Chalé do Tom/Creative commons

Quando o carnaval chega, tiramos nossas fantasias do armário e passamos quase o mês todo pulando nos bloquinhos. Mas quais os cuidados com os nossos peludos nessa época?! Cada cachorro tem um perfil, que deve ser respeitado.

Fantasia

Muitas pessoas me perguntam como adaptar o cachorro a usar fantasia. É bem simples, vou deixar o vídeo de como adaptar para colocar roupa. A fantasia nada mais é do que uma roupa para eles. Mas de nada adianta querer que eles aceitem do dia para a noite. Tudo deve ser planejado e treinado antes do dia do desfile.

Mesmo que seu cachorro esteja super adaptado a roupas e fantasias, é importante deixá-lo brincando e correndo sem nada. A fantasia dele entrar em cena somente na hora da foto ou desfile. Depois, volta para a bolsa e o cachorro fica sem nada.

Os grandes perigos estão no super aquecimento do animal com o uso das fantasias e no material utilizado nos adereços. Glitter, purpurina, lantejoula, zíper e fitilhos podem tirar o pet da folia e levar para a emergência veterinária. Muitos desses elementos podem ser retirados rapidamente com a boca pelo animal. Se ingeridos, podem causar intoxicação e até obstrução gastro-intestinal.

Por isso, fique de olho no peludo. Qualquer sinal que ele esteja desconfortável ou com calor, retire a fantasia dele. Casos de hipertermia (temperatura corpórea muito elevada) são extremamente comuns nessa época. Hidratar o animal e evitar locais quentes são as principais recomendações.

dramatika blogspot/Creative Commons

Bloquinhos de carnaval

Depois dos bloquinhos de rua, os bloquinhos para crianças, este ano os bloquinhos para cães está super na moda. Em diversas cidades brasileiras é possível encontrar programações para pular carnaval com os pets. Mas algumas questões devem ser levadas em consideração:

  • seu cachorro gosta e fica confortável em multidões?
  • seu cachorro se dá bem com outros cães?
  • seu cachorro tem sensibilidade auditiva ou não liga para som/barulho?
  • seu cachorro é tímido ou audacioso?
  • quanto tempo seu cachorro consegue permanecer em ambientes diferentes?
  • você consegue perceber quando seu cachorro não está confortável, para ir embora?

Essas são algumas das perguntas que você deve se fazer antes de ir aos bloquinhos. Eu entendo que seja uma super oportunidade bacana para desfrutar com seu peludo. A ideia de estar com amigos ou fazer amigos, em ambiente descontraído e pensado para os cachorros, parece muito incrível. Mas nem sempre os cães pensam igual.

Normalmente as brigas ou confusões acontecem com cães sensíveis, pouco sociáveis, medrosos ou inseguros. Mesmo não tendo o perfil para frequentar esse tipo de evento, seu humano coloca a fantasia e faz questão de cair na folia.

Bertrand Waridel/Creative Commons

A minha cachorra, por exemplo, abomina esse tipo de local. Recebemos diversos convites e adoraria poder frequentar. Se for, irei sem ela. Mesmo por pouco tempo, ela já fica trêmula e irritada. Por isso, durante o carnaval, frequento parques bem cedo pela manhã. Antes de todos os foliões caninos chegarem. Para fantasia, coloco rapidamente em casa, faço fotos e pronto. Sempre precisamos priorizar o bem-estar dos peludos, mesmo que isso vá contra o que idealizamos.