gato persa

Gato Persa: o xodó dos brasileiros – Foto: Silvia Pratta

A história da raça Persa tem algumas versões. A mais aceita pelo criador de gatos Persas e Exóticos, Alex Martins, do gatil Daruma, remete ao século XVII. “Um viajante italiano visitava o Irã – na época Persia – quando notou que os gatos locais eram diferentes dos demais pela pelagem longa e macia” conta Alex. Mas foi na Itália que a raça fez sucesso. “Porém, o gatinho persa daquela época, era muito diferente do que conhecemos hoje” relata. Então, em meados do século XIX, esses gatinhos foram parar na Inglaterra e lá passaram a cruzar com outras raças até tornarem-se o Persa no padrão que conhecemos hoje.

E por falar em padrão, uma das coisas que mais chama a atenção em alguns gatos Persas de hoje é o diminuto focinho e os olhos saltados. Mas Alex explica que há um padrão definido para o Persa. “Esse padrão deixa claro que em primeiro lugar vem a saúde. As narinas precisam ser bem abertas para que o gato respire bem. Se ele respira bem, ele come bem. Pode brincar, correr e viver livre de problemas respiratórios. Os olhos devem ter um posicionamento correto na face, formato, etc.

Por isso, é muito importante que ao adquirir um gato Persa, se faça de um criador responsável. o O excelente padrão do gato Persa, bem como de outras raças domésticas, é de responsabilidade do humano” aponta Alex.

dois gatos persas

Procure um criador de confiança – Foto: Silvia Pratta

Por conta de alguns gatos fora do padrão, os Persas ganharam fama de terem a saúde frágil. Mas Alex explica que há um cuidado básico necessário que o tutor deve ter para garantir a saúde do animal. “É muito importante oferecer alimentação super premium. A boa saúde começa pela alimentação. Sem os devidos cuidados e devido ao tamanho e formato de seus olhos, os persas podem apresentar lacrimejamento excessivo, problemas odontológicos e de pele” diz.

Alguns problemas comuns aos gatos Persas são os relacionados à visão, problemas odontológicos, renais, respiratórios e dermatológicos.

Os cuidados, além da alimentação, são os básicos para qualquer gato. A frequência vai depender de indivíduo para indivíduo. Veja alguns itens para prestar atenção:

  • escovação do pelo
  • corte das unhas
  • limpeza de orelhas e olhos regularmente
  • oferecer água sempre limpa e fresquinha

“Não há dúvidas que essa manutenção quando feita diariamente, contribua para que os gatinhos estejam sempre impecáveis e livres de problemas como nós e manchas na região dos olhos, causadas por lacrimejamento excessivo” elucida Alex.

Você percebeu que a tosa não entra na lista acima? Isso porque não há necessidade de tosar o gato Persa, como muitos pensam. Esse é um critério a ser avaliado pelo médico veterinário. “Esse profissional avaliará quando houver real necessidade de tosa em seu gato. O procedimento da tosa pode ser muito estressante para o gato e há alternativas para remoção de pelos, quando se fizer necessária” relata Alex.

Vamos a um assunto bastante polêmico, quando falamos de cuidado com o gato Persa: banho. Alex explica que o gato Persa, em seu padrão atual, não sobreviveria sem manutenção frequente, e isso inclui o banho. Muitos profissionais são contra dar banho em gato, mas quando é algo ensinado desde filhote, e não forçado, os Persas podem aproveitar muito desse momento de limpeza.

No caso do Persa, segundo Alex, a escovação frequente nem sempre é suficiente para remoção de pelos soltos e o gato pode ingerir uma quantidade significativa de pelos. “Nesse tema, mais uma vez o trabalho de dois profissionais responsáveis é fundamental: o Criador e o Veterinário. O Criador, deverá acostumar seus Persas a tomarem banho desde cedo e o Veterinário, avaliará se seu Persa apresenta condições tranquilas para o banho” fala.

homem brincando com gato persa

Persas são silenciosos – Foto: Silvia Pratta

Se você está em dúvida se esse é o gatinho ideal para você, aqui vai uma cartada final: o temperamento do gato Persa.

Os gatos Persas são silenciosos. Vocalizam muito pouco e quando o fazem, seus miados são muito curtos e baixos, como conta Alex. São extremamente meigos e carinhosos, apegam-se com muita facilidade ao dono. Quando filhotes são brincalhões e muito fofos. Depois de adulto, tendem a ficar muito tranquilos. São muito companheiros e convivem facilmente com outros animais.

Apesar de alguns terem fama de rabugentos, Alex conta que muitos amam abraços e lambeijos.

O mais importante para ter em mente é: se você quer ter um gato Persa, você deve ter tempo para seu gatinho. E sempre ter em mente que o gato manda na casa. “O Persa precisa de tempo e de atenção, pois gosta de dar e receber carinho. Precisa de um ambiente seguro, impedindo acesso à rua ou mesmo casa do vizinho” finaliza Alex.

homem abraçando gato persa

Persas gostam de carinho e abraços – Foto: Silvia Pratta

O mais importante é planejar a aquisição de um animal e refletir muito se você está preparado (em todos os aspectos) para ter essa responsabilidade por uns 15 ou 18 anos. Persas são longevos.