filhote de golden com coleira

Evite coleira de pescoço – ccho/Creative Commons

São infinitos os modelos de coleiras disponíveis no mercado pet. Além de lindas estampas, há uma gama enorme de peitorais, cabresto, coleiras de pescoço, enforcadores e até roupinha-coleira. Mas qual é a melhor para o seu cachorro? Vamos por exclusão!

Como escolher uma coleira para seu cachorro?

Posso te falar quais você não deve escolher de jeito nenhum. Diversos estudos mostram os malefícios de utilizar coleiras que seguram somente pelo pescoço. Tanto cães que puxam, como aqueles que não puxam podem sofrer os mesmos problemas, como aumento da pressão intra-ocular, colapso de traqueia, comprometimento de cervical e coluna, além de aumentar reatividade com cães e insegurança no passeio. Nesse vídeo eu explico melhor sobre os malefícios do enforcador.

Tanto faz qual seja o material ou mesmo o argumento para usar. O ideal é só deixar no pescoço uma coleira anti-pulga ou com a identificação do animal. Mas nada que seja usado com a guia presa.

Existe um mito muito grande entra as coleiras peitorais. Alguns acreditam que, assim como as rédias usadas em animais de tração, como cavalos, mulas, etc, os cães que usam peitorais tendem a puxar mais. É muito importante deixar claro que não é a ferramenta que educa o cachorro. Se seu cachorro puxa, ele terá esse comportamento (em maior ou menos grau) com qualquer tipo de equipamento. A única forma do cachorro não puxar, é diminuindo a ansiedade antes de sair de casa e treinando para que ele não puxe.

Coleira anti-puxão, cabresto, ou qualquer outra que esteja na moda, só vai ter efeito real mediante treino. Não acredite em coleira milagrosas, pois elas não existem. Mas isso não quer dizer que elas sejam ruins. Apenas não se iluda com o nome e promessa do fabricante.

cachorro com peitoral

Peitoral pode ser usada em cachorro de todos os portes e tamanhos – Virginia State Parks/Creative Commons

As coleiras anti-puxão, também chamadas de peitoral de treinamento, são bastante confortáveis para o cachorro e fáceis de colocar. Porém, não são todos os cães que se adaptam a ela. O grande diferencial desse modelo é o fato do mosquetão da guia ser preso pelo peito do animal, não pelas costas, como a maioria das peitorais. Isso faz com que o cão ande ao lado do tutor e evite andar a frente.

A coleira cabresto é aquela que pega no pescoço e no focinho do animal. Porém, se o tamanho não for exatamente o do cachorro, pode causar incômodo inclusive no olho. Por isso, é uma ferramenta que deve ser indicada por um profissionais do comportamento e adaptada ao animal, com treinos de dessensibilização.

Peitoral em H. Essa é a minha coleira favorita. O formato em H faz com que haja dois pontos de segurança: no pescoço e na axila do animal. Assim, mesmo que ele tire as patinhas, ainda há a segurança do pescoço. Ela não é indicada para cães com sensibilidade na região do pescoço.

Para raças com pescoço mais largo (ou fino) que o peito, é uma ótima pedida, por os ajustes são separados. Uma ótima opção para buldogues e galgos.

Independentemente do modelo que você escolher, esteja sempre atendo ao material utilizado, tanto na coleira, no fecho e nas fivelas. Evite materiais frágeis ou que possam causar algum tipo de assadura. Passe longe daquelas peitorais de couro e com fechamento estilo relógio de pulso! Pesquise a marca na internet antes de comprar. Não vá apenas pela beleza ou estampa bonita.

Qual a melhor coleira para cachorros pequenos?

Quem tem cachorro muito, muito pequeno, tipo eu (tenho um chihuahua de 2,3 kg) sofre um pouco com a opções. São poucas as marcas que fazem tamanhos pequenos com conforto e segurança. Em muitos pet shops vamos encontrar somente aquelas estilo roupinha ou de couro. Ambas podem ser frágeis e/ou desconfortáveis. Há muitas marcas boas que podemos encontrar em pet shops online ou encomendar diretamente com o fabricante. Mais uma vez: não vá apenas pela beleza! É o bem-estar do seu pequeno que está em jogo.

Qual o modelo de coleira mais indicado para cachorros grandes?

Uma pergunta que eu sempre escuto: “não pode usar coleira de pescoço? Como eu faço com meu rottweiler?”. Cães de porte grande precisam de coleiras confortáveis e seguras. Assim como cachorro de qualquer outro porte. Por serem mais robustos, os cães de porte grande costumam ser mais tolerantes às coleiras de pescoço. Mas isso não quer dizer que seja indicado esse tipo de coleira. Muito pelo contrário. Além de uma coleira segura, é preciso ter uma guia bastante forte. Nada de guia curtinha. Quanto mais longa, melhor. Assim, se ele se assustar ou puxar, seu tempo de resposta será maior.

É possível, sim, usar peitoral em cães de grande porte. Basta que ele seja ensinado a tal. Tanto para que não puxe, mas, principalmente, para não ser reativo a qualquer estímulo (gato, pessoas, outros cães bicicleta, skate, etc) se sentir confortável durante o passeio. Pode parecer algo utópico, mas é extremamente simples, com a ajuda de um profissional do comportamento.

Dicas para colocar a coleira

Nada deve ser forçado. Se você simplesmente chegar e colocar a coleira no cachorro, ele pode ficar com medo, se sentir acuado e até atacar. O ideal é fazer uma dessensibilização da coleira e fazer com o que o cão queira colocá-la.

O adestramento do passeio começa exatamente na hora de colocar a coleira. Com ajuda de um petisco ou alimento, é possível ensinar o cachorro até a passar a cabeça e as patas em uma coleira em H (tida como uma das mais difíceis de ser aceita pelo cão).

Quanto mais você forçar o cachorro a colocar a coleira, mais ele ficará incomodado e mais evitará o passeio e a coleira. Nesse vídeo eu explico mais sobre a contenção gentil.

Mais do que escolher bem a coleira, é preciso prestar atenção na guia. Dê preferência pelo mosquetão de latão e com trava. Os maiores acidentes são devida a guia quebrar no passeio ou o mosquetão abrir. Evite aquelas guias curtas. Veja os 3 maiores problemas de usar guia curta.