Andrey/Creative Commons

A data, dentre outras coisas, suscita questões sobre racismo, discriminação, igualdade social, inclusão de negros na sociedade e a cultura afro-brasileira. Mas o que isso tem a ver com os nossos queridos e amados peludos? O preconceito humano consegue ultrapassar a barreira do aceitável e chega aos cães e gatos.

Basta visitar uma ONG ou um abrigo e contar quantos animais pretos estão para doação. Muitos deles, já adultos por não haver interessados em adotá-los.

Se muitas pessoas (de todas as etnias) lutam para minimizar os abismos sociais, parece que muitas outras insistem em perpetuar o preconceito em todos os âmbitos. Se um dia os homens negros foram escravizados e disso surgiu uma soberania branca, nada há relação com os animais.

Qual é a justificativa ou antecedente histórico para que o cão ou gato branco valha mais que o cão ou gato preto?

Daniela/Creative Commons

É sabido por todos os mitos que existem sobre o gato preto. Mas e o cão preto, o pássaro preto, o rato preto ou o coelho preto? Não há qualquer mito sobre esses animais, mas sofrem do mesmo preconceito de menor beleza apenas por serem da cor preta.

Gato preto dá sorte!

Que ser humano é esse que cria um dia da consciência negra, mas rejeita seres de puro amor, como os animais, pelo simples fato de terem mais melanina.

Minha vivência

Foto: Luiza Cervenka

Uma vez eu sofri esse preconceito dentro da minha própria casa. Morava com uma colega de faculdade. A Fajuto, meu gato, era branco, alvo como a neve. A ele era permitido frequentar toda a casa, subir nas camas e ronronar para todas as visitas. Durante as minhas viagens, minha colega cuidava, alimentava e acarinhava meu gatinho.

Um dia Fajuto trouxe em sua boca um gatinho. Todo sujo e cheio de sarna, o pequeno filhote preto foi logo acolhido por mim. Porém, ao saber da presença de um gato preto na casa, minha colega mudou. Disse que não gostava de bichos pretos e queria ele longe. Apesar do seu chaveiro ser do Gato Félix (aquele desenho do gato preto com a mala mágica), na vida real, repudiava tanto o gato, que o deixava sem comer.

O que fazer se seu gato for envenenado?

Em homenagem ao chaveiro, coloquei o nome do gato de Félix. No auge dos seus 12 anos, não sofre mais com a ignorância humana. Mas esse não é o destino de diversos animais.

Basta colocar em uma vitrine dois filhotes de cães da raça lulu da pomerânia, sendo um branco e o outro preto. Além de ter mais interessados, o da cor branca será mais caro, devido a sua raridade. Apesar de também pouco comum, o preto terá menos interessados e custará bem menos.

Como pode, em pleno século XXI, haver seres humanos que, além de desvalorizarem as pessoas pela cor da sua pele, rejeitam animais pelo seu pelo.

A ciência mostra

Nenad Stojkovic/Creative Commons

Cães pretos são vistos como mais perigosos e agressivos. Um estudo feito pela Universidade pela Califórnia, avaliou episódios de agressividade de gatos com seres humanos em mais de 10 países. Os gatos foram separados por padrões de pelo ou cor. Os resultados apontam que há relação entre a cor do pelo de gatos e o comportamento agressivo. Porém os gatos com maior número de incidentes são os laranjas (ou amarelos), cinzas e brancos e pretos e brancos. Os pretinhos não estão nem entre os cinco mais agressivos. É tudo apenas preconceito mesmo.

Quando for adquirir seu próximo peludo, busque por um pretinho. Além de ganhar um lindo amigo, você irá ajudar a quebrar todo esse preconceito com os negrinhos.