gato deitado com calor

Calor pode ser muito perigoso para gatos – Robert Couse-Baker/Creative Commons

Na última quarta-feira (30), a cidade de São Paulo registrou o maior pico de calor de 2020 atingindo a marca de 37,1°C, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). A temperatura está 12,6ºC acima da média para o mês de setembro.

Não são apenas os humanos que padecem com o excesso de calor. Cães e gatos estão na fila da compra do ar condicionado também. Você sabe identificar quando um gato está com muito calor? Algumas dicas simples poderão ajudar o bichano a se refrescar.

Segundo a médica veterinária, que trabalha com felinos, Jacqueline Muniz, um gato com calor vai procurar locais frescos. Também é possível perceber a aumento de temperatura pela barriguinha do gato, pois ele terá uma respiração mais acelerada e superficial. “Quando o gato estiver de boca aberta, é porque o calor já está em um nível muito elevado e até preocupante” explica.

Riscos do excesso de calor em gatos

O excesso de calor pode gerar um risco de hipertermia (aumento excessivo da temperatura corpórea) e alterações fisiológicas, podendo levar o animal a óbito. As principais alterações, como conta Jacqueline, é o aumento da temperatura, aumento da frequência cardíaca, aumento da frequência respiratória, podendo até levar a uma parada cardio-respiratória. Por isso é tão importante observar os felinos nessa época quente.

gato com boca aberta

O excesso de calor pode levar gatos a óbito – Stratman² – (busy taking car/Creative Commons

Pode dar banho ou tosar gato no calor?

Jacqueline é veemente ao dizer que é contra banho em gatos, por ser uma atividade forçada. “Dar banho, vai depender de cada indivíduo. O ideal é pegar uma banheira ou uma caixa de areia vazia, encher de água, colocar gelo e brincar com o gato. Se ele quiser, poderá entrar para se refrescar. Mas é uma escolha do animal” aponta.

Veja como fazer um brinquedo super legal com água nesse vídeo:

Tosar o animal é totalmente contraindicado. Mas, em regiões muito quentes, o médico veterinário poderá avaliar caso a caso. “Podem ser indicados alguns tipos de tosa específicos para essa época mais quente, como só na barriga. Desde que o gato não tenha problemas comportamentais” explica.

A tosa também deve ser evitada, devido ao fato do seu pelo ser térmico e protege a pele tanto do frio, quanto do calor. Quando é feita a tosa completa e tirado todo pelo do gatinho, a pele ficará muito sensível. Assim, vai absorver muito mais calor, do que se ele estivesse com pelo. Algumas raças que tem três camadas de pelo e subpelo, como maine coon, ragdoll, o indicado é escovar, para tirar todos os pelos mortos e não tosar.

gato bebendo água da torneira

Hidratar o gato é de extrema importância no calor – Stratman² – (busy taking care of Joey )/Creative Commons

Ar condicionado e ventilador para gatos

Depois de muito pedir, os gatos estão liberados para ficarem em ambientes com ar condicionado e ventiladores. Porém, com alguns cuidados.

  1. Sempre supervisione o gato em um ambiente com ar condicionado ou ventilador, para evitar possíveis acidentes.
  2. Com ar condicionado, deixar também um umidificador, para não ressecar demais o ar, principalmente no caso de gatos com problemas respiratórios, como asma.
  3. Com ventilador, é importante não deixar ao alcance do gato, incluindo fios. Vai que eles resolvem redecorar o ambiente…

Sorvete ou picolé para gatos

Uma ótima forma de refrescar e oferecer algo diferentes para o gato são os sorvetes e picolés. Pode ser de sachê, carne, caldinho de carne ou algo que ele mais gostar (NÃO PODE SORVETE HUMANO!). “É uma brincadeira bem divertida e deliciosa para eles e que ainda os refresca” complementa Jacqueline.

Outras opções para refrescar o gato são:

  • Aumentar a quantidade de água nas refeições deles.
  • Estimular a ingestão hídrica, aumentando o número de potes de água pela casa e fontes
  • Adicionar água ao sachê
  • Colocar pedrinhas de gelo no pote de água e fontes.

Veja com escolher a melhor fonte de água para o seu gato no vídeo a seguir.

Jacqueline também indica manter a casa bem ventilada, com umidade boa, para evitar complicações respiratórias e o gato não desidratar. “Brincadeiras de alto impacto devem ser evitadas no maior pico de calor do dia” finaliza.

É nosso dever observar os bichanos e a qualquer alteração de comportamento ou de saúde, levar imediatamente ao médico veterinário.