cachorro deitado abrançando ursinho de pelúcia

Pelúcias foram feitas para humanos – Trine Juel/Creative Commons

Ursinhos, macaquinhos, sapinhos são alguns modelos de pelúcias vendidas em pet shops e lojas online. Oferecido comumente para bebês humanos e crianças, as pelúcias saíram das prateleiras de lojas humanas direto (sem modificação nenhuma) para as lojas pet.

A grande questão é que cada espécie tem uma forma completamente diferente de interagir com seus brinquedos. Roer e destruir são comportamentos naturais dos cães. Assim, ao oferecer uma pelúcia, a tendência é que ele rasgue tudo, dando vazão para seu comportamento de caça e destruição de uma possível presa.

Nos atendimentos que faço, peço para ver os brinquedos que o cachorro possui. Em muitas das consultas, vejo apenas pelúcias. Mesmo em modelos e tamanhos diferentes, não é o suficiente para proporcionar foco e atividade ao animal.

Por isso, tantos tutores reclamam que não vence comprar esse tipo de brinquedo. Alguns voltam a costurar a pelúcia com a intenção de que dure mais. Todavia, em poucos dias (ou minutos), o cachorro volta a rasgar e expor o recheio do brinquedo.

cachorro mordendo ursinho de pelúcia

Não costure os ursinhos – Gene McDaniel/Creative Commons

É exatamente aí que mora o perigo: o recheio das pelúcias!

Alguns cães não engolem o recheio. Já outros, acabam ingerindo uma pequena (ou grande) quantidade da lã acrílica, algodão ou até tecido. Esse material, normalmente, não é digerido pelo animal, ficando parado no estômago ou mesmo intestino. Como consequência, o cachorro pode ficar obstruído com corpo estranho. Os sintomas são vômito, diarreia, inapetência e constipação. A solução: operação de urgência.

Existem técnicas de endoscopia e forçar o vômito, mas depende da localização, quantidade e tempo de ingestão desse corpo estranho. Não há nada que possa ser feito em casa. Somente o médico veterinário pode avaliar e sugerir o melhor procedimento.

Cachorro abraçando ursinho de pelúcia

Não tente provocar o vômito em casa, caso o cachorro ingira a pelúcia – Petra Bensted/Creative Commons

É um risco desnecessário. Não há necessidade de oferecer esse tipo de brinquedos aos cães. Mas se o seu peludo ama muito uma pelúcia, aqui vão algumas sugestões:

  • Dê preferências aos brinquedos de material balístico ou mangueira de bombeiro. São tecidos mais resistentes, mas não impossíveis de rasgar. Aliás, não acredite em propaganda de pelúcias indestrutíveis.
  • Busque pelúcias com costura dupla, para dificultar que abra com facilidade.
  • Não deixe a pelúcia a vontade para o cachorro. Ofereça sob supervisão e por tempo limitado. Brinque com o animal e retire após finalizar a brincadeira.
  • Não tente recosturar ou revitalizar uma pelúcia que já foi destruída. Troque por outro brinquedo.
  • Ofereça dispositivos e mordedores próprios para cães, para satisfazer e propiciar os comportamentos de destruição e mordedura.
  • Dê preferência por pelúcias sem recheio ou com recheio de plástico.
  • Evite modelos com partes plásticas pequenas, como olhos, focinho e orelhas.

Por mais que sejam fofas, as pelúcias não foram desenvolvidas para cães, mas para humano. Por isso, garanta a saúde do seu peludo e ofereça apenas produtos desenvolvidos especificamente para cachorros.