cachorro comendo petisco

Quarentena pode facilitar ganho de peso – Łukasz Hejnak/Creative Commons

Durante o período de quarentena e isolamento social, os tutores precisam redobrar a atenção com um assunto que impacta diretamente na saúde do animal: o manejo alimentar.

Humano em casa, sinal de petisco liberado! Mas será que esse excesso de “mimos” pode impactar na vida do pet?

A orientação é para que as pessoas fiquem em casa e evitem aglomerações, por conta da pandemia do novo coronavírus. É nesse momento que o monstro da fome aparece e te faz comer o triplo do que necessitava. O mesmo pode acontecer com o pet. Isso porque ele associa a nossa presença com comida e agrados, mais conhecidos como petiscos. Com a baixa frequência ou ausência de exercícios físicos dos animais, diminui o gasto de energia. Mais comida e menos exercício é a formula perfeita para o resultado ser ganho de peso. Surge aí uma grande questão: como evitar que eles se tornem obesos?

“É importante ressaltar que não é aconselhável trocar a alimentação dos animais em situações de estresse e mudanças de rotina”, destaca o médico veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremierPet. Segundo Flávio, manter o alimento habitual é a melhor conduta, exceto se houver outra indicação do médico veterinário.

Os números não negam

Segundo uma pesquisa feita pela da Hill’s Pet Nutrition, em parceria com a Cão Cidadão, 24,72% dos donos de cães e gatos no Brasil consideram que seus pets estão acima do peso. Com 9320 participantes, sendo 69,77% donos de cães e 30,23%, de gatos, o levantamento indica que muitos tutores de animais não sabem identificar quando o cão ou o gato está acima do peso. Isso porque 41,04% dos entrevistados classificam seus pets com as condições corporais 7 e 9, após analisarem a tabela de Escore Corporal. De acordo com as diretrizes nutricionais do WSAVA – Associação Mundial de Veterinários para Animais Pequenos (tabela de Escore Corporal abaixo), são condições corporais que indicam sobrepeso. Os Escore de condição corporal de cães e gatos vai do nível 1 (desnutrido) até o 9 (obeso).

escore corporal de cães

Tabela da WSAVA para score corporal para cães

escore corporal de gatos

Tabela da WSAVA para score corporal de gatos

Como descobrir se meu pet está gordo ou com sobre peso?

Há um teste simples, com quatro passos que pode ser feito aí na sua casa. Veja cada detalhe nesse vídeo.

Qual quantidade de alimento oferecer ao pet?

Segundo Flávio, a quantidade ideal varia de acordo com o peso, idade, nível de atividade física do animal e quantidade de energia disponível no alimento. No verso das embalagens está a orientação de consumo diária. DIÁRIA, viu?! Não é por refeição. É muito importante seguir a recomendação.

Tá em dúvida? Veja esse vídeo.

Como gastar energia dentro de casa?

Pets habitualmente ativos podem se entediar facilmente com a falta de passeios. Por isso, a dica é promover atividades dentro de casa, investindo no enriquecimento ambiental. Atualmente existem diversas opções de brinquedos (e até tutorias na internet para fazê-los em casa) que estimulam a movimentação, a atenção e o gasto energético durante a quarentena. Além dos brinquedos, é importante reservar um período do dia para promover brincadeiras de interação com seu pet.

Quer mais dicas? Veja este vídeo.

Petisco pode ser o vilão!

Segundo Flávio, os tutores devem estar muito alertas para não compensar a ausência de passeios com petiscos em excesso. Isso pode fazer com que os pets ganhem peso rapidamente, o que é um risco para o desenvolvimento de problemas de saúde. É necessário evitar o exagero e a regra é não ultrapassar 10% das calorias diárias dos pets com petiscos. Seguindo este cuidado, os animais continuarão saudáveis.

Entre os entrevistados da pesquisa, 35,46% disseram oferecer petiscos aos seus cães e gatos todos os dias – outros 25,30% oferecem em um ou dois dias da semana. Além disso, 24,45% dos tutores costumam complementar a ração do animal com algo. Eles geralmente fazem isso sempre ou, então, quando o cão não está comendo tudo. “Oferecer petiscos em excesso, seja todos dias ou em alguns dias da semana, colabora para o ganho de peso excessivo do animal”, comenta Brana Bonder, supervisora de Assuntos Veterinários Hill’s Pet Nutrition.

cachorro ganhando petisco

Petisco altera a quantidade calórica ingerida – Alexis Gallisá/Creative Commons

Já os gateiros, costumam oferecer menos petiscos, quando comparados aos tutores de cães, de acordo com o estudo. Apenas 18,64% dos tutores oferecem guloseimas todos os dias e 23,18%, em um ou dois dias da semana. Entre os petiscos mais oferecidos aos gatos estão: petiscos felinos (53,28%), carne – crua ou cozida (14,16%), atum ou outro peixe – seja em lata ou não (10,57%) e iogurte ou leite (6,57%).

O que fazer se meu pet já está obeso?

“Somente o veterinário pode dar o diagnóstico e fazer o planejamento do tratamento de obesidade do animal. Utilizamos o escore de condição corporal porque é uma ferramenta fácil e prática no dia a dia e o tutor consegue também ser envolvido no processo de identificação e conscientização do problema”, afirma Bonder. “Fatores como a castração, a idade do animal e doenças concomitantes influenciam no desenvolvimento da obesidade. Mas, no geral, o sobrepeso é resultado da combinação entre pouco gasto energético e ingestão calórica excessiva”, explica.

gato obeso

gato muito gordo – 紫流/Creative Commons

Ou seja, não há milagre. É preciso oferecer uma dieta balanceada e fazer exercícios diariamente, mesmo durante o isolamento social. Seguindo essas dicas e estabelecendo uma nova rotina dentro de casa, os pets se manterão saudáveis durante a quarentena.