cachorro com orelha de coelho

A páscoa pode ser perigo ou diversão a depender do que é oferecido ao pet – Matt Miller/Creative Commons

A Páscoa é uma celebração bastante presente nos lares brasileiros e, entre as tradições que ela traz, está o consumo de diversos pratos, como a tradicional bacalhoada, arroz de forno, salada de maionese e, ainda, o protagonista da comemoração: os ovos de chocolate.

Todas essas delícias, porém, são uma verdadeira ameaça para a saúde dos pets. Os tutores precisam ter cuidado redobrado com os gatos e cães durante as celebrações para que os animais não sejam prejudicados, afinal esses alimentos podem ser tóxicos para eles.

Chocolate é tóxico para cachorro

Segundo Natália Lopes, Médica-Veterinária e Gerente de Comunicação Científica da Royal Canin, a teobromina, substância presente no cacau (em maior concentração nos chocolates do tipo amargo e de preparo culinário), pode causar intoxicação quando consumida mesmo em pequenas quantidades.

Sintomas e possíveis complicações se comer chocolate:

  • vômito
  • diarreia
  • agitação
  • arritmia cardíaca
  • espasmos musculares
  • convulsões, podendo levar à morte.

Geralmente os sintomas de intoxicação ocorrem cerca 6 a 15 horas após o consumo de qualquer tipo de chocolate ou receitas com o ingrediente.

A teobromina é lentamente eliminada do organismo, e possui um efeito cumulativo, o que significa que ingestões repetidas em quantidades menores (não tóxicas) ainda podem causar a intoxicação.

Não, nem uma lambidinha pode.

Comer gordices humanas é um desejo do tutor, não do cachorro. A interesse do cão inicia com o fato do tutor estar comendo algo aparentemente apetitoso. Então, ele quer dividir esse momento de alimentação. Mas não que ele deseje uma batata frita, borda de pizza ou chocolate. Isso é ensinado.

Se seu coração é de manteiga e não aguenta aqueles olhares pidões, você pode procurar por ovos caninos, feitos especificamente para os peludos, sem cacau.

Fazer bem para saúde não faz, mas eu prefiro que você dê isso do que repartir seu ovo com o cão.

Meu pet comeu chocolate. E agora?

Se o tutor vir ou suspeitar que seu pet tenha ingerido mesmo que um pedacinho de chocolate, ou qualquer outra coisa fora do habitual, deve conectar-se imediatamente com o seu Médico-Veterinário e explicar a situação.

Caso perceba sintomas de intoxicação, o tutor deve levar o pet imediatamente ao Médico-Veterinário para que o tratamento adequado possa ser realizado o mais rápido possível, para evitar danos à saúde do animal. Para agilizar o atendimento em caso de emergência, o tutor ou acompanhante pode ligar na clínica ou hospital veterinário enquanto se dirige até o estabelecimento, a fim de preparar a equipe para um atendimento de urgência, se for necessário. Não é recomendado a administração de qualquer substância ou medicamento que não tenham sido orientados.

Coelho de presente de Páscoa

O coelho é reconhecido como um dos símbolos da festividade e acaba gerando interesse como presente para crianças, uma compra por impulso. Por isso, até o dia 17 de abril, a venda de coelhos está suspensa nas lojas da Cobasi no Brasil. Este é o quinto ano consecutivo que a empresa, realiza a campanha “Coelho Não É Brinquedo”, com o objetivo de se posicionar e conscientizar sobre a Guarda Responsável, nas datas próximas às comemorações da Páscoa.

“Na Cobasi queremos garantir a segurança dos animais durante toda sua vida. Na Páscoa, era comum que as pessoas comprassem o coelho e ao perceber que ele precisa de cuidados como qualquer outro pet, acabavam devolvendo, abandonando ou repassando a terceiros”, diz a gerente de marketing da Cobasi, Daniela Bochi.

Segundo ela, para ir além de apenas suspender a venda, a Cobasi disponibiliza nos locais onde estariam os animais, material informativo sobre a campanha explicando que coelho não é brinquedo e é um pet que precisa de cuidados. “Precisamos atuar na conscientização de nossos clientes sobre as responsabilidades de ter um pet, um ato que não pode ser realizado por impulso. Coelhos, por exemplo, demandam espaço, cuidados, tempo e gastos financeiros, por isso produzimos um material destacando que Coelho não é Brinquedo e explicando os que as pessoas precisam pensar antes de adquirir este pet”.

Entre as informações contidas no material estão o tempo médio de vida de um coelho, cuidados com higienização do ambiente que irão viver, alimentação adequada e a necessidade de atendimento veterinário especializado.

cachorro com orelha de coelho

Diversão garantida para cães e gatos com brincadeira de caça ao petisco – Monique van Gompel/Creative Commons

O que posso fazer com meu pet na Páscoa?

Uma das brincadeiras mais amadas pelas crianças na Páscoa é a busca pelo ovo deixado pelo coelho. Seguir as patinhas e as pistas rende momentos de euforia e descoberta.

Essa mesma dinâmica pode ser aplicada para os pets. Podemos esconder petiscos pela casa, colocar pistas olfativas, oferecer brinquedos recheados e até mordedores dentro de caixa. A criatividade é o limite para comemorarmos essa data também como nosso peludo, longe do chocolate!