo. Deve ser bem confortável, que não esquenta a pata e que seja antiderrapante em todos os lados.

Amy/Creative Commons

Qual outra situação também pode?

Acho que alguém está mudando de opinião sobre os calçadosss…

Um dos grandes problemas no verão é na hora do passeio. Sair para dar uma voltinha ao longo do dia ou ao final da tarde pode machucar a patinha dos peludos. A temperatura do piso ou mesmo do asfalto pode queimar os coxins (aquelas almofadinhas da pata), causando ferimentos graves.

Como não queremos prejudicar as patas, muito menos o passeio do nosso amigo, podemos utilizar sapatos para garantir a saúde da fofura.

Nesse caso, devemos ter ainda mais cuidado! Muitos modelos não isolam o calor entre o cão e a pata. Outros, ainda piores, podem grudar nos coxins em contato com altas temperaturas. Não estamos falando do modelo mais bonito. Mas aquele que dá mais segurança para nosso pequeno.

Alex Beattie/Creative Commons

Qual o melhor modelo?

Infelizmente não há um modelo ideal (não que eu conheça). O que eu coloco na Aurora é ótimo, mas deixa a pata dela muito suada, pois não há nenhum tipo de ventilação. Ainda estamos a procura do perfeito. Quando achar, eu volto aqui para contar.

Meu cachorro O-D-E-I-A sapato!

90% das mulheres odeiam sutiã. Isso porque não é natural sua utilização. É um treco apertando onde não deveria, com tecidos estranhos, e modelos diversos. No nosso caso (das mulheres), fomos meio que obrigadas a usar por nossas mães. Ninguém dava um sutiã e um chocolate. Assim não tem como gostar, né?!

Já no caso dos cães…

A gente pode ensiná-los a gostar de sapatos. Coloque apenas um e brinque com ele. Outro dia, coloque dois, e ofereça algo que ele ama comer. No terceiro dia, coloque três e saia para um passeio super divertido. O quarto? Só se for muuuito necessário. Ele pode entrar no terceiro em um quarto dia.

Russ Allison Loar/Creative Commons

Quando NÃO usar sapato?!

Em todos os outros casos não citados. Muito menos o tempo todo!

“Ah, mas é tão fofinho. Não pode?” NÃO!

“Mas eu não quero sujar a pata do meu cachorro. Posso colocar?!” NÃÃÃO!!

“Meu cachorro é meu bebê, posso colocar sapato?!” NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOO!!!

Se seu peludo não tem problema de locomoção ou ortopédico e só passeia em temperaturas amenas ou no parque, nada de sapato nele, viu?! É super importante que os cães tenham o tato dos diferentes pisos. É um baita enriquecimento ambiental para ele.

Me siga por aí:

Instagram: @luizacervenka

Facebook: @bichoterapeuta

Youtube: Luiza Cervenka