Cachorro com fogos de artifício

Fogos de artifício com barulho causam medo em cães e gatos.                           Foto: Ana Paula @petinphoto

Já é lei em diversos municípios: Proibido soltura, venda e armazenamento de fogos de artifício com estampido (os morteiros ou mesmo aqueles que são só barulho). Em Jundiaí, por exemplo, onde eu moro, a lei 13.144/2020 foi sancionada em junho de 2020. É nítida a diferença entre o réveillon de 19/20 e o de 20/21.

Mudanças via legislativo e executivo estão sendo feitas. No estado de São Paulo, a Lei 17.389/21  sancionada em julho deste ano com o mesmo teor de proibição.

Eu sei que o fato de existir uma lei proibindo pode não coibir totalmente. Mesmo porque não há como ser feita a fiscalização. Mas, por experiência própria, somente a proibição da venda desse tipo de artefato já ajuda, e muito, na redução da poluição sonora causada durante a virada do ano.

No último réveillon, eu fiz toda uma preparação para que meus gatos e a Aurora (minha cachorrinha) não sofressem. Mas nem precisou. Os gatos dormiram e a Aurora ficou deitadinha quietinha, já que não teve quase barulho (só um ou outro espírito de porco).

Há um projeto de lei tramitando na Câmara dos Deputados (Projeto de Lei 6881/17) que proíbe o uso de fogos de artifício com estampido ou barulho em todo território nacional. Não apenas pensando nos animais, mas também nos autistas, nos bebês, no idosos, nas grávidas e em quem está internado.

Mas enquanto essa PL não é aprovada, seguimos com as nossas táticas para minimizar o estresse dos peludos.

Veja algumas dicas rápidas para diminuir o estresse de cães e gato a fogos de artifício:

  • Se seu cachorro já tem medo, não adianta seguir dicas milagrosas que prometem resolver o problema no dia dos fogos. O ideal é fazer um tratamento prévio ao evento fatídico.
  • Separe um quarto para você e seu cachorro. De preferência um cômodo que ele já costume se sentir confortável.
  • Cubra portas e janelas com cobertores ou edredons grossos para abafar o som vindo de fora.
  • Deixe uma caixa de transporte ou mesmo uma caixa de papelão para que o cachorro possa se esconder dentro.
  • Coloque uma música relaxante, que vocês já estejam acostumados a ouvir juntos.
  • Colocar uma gotinha de óleo essencial de lavanda no cobertor dentro da caixa pode ajudar no relaxamento.
  • Retire todo e qualquer objeto que possa ser um risco ao cão (por exemplo, coisas que quebrem ou quinas).
  • Deixe o cachorro com identificação (mesmo que você more em prédio. Nunca se sabe…).
  • Ofereça algo que o cachorro ame muito roer ou lamber (tudo bem se ele não quiser pegar. Com medo ele pode perder o interesse).
  • Passeios antes podem ajudar, mas um cachorro cansado não vai sentir menos medo.
  • Não deixe o pet sozinho de jeito nenhum durante a queima de fogos.
  • Há remédios que podem ajudar o pet a ficar com menos medo. Converse com o médico-veterinário (melhor se for especialista em etologia clínica).

Empresa pet lança campanha contra fogos de artifício

Outra forma de aumentar a pressão popular para que a proibição deixe de ser somente em alguns municípios é o engajamento de grandes empresas. Um dos exemplos é a Petlove&Co que lançou a campanha #fimdeanosemestresse para conscientizar players do universo pet-vet, pais e mães de pets, profissionais da área e a sociedade como um todo sobre os efeitos adversos do barulho dos fogos de artifícios aos animais de estimação.

Para ilustrar os efeitos que os estampidos causam nos pets, a Companhia lança um vídeo sobre o tema. Nele, as pessoas podem ver a reação dos cachorros com fogos de artifício, em especial durante as festas de fim de ano – quando ficam, muitas vezes, sozinhos em casa. “A soltura de fogos, principalmente os com sons, causa bastante medo em muitos animais e isso gera fugas, brigas, acidentes e até casos de óbito e é nosso dever, como uma empresa que preza pelo bem-estar, orientar a todos quanto essa questão”, afirma Jade Petronilho, Coordenadora de Conteúdo da Petlove e idealizadora do projeto.

A empresa desenvolveu ainda um tabuleiro interativo para explicar os problemas que fogos de artifício podem gerar para os animais, e indicar produtos adequados e uma seleção de músicas relaxantes.

Segundo Jade, a empresa tem o compromisso de garantir que os pets sejam cada vez mais felizes e saudáveis. “Quando falamos de saúde, isso também envolve a saúde mental e o bem-estar, por isso, neste ano, tivemos a ideia de fazer algo mais completo, mas que incluísse todas as marcas da companhia com a intenção de orientarmos não somente os tutores de animais, mas também profissionais do nosso mercado por meio de palestras, podcasts e outros conteúdos informativos” explica.

Com o lançamento da campanha, a Companhia pretende abordar o perigo dos estampidos ao longo de todo o ano. Populares nas festas de final de ano e símbolos de comemoração para os seres humanos, os fogos de artifício são um grande problema para o bem-estar e saúde animal e não estão restritos somente ao Réveillon. ” Acredito que ainda temos muito a evoluir quando falamos sobre o mercado pet, em geral. Se temos o poder de educar e informar, precisamos usar isso da melhor forma possível. Nossa ideia é ir além da marca e chamar a atenção de todos sobre a importância de terem consciência a respeito deste tema. Acho que o mercado pet precisa levar cada vez mais em conta que somos nós, humanos, que precisamos lutar pelos animais e que é nosso dever oferecer conforto e bem-estar para eles (especialmente porque nós é que os trazemos para dentro de nossas casas e nosso convívio)”, completa Petronilho.

Você também pode ajudar nessa luta!

Essa é uma causa que todos nós fazemos parte. Evite ir a festas ou locais que usem