Thomas Hawk/Creative Commons

Thomas Hawk/Creative Commons

Nada mais nojento do que fazer carinho no seu pet e encontrar uma pulga no meio do caminho. Não é tão fácil acabar com esse parasita. Além de causar enorme coceira no peludo, pode causar séria alergia. “As picadas podem causar reações alérgicas e lesões no corpo dos animais, além de infestar o ambiente. Ao picar a pele ou sugar o sangue, esses estimulam as células do organismo a liberar uma substância chamada histamina, que provoca coceira e, se atingir o sangue, espalha-se pelo corpo todo”, explica o medico veterinário Marcelo Labruna, professor de doenças parasitárias da USP.

Roadsidepictures/Creative Commons

Roadsidepictures/Creative Commons

Se no cão já é complicado achar pulgas, imagine em gatos. Muitas vezes só percebemos que o felino está com parasitas quando os pelos começam a cair, ou quando observamos vermes no seu bumbum. Sei que é estranho relacionar pulgas com verminose, mas quando o gato ou o cão se lambe, ele ingere a pulga. Quando contaminada, ela pode passar um verme para o intestino do pequeno, chamado Dipylidium. Muitas vezes, o proprietário só percebe que o gato está com pulgas quando observa um vermezinho achatado, parecido com um grão de arroz na região do ânus ou nos pelos da região. Essa mini minhoca é parente da solitária humana e ocorre apenas em cães e gatos. Delícia ler esse texto na hora do almoço, né?!

Se você acha que não pode piorar, (a-há) pode sim. As pulgas não moram nos cães e gatos. Os peludos são apenas o fast food ou um drive thru, onde as pulgas passam, se alimentam e vão para outro lugar mais quentinho. Esse “lugar” é mais conhecido como tapete, grama, fresta de assoalho, sofá e até cama.

Kat Masback/Creative Commons

Kat Masback/Creative Commons

A pulga tem quatro fases de vida. Normalmente a vemos quando ela é adulta, porém apenas 5% da vida ela permanece nesse estágio. Os outros 95% são divididos em ovos, larvas (mini minhoquinhas) e pupas. Há quem diga que aquelas micro bolinhas pretas, parecidas com borra de café, encontradas nos animais infestados por pulgas, são os ovos. Não, esse é o cocô da pulga. Os ovos são brancos e normalmente são depositados no próprio ambiente.

Se esse ambiente estiver com temperatura e umidade adequadas, o ovo eclode e nasce a larva. Por esse motivo que é mais comum ter infestação de pulgas no verão, do que no inverno. Para a larva se tornar uma pulga, ela vira pupa, um casulo semelhante ao da larva para virar borboleta ou do bicho da seda. Essa é a fase mais problemática, pois ela fica protegida de produtos de limpeza e até água. Essa fase pode durar até 6 meses. Quando estiver tudo bem, ela eclode, e vira a pulga como costumamos ver. Uma mísera pulguinha pode colocar 40 ovinhos por dia, que gerarão larvas e assim por diante.

Barbara Azul/Creative Commons

Barbara Azul/Creative Commons

Calma! É possível acabar com esse ciclo e se ver livre dessas criaturas do mal! Hoje há inúmeros produtos, em diversas apresentações, que prometem matar as pulgas e prevenir a infestação. Podem ser sabonetes, talcos, sprays, coleiras, pipetas e comprimidos. Porém, cada um desses medicamentos tem uma forma correta de ser administrada, que deve ser observada para que haja resultado satisfatório. Quem deve indicar a dosagem e qual o melhor produto para o seu pet é o médico veterinário.

Há produtos que compra em pequenas pipetas e aplica na nuca do animal. Os mais famosos são:

– Advantage Max3 para cães

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Contra pulgas e carrapatos, mosquitos e piolhos. Para carrapatos, age entre 24 e 48 horas, e em 12 horas para pulgas. Eficácia de 4 semanas. A exposição do animal a água, logo após a aplicação do produto, diminui seu poder de ação. Recomenda-se dar banho no cão antes da aplicação, mas só pode aplicar quando pele e pelo estiverem totalmente secos. Pode ser usado em filhotes a partir de 7 semanas. Recomenda-se separar os animais para que eles não lambam uns aos outros.

