Marie Mundaca/Creative Commons

Uma pesquisa mostrou que tutores de cães e gatos gastaram, em média, R$ 150,00 no último mês com seus peludos. Mas quanto será que custa por mês a vida de um cachorro?

Da mesma forma que com pessoas, há diferentes estilos de vida. Cada um tem seu valor. Mas alguns itens de primeira necessidade não devem ser deixados de lado. Antipulga, alimentação, banho e veterinário devem constar na lista de gastos frequentes.

Algumas pessoas, com o intuito de economizar, acabam comprando uma alimentação mais barata ou mesmo indo menos ao médico veterinário. Atitudes como essa apenas postergam o gasto. A conta chegará quando o animal ficar mais velho. Por isso, a dica é investir em uma boa alimentação e visitas frequentes ao médico veterinário, com check-up anual, para prevenir qualquer possível problema.

Quem gasta mais: homens ou mulheres?

Comida, brinquedos, roupas e adereços… passando por banho e tosa, remédios e consulta com o veterinário. Não faltam motivos para abrir a carteira e incluir despesas no orçamento quando o assunto são os animais de estimação. Isso é o que demonstra uma pesquisa do aplicativo financeiro Guiabolso, com 235 mil usuários de todo o Brasil.

Os números preparados para este Dia Mundial dos Animais (comemorado em 4 de outubro) revelam que o brasileiro gastou mais com os pets em setembro, tanto em relação ao registrado no começo do ano como quando comparamos com os valores de setembro de 2018.

Em um ano, os gastos subiram pouco mais de R$ 10. Nesse mesmo intervalo de tempo, o total de usuários com algum tipo de gasto também aumentou ligeiramente. Passou de pouco mais de 1,75% para quase 2,15%.

Travis Nicholson/Creative Commons

“Não é segredo pra ninguém que os pets já são parte da família. Em muitos casos são os últimos afetados numa situação que exige corte de gastos. Prova disso está no aumento gradativo das despesas com eles desde setembro do ano passado”, revela o diretor de produto e tecnologia do Guiabolso, Julio Duram.

E na hora de fechar a conta e pagar pelos produtos ou serviços consumidos, os homens são maioria. De cada 10 usuários com esse tipo de gasto, seis costumam ser homens.

“O tipo de gasto com os animais de estimação continua sendo um pouco diferente de outras despesas do dia a dia do brasileiro. Normalmente existe um gasto expressivo mensal ou a cada 60 ou 90 dias com alimentação e não pequenos valores que são gastos quase todos os dias”, compara Duram ao lembrar de despesas como as de aplicativos de transporte.

Terrah/Creative Commons

Poupança pet

Não sou daquelas que entra no pet shop e sai comprando tudo de mais fofo para o cachorro. Sou bem ponderada (para não dizer pão dura). Inclusive nem faço compras todos os meses. Essa é uma forma de economizar. Ao invés de comprar sacos de um ou três kilos de ração, compro os de 7kg para os gatos e 12 kg para os cães. Pode parecer besteira, mas consigo preços muito mais acessíveis e ainda parcelo no cartão.

O mesmo é possível fazer com antipulgas (tem packs promocionais com três pipetas ou até aqueles que duram vários meses). Também é possível fazer pacotes de banho em diversos pet shops e diminuir o gasto mensal.

A única coisa que não dá para economizar é na hora que o pequeno precisa de veterinário. Esse foi meio caso recentemente. Minha cachorrinha começou a apresentar falta de apetite, enrolando muito para comer, mesmo a sua ração favorita. Ao perceber, já marquei consulta com a veterinária. Com diagnóstico de fratura de dente e doença periodontal, a cirurgia era o único caminho.

Bennilover/Creative Commons

Entre exames pré-operatórios, anestesia, cirurgia e medicação, lá se foram quase R$ 2.000,00. Para muitas pessoas esse valor não esperado poderia quebrar o orçamento familiar. Mas é possível se prevenir para esse tipo de emergência com a poupança pet. Incluir R$ 50,00 ou R$ 100,00 no orçamento mensal, mas sem gastar com os itens de primeira necessidade. Esse valor ficará guardado, em uma poupança (ou outro tipo de investimento que você prefira), para ser utilizado em momentos como esse: uma cirurgia não esperada, uma consulta com especialista, ou até mesmo um exame ou medicamento mais caro.

É possível criar um gato, por exemplo, gastando menos de R$ 50,00 por mês. Mas será que todas suas necessidades estão sendo atendidas. Eu acredito que se é para tirar um animal da rua, deva ser para oferecer uma vida ainda melhor a ele, com alimentação de qualidade, brinquedos e a maior qualidade de vida possível.