Cachorro no sofá com o tutor

Passeio com cachorro na quarentena – Tony Alter/Creative Commons

Durante o isolamento social, em decorrência da pandemia de Covid-19, a ordem é ficar em casa. Sair somente para o estrito necessário. Mas e passear com os cães: pode ou não pode?

Com a indicação do ministério da saúde para que pessoas possam fazer exercícios físicos ao ar livre, a pergunta que paira entre os tutores de cães é: posso fazer caminhadas e levar meu cachorro?

Os passeios são fundamentais para cães que não fazem as necessidades em casa, além de ser muito prazeroso e ajudar a controlar a ansiedade. Por causa do novo coronavírus, no momento, é indicado evitar aglomerações e não permitir que outras pessoas façam carinho no animal.

Passeios e cuidados com a higiene

Neste momento, a recomendação é evitar sair de casa, mas se o passeio for imprescindível, por exemplo, no caso em que os animais só fazem as necessidades fisiológicas na rua, seguem as recomendações do CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária):

– Os passeios ao ar livre devem ser curtos e focados, só para atender às necessidades fisiológicas;

– Apenas uma pessoa deve passear com o cão, a cada saída;

– Procure lugares menos movimentados e prefira os horários mais tranquilos;

– Evite contato com outros animais e pessoas;

– Na volta para casa, higienize as patas e pelos do pet com água e sabão neutro, de preferência os que sejam adequados a uso veterinário.

Higienização das patas

As primeiras lavagens das patas de seus animais devem ser feitas com paciência. Aqueles que não estão habituados tendem a se ressentir um pouco mais. Assim, o indicado é recompensar o animal com petiscos ou a própria comida a cada limpeza ou toque nas patas. Para limpar, de maneira geral, pode-se usar todos os surfactantes (substâncias presentes no sabão, sabonete, detergentes e xampus). Há muitos produtos à base de cloreto de benzalcônio que, diluídos em água, podem também ser úteis na limpeza. Nada de água sanitária, álcool em gel ou desinfetante no pelo e pata dos cães!!!!

cachorro de coleira na janela

Cuidados para passear na quarentena stéphanie autric/Crearive Commons

Como passear durante a quarentena?

Como a recomendação é evitar sair ou, se sair, fazer um passeios breves com os cães, há alguns detalhes a se atentar. Segundo o médico veterinário especialista europeu em comportamento, Gonçalo Pereira, é importante oferecer mais qualidade de passeio em menos tempo. “O olfato, por ser o principal sentido do cão, deve ser estimulado, permitindo que o cão cheiro gramas e novos locais” explica.

Sabe essa história de saia para fazer xixi e volte para casa? O Dr Gonçalo aponta que se esperarmos o cão fazer suas necessidades e, logo em seguida, voltarmos para casa, ele pode segurar urina e fezes para que o passeio dure mais. “Se recomenda que depois de se aliviar, se mantenha alguns minutos a mais na rua, para não regressar à casa imediatamente” diz.

Fazer uma brincadeira, correr um pouco ou até jogar uns petiscos na grama para seu cachorro encontrar podem ser ótimas formas de finalizar o passeio de forma positiva.

Cuidados durante o passeio

O passeio deve ser feito sempre na guia e não seja permitida a aproximação de outras pessoas e cães.

cachorro entediado, olhando a janela

Sem passeios, cães podem ficar mais estressados e ansiosos – Garen M./Creative Commons

Mas e se não passear com o cachorro?

Segundo Dr Gonçalo, devido os cães serem animais sociais, eles estão acostumados com rotinas. Com as pessoas mais em casa, há uma mudança completa no cronograma da casa e, consequente, do animal.

O passeio é muito mais do que um exercício físico! “O passeio serve como uma interação entre o cão e o humano, serve como estímulo cognitivo, distração, como enriquecimento” alerta Dr Gonçalo. Um cachorro que não passeia, poderá ter sua ansiedade e estresse acumulados e poderá manifestar através de problemas comportamentais.

Outro ponto abordado pelo Dr Gonçalo é sua preocupação com o “pós-quarentena”. “Com o desenvolvimento de laços intensos entre cães e humanos, durante este longo período, pode haver um processo de angústia, quando esses animais tiverem que ficar sozinhos o dia todo, ao terminar a quarentena” ressalva. Por isso, permitir momentos em que o cão execute uma tarefa ou brincadeira sozinho é fundamental, para prevenir problemas futuros!

Como entreter o pet durante a quarentena

Como está sendo na Europa?

O Dr Gonçalo mora em Portugal. Lá, a Ordem dos Médicos Veterinários (equivalente ao conselho de medicina veterinária) indica que os passeios sejam rápidos e que seja feita a limpeza das patas. mas não há um posicionamento com indicações claras do governo ou entidades responsáveis (assim como aqui).

Já na Espanha, há uma cartilha sobre como conduzir seus pets durante o isolamento social. Conversei com alguns brasileiros residentes da Espanha e eles apontaram que o cão é uma ótima forma de sair de casa. Por isso, algumas pessoas estão pegando cães emprestados ou até alugando para poderem ter um motivo para sair.

A cartilha aponta sobre a importância do passeio para o cão. Assim, todos os tutores estão liberados a passear em um raio de até 2km da sua residência, quantas vezes o cachorro necessitar. Todavia, deve carregar consigo uma garrafa com água e detergente, para limpar a urina, e o saquinho para recolher as fezes. Também é recomendado o distanciamento de outras pessoas e cães, além da assepsia de patas antes de entrar em casa.

Na Alemanha, os parques estão abertos para que humanos e cães façam suas atividades ao ar livre. A Débora Requena e sua cadela, Ella, saem pouco juntas. Porém, a Ella mantém sua rotina de passeios com a dogwalker. “Foi uma solicitação da passeadora, que não alterássemos a rotina. Assim, mantendo todos os cuidados, a Ella continua fazendo o que sempre fez. A única diferença é não poder correr com outros cães” desabafa.

Em diversos países europeus, há a compreensão por parte do governo que, mesmo com toda a pandemia, há algumas necessidades que são essências, incluindo aos animais. Seguindo as regras e mantendo o distanciamento e higienização correta, aos poucos, algumas atividades podem voltar a acontecer normalmente.

E aqui no Brasil?

Sem regra ou cartilha específica, cada um faz o que entende por certo. Durante um mês, eu entendi que o melhor a sociedade era eu ficar confinada em casa com todos os meus animais. Assim sendo, Aurora, minha cachorrinha, tinha autorização para ir apenas até o quintal da casa.

Após tantos dias sem poder sair, percebi diversas alterações. Aurora dormia o dia todo. Já não se interessava pela alimentação como antes. Tinha dificuldade para resolver uma tarefa nova. Não tinha ânimo para nada, até estava com mais dificuldade para andar e, a qualquer barulho, se assustava.

Assim que percebi tudo isso, entrei em contato com a veterinária dela. O diagnóstico: tédio! Resolução: voltar com os passeio.

Ontem passeamos a noite e hoje já foram dois passeios. Enquanto estou focada em escrever, Aurora está procurando comida pelo chão da casa. Em menos de 48h, ela voltou a ser aquela cachorrinha esperta e curiosa de antes.

Eu super respeito as orientações dos governos, mas eu vou continuar a fazer os passeios, buscando horários e locais alternativos, sem aglomeração. Antes de entrar em casa, Aurora passa por um banho a seco a jato nas patinhas e focinho. Vida que segue. Agora, com acesso diário à rua.