– Advocate

Contra pulgas, piolhos, vermes intestinais e sarna de cães a partir de 7 semanas e gatos a partir de 9 semanas. Eficácia de 4 semanas. Também indicado dar banho primeiro, secar e depois aplicar o produto.

– Revolution

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Contra pulga, sarna de ouvido, sarna sarcóptica, piolhos e auxilia no controle de infestações por carrapatos. Um dos diferenciais do Revolution é que o produto não é um inseticida, o que garante total segurança aos bichos e aos seus donos ou tratadores. Duração de um mês.

– Frontline Plus

Protege contra pulgas, carrapatos e piolhos em cães e gatos. Mata em até 24 horas. Protege por 4 semana contra carrapatos e até 6 semanas contra pulgas. Não é repelente e mata pulgas, carrapatos e piolhos que entrarem em contato com o animal. Os carrapatos estarão mortos nas primeiras 48 horas após o contato com o produto, por esta razão, a possibilidade de transmissão de doenças infecciosas não pode ser completamente excluída. Pode ser aplicado após o banho, com o pelo seco. Para filhotes a partir de 8 semanas.

Tobi Mattingly/Creative Commons

Tobi Mattingly/Creative Commons

A nova geração de antipulgas para cães não é mais tópico, mas via oral. Isso facilita a utilização em casas com mais de um pet ou com crianças. É indicado para cães que tomam banho com frequência ou que adoram uma piscina. Esse tipo de produto também minimiza a possibilidade de alergia, principalmente aquela vermelhidão que muitas vezes fica quando aplica-se a pipeta na nuca.

– Nexgard

Produzido a base do princípio ativo afoxolaner, combate pulgas e carrapatos. É mastigável, e com alta palatabilidade para cães. Atinge 100% de eficácia contra pulgas após 6h e contra carrapatos em até 48 horas de sua administração. Garantia de ação de até 30 dias.

– Comfortis

O medicamento tem como princípio ativo o spinosad. O produto, com atuação preventiva e terapêutica, possui ação rápida e contínua: em 30 minutos as pulgas começam a morrer, após quatro horas da aplicação, 100% das pulgas são eliminadas e sua eficácia dura 30 dias.

– Bravecto

Eliminando pulgas e carrapatos em 8  e 12 horas, respectivamente. Sua eficácia permanece constante durante 12 semanas. Pode ser ingerido inclusive por filhotes a partir de 8 semanas, cães reprodutores, cadelas prenhas, lactantes e cães da raça Collie.

 

Julie Falk/Creative Commons

Julie Falk/Creative Commons

Se procurar no Dr Google, poderá encontrar várias receitas de antipulgas para fazer em casa. Mesmo a Dra Sylvia Angélico, que é a médica veterinária do Cachorro Verde e adepta dos produtos naturais, não garante a eficácia dessas fórmulas caseiras. Mas ela recomenda o óleo de neem. “Alguns proprietários relatam que depois de usar o óleo de neem, o animal nunca mais teve pulgas e carrapatos, mas quando a infestação é muito forte, pode precisar associar outra medicação, como a homeopatia” explica Dra Sylvia.

Mas não adianta apenas passar o remédio no peludo. Você também deve cuidar do ambiente. São diversos produtos que você pode passar no chão e sofás, como talcos, spray, aerossol, inseticidas líquidos ou em pó e até dedetização. Eles matam larvas e ovos, porém não mata pupas. Leia atentamente a bula e observe se há necessidade de tirar os animais e crianças do local no qual irá aplicar o veneno.

Veja algumas dicas do que deve ser feito para eliminar as pulgas do ambiente:

– passe aspirador ou varra bem as frestas no piso, os tapetes, sofás e almofadas, pelo menos a duas vezes por semana

– troque os lençóis, colchas e edredons pelo menos uma vez por semana

– coloque travesseiros, colchões e almofadas para tomar sol, pois esses parasitas são sensíveis à água, calor e luz

– lave a caminha e cobertor do animal com frequência

– após o passeio, escove o cão fora de casa, para evitar possíveis parasitas

– faça inspeção diária no pequeno, principalmente nas orelhas, patas e barriga

– converse com os vizinhos sobre as dicas. A infestação pode morar ao lado.

Proteja seu animal! A prevenção ainda é o melhor tratamento! Assim, vocês podem curtir a programação do final de semana. Não perca, na sexta-feira, a agenda animal.