cachorro com bolinha na boca

Brinquedos auxiliam na diminuição do tédio
DaPuglet/Creative Commmons

Quando eu vou atender um cachorro, eu chego na casa e peço para o tutor buscar os brinquedos que o cão já possui. Não importa qual seja a queixa comportamental, eu solicito os brinquedos.

Normalmente, os brinquedos de roer (se tiver) estão pela metade, tem duzentos tipos diferentes de bolinha, quinhentas pelúcias e um ou dois brinquedos recheáveis. A melhor parte é a fala do tutor: “eu dei esse de roer, mas ele desistiu. O brinquedo recheável, ele pegou só uma vez e não quis mais. A pelúcia, ele prefere destruir uma específica, que vai sempre ser remendada”. Há variáveis dessa fala, mas basicamente é isso que eu escuto de 99% dos tutores que eu atendo.

Claro que tem o caso dos cachorros que não tem nem uma bolinha, porque o tutor diz que ele não se interessa por nada e doou tudo. Mas são casos mais raros.

Se as pessoas soubessem como escolher um brinquedo e os benefícios de ter os brinquedos corretos para cada perfil de cachorro, muitos adestradores e veterinários teriam redução de clientes.

Oferecer um ambiente com brinquedos e entretenimento adequados diminui riscos do cachorro comer o que não deve, destruir móveis e objetos, diminui o estresse, reduz o tédio, aumenta a imunidade, diminui problemas de pele e lambedura (quando causados por questões comportamentais), deixa o peludo mais tranquilo, diminui agressividade, aumenta suas conexões neurais e diminui a chance de problemas cognitivos senis. Que mais alguma razão para você ler esse texto até o final?!

Se estiver sem tempo, tem um resumo no vídeo abaixo.

Quais são os melhores brinquedos para cachorro?

Se te falarem que o brinquedo da marca X é o melhor do mundo para todo e qualquer cachorro, a pessoa está mentindo. Cada brinquedo deve ser indicado para o perfil do seu cachorro.

Leve em consideração:

  • idade
  • disposição física
  • porte
  • potencial bucal
  • agilidade
  • facilidade para resolver tarefas
  • interesse
  • foco

Não adianta eu oferecer um mordedor macio para um pitbull. Da mesma forma, não adianta indicar um frisbee para um chihuahua.

Mas, para facilitar sua decisão, vou dizer os três melhores brinquedos para cachorro. Não é um modelo, nem marca específica. São três tipos ou categorias de dispositivos.

1 Mordedor

Todo cachorro precisa ter um mordedor diferente todos os dias. Só os bangelas que estão liberados. Podemos trocar por coisas de lamber. Mas se seu cachorro tem pelo menos quatro dentes, ele PRECISA de um mordedor.

Pode ser de nylon duro, macio, de corda, de petisco, casco de boi, com cheiro de bacon, osso natural, cenoura, com formato de osso ou de hélice. Aqueles ossos dentais também entram nessa categoria. Não importa como será o mordedor, desde que seu cachorro goste.

cachorro com corda na boca

Mordedor deve ser oferecido todos os dias – Tom Driggers/Creative Commons

O “pulo do gato” está na troca diária do mordedor. Se você oferecer um tipo todos os dias ou deixar com seu cachorro direto, ele vai perder o interesse. Mas se cada dia ele tiver um novo, diferente do dia anterior, ele vai querer muito roer.

Roer é um hábito natural dos cães, que precisa ser focado em algo específico para isso. Chinelos e pés de mesa não servem.

2 Dispositivos recheáveis

Sabe aquela ração, que você deixa no pote o dia todo, ou que seu cachorro come tudo em três segundos? O ideal é oferecer dentro de dispositivos. Pode ser um comedor lento, uma garrafa pet, uma brincadeira de esconde-esconde, jogar a ração pelo chão da cozinha ou mesmo dentro de um brinquedo recheável comprado pronto.

O mais importante é não oferecer comida no pote #ComidaNoPoteNão

O cão deve passar uma grande parte do seu tempo em atividades de caça ou forrageio (quando busca a comida, utilizando seus sentidos, principalmente o faro). Quando colocamos comida no pote, não proporcionamos o comportamento natural vinculado à alimentação.

Assim, o animal passa grande parte do tempo ocioso, entediado, buscando o que fazer. Minha avó já diria: “cabeça vazia, oficina do diabo”. Vai que bem nessa hora, seu chinelo está dando sopa pela sala, ou a almofada resolve explodir… Daí a culpa vai ser do cachorro.

Antes dessas tragédias acontecerem, faça um cronograma de qual dispositivo você irá oferecera alimentação do seu cachorro a cada dia da semana. Sim, esse também não pode repetir. Deve ser novidade e desafiador. Do contrário, o cachorro irá resolver muito rápido e não vai adiantar de nada.

3 Brinquedos cognitivos

Apesar de muitos dispositivos recheáveis funcionarem como brinquedos cognitivos, há uma grande diferença. Nem todo brinquedo cognitivo envolve comida. A recompensa ou motivação para solucionar aquele desafio pode ser petisco, interação social (um carinho, por exemplo), um cheiro, um som, um estímulo tátil… Enfim, são diversas as possibilidades que envolvem a recompensa de um brinquedo cognitivo.

cachorro com brinquedo feito em casa

Brinquedos cognitivos podem ser feitos em casa – Foto: Kakau Chie

O que todos têm em comum é a sensação de conquista, quando solucionados. A liberação de dopamina (neurotransmissor da conquista) oferece ao peludo uma sensação de bem-estar e tranquilidade.

Esse tipo de brinquedo deve ser oferecido sob supervisão. Mesmo porque, muitas vezes você irá precisar ensinar o cão como brinca ou inicia a interação com aquele desafio. Por isso que esse brinquedo se torna ainda mais interessante. Ele garante um momento de interação saudável entre você e seu cachorro.

Opções não falta. Desde um quebra-cabeça, um tabuleiro, uma brincadeira de esconder a bolinha, agility na sala, cabo de guerra, treinamento/adestramento, socialização, até um faça você mesmo ou DIY. São diversos grupos, perfis e canais de redes sociais que ensinam como fazer um desafio para o porte e personalidade do seu cachorro.

Mas tenho uma má notícia. A única forma de saber se seu cachorro vai gostar, interagir ou resolver um certo brinquedo/desafio é testando. Ter um caixa de brinquedos e testar um diferente a cada dia é o ideal. Na pior das hipóteses, se ele não gostar, você vende e compra outro.

Nada de desculpas, ein?! Agora você já sabe qual brinquedo deve comprar para seu cachorro e a importância de cada um. Se seu peludo destruir algo, não pode mais colocar a culpa nele. Combinado?!

Oferecer o melhor ambiente, com mais qualidade de vida e garantia de bem-estar é nossa tarefa, enquanto tutor!