Foto: Cris Berger

Foto: Cris Berger

Há alguns anos, era moda levar a foto de uma pessoa querida para um artista, e pedir para que ele pintasse um retrato. Como era feito na antiguidade. Essa febre pode ter passado para seres humanos, mas agora é o mais procurado para cães e gatos.

Conhecida como pet art, as obras fidedignas ou customizadas, podem ter a cara do seu pet. Quem explica esse conceito é o pintor e tatuador Fábio Polesi, idealizador da primeira Galeria Pet: “muito comum em outros países, há artistas que se especializam em trabalhar apenas com animais e fazem bastante sucesso”.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Acostumado a tatuar e pintar caveiras mexicanas, Fábio resolveu se aventurar e pintou uma escultura de buldogue francês. Ao postar nas redes sociais, começaram a chegar os pedidos. “Quem tem um buldogue, ainda mais francês, compra tudo com esse tema. Pode ter a cara do cachorro dele ou não. Há uma grande paixão por essa raça” comenta o artista.

Hoje Fábio faz esculturas estilizadas de diversas raças, pinta garrafas e disco de vinil. “Customizo o que o cliente desejar. Desde objetos de decoração a capacetes para moto. Tudo com a cara do pet” conta Fábio.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Cris Berger

Foto: Cris Berger

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Na Galeria Pet, inaugurada nesta semana, Fábio se uniu a outros nomes da arte, como Nilo de Medinaceli, Fokinha Art Worx, Mary D., Rodrigo Santos do Reis, Sid Lopes, Sascha Beeler, Décio Ramirez e Edson Ramos. Todos pintando apenas o tema pet, cada um no seu estilo. “A ideia é que a galeria pet entre para o circuito das galerias de arte. Aqui, você pode apreciar e comprar o que tem pronto ou fazer uma encomenda” adiciona Fábio.

Foto: Cris Assanuma

Foto: Cris Assanuma

Nem todos os artistas da galeria pintam exclusivamente pet, mas esse segmento se mostrou uma ótima oportunidade para os amantes de animais conhecerem os trabalhos. Tem para todos os gostos e bolsos. Para os mais conservadores, o Nilo faz um retrato realista a partir da foto do bicho. Mas opções de customização não faltam. Tem até o Fokinha (grafiteiro) que pintou um shape de skate.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

Fábio explica que há muita procura por esse tipo de arte: “cada vez mais o pet está se tornando um filho. Por isso, os donos querem colecionar coisas que se pareçam com eles”.

Esse tipo de arte já está aprovada. Inúmeras pessoas, com ou sem cachorro, vão em busca de peças de decoração diferentes e customizadas. Mas, normalmente, os pedidos feitos são de acordo com o pet de cada um. Graças a isso, Fábio já tem convite para expor em diversas cidades, como Nova York e Los Angeles.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

O Clark, da raça American Bully, já garantiu sua escultura. O pedido foi feito pelo seu dono Igor Tanaka, que é criador e apaixonado pela raça. “Temos que desmistificar o bully. Ele é tão manso e tranquilo quanto à escultura” brinca Igor.

Além das obras de arte, a galeria também conta com fotógrafos que oferecem book fotográfico exclusivo para os amigos de quatro patas. Pode ser de qualquer espécie ou tamanho, em casa ou no estúdio, haverá um especialista para captar os melhores ângulos do peludo.

Foto: Luiza Cervenka

Foto: Luiza Cervenka

A galeria não é apenas um local para apreciar arte. Os pets são mais que bem vindos. Eles têm um espaço reservado, com comida natural e produtos a venda. Por isso, quando estiver passeando pela rua mais chique dos Jardins (Rua Oscar Freire, 502), não esqueça de parar na Galeria Pet e encomendar uma obra com a cara do seu pequeno.

Próxima sexta-feira, dia 19/02, teremos a Agenda Animal com diversos eventos para curtir ao lado do seu peludo.