gato no veterinário

Levar o pet ao veterinário é mais que cuidado é demonstração de afeto – Jeffrey Beall/Creative Commons

Ter um pet em casa é sinônimo de receber muito carinho e amor. Mas também representa a necessidade de ter atenção redobrada. Afinal, para garantir o bem-estar e a saúde deles, é necessário despender de cuidados específicos, como por exemplo a ida regular ao veterinário. Esse hábito exerce papel de grande importância para garantir a qualidade de vida dos bichinhos sob tutela humana.

É comum encontrar quem acredite que a ida ao veterinário só é necessária quando os tutores detectam algo de errado com a saúde de seus pets. Visitar o médico de forma preventiva pode ser a solução para evitar doenças futuras, ou ainda detectar algum problema, como a presença de bactérias ou parasitas, logo no início, facilitando o processo de tratamento.

Daniel Cooper, médico veterinário e diretor de operações do Plano My Pet, esclarece que é comum que em determinado estágio da vida algumas doenças acometam os animais. “Infelizmente, quanto mais tardio o diagnóstico, menores são as possibilidades de estabilização ou até mesmo remissão de algumas doenças. Levar os pets regularmente ao veterinário pode ser um fator determinante para o reconhecimento precoce de alterações na fisiologia e direcionar um tratamento antes mesmo da manifestação clínica apresentada”, explica, deixando claro que prevenir sempre será o melhor remédio.

Em condições de saúde normais, existem intervalos de tempo ideais a serem respeitados entre uma e outra ida ao veterinário. Nos primeiros seis meses do pet, quando ele ainda é considerado um bebê, são indicadas visitas mensais para acompanhar o desenvolvimento. A partir dos sete meses, período no qual o animal de estimação já passa a ser considerado jovem, a frequência cai para uma média de uma vez por ano.

O pet passa a ser tratado como adulto a partir do primeiro ano de vida e idoso a partir dos sete anos de idade, na maioria das raças. Nesse momento, em que o envelhecimento do organismo leva a uma fragilidade maior, o aparecimento de doenças é mais propício. Assim, recomenda-se levá-lo ao veterinário uma vez a cada seis meses. Este hábito pode ser determinante para prolongar a vida do animal de forma saudável.

Isso se torna ainda mais latente quando falamos de gato. Se um cachorro tem uma dor, na maioria das vezes, ele irá deixar do comer, ficar mais quieto, não querer executar atividades que amava, como brincar. Todas essas mudanças de comportamento são alertas de que algo não está bem como o animal e devemos levá-lo imediatamente ao médico veterinário.

gato no veterinário

Gatos escondem quando estão com dor – Finn Frode/Creative Commons

Todavia, os gatos são profissionais na arte de esconder sinais de dor e desconforto. Isso se deve ao fato de, além de ser predador, eles são presas. Assim, demonstrar alguma fragilidade pode colocar em risco a sua vida, pois poderá ser abatido com mais facilidade. Claro que na nossa casa não tem nenhum predador de gato, mas esse é um comportamento natural, que, para mudar, levaria milhares de anos.

Quando um gato demonstra sinais de dor é porque já está muito ruim. Por isso, é ainda mais importante levar os gatos ao médico veterinário para conseguir detectar possíveis doenças no início, antes mesmo de haver sintomas aparentes.

Veterinário: amigo ou inimigo?

Hoje em dia, diante do crescimento do mercado veterinário e do aprimoramento dos serviços para pets, a consulta periódica não é mais sinônimo de sair de casa para levar ao consultório. Para facilitar a vida dos tutores e dos bichinhos de estimação, é possível solicitar ao profissional a ida até a residência, fazendo tudo que acontece no consultório, em casa.

No ambiente conhecido e seguro, o animal pode ficar mais relaxado e permitir com mais tranquilidade ser examinado. Isso se torna ainda mais verdade para gatos que odeiam sair de casa.

Há diversas possibilidades para minimizar o estresses dos pets durante a consulta do veterinário, seja em casa ou no consultório. O que não pode é deixar de levá-lo para fazer check-ups. A saúde no nosso pequeno é de nossa responsabilidade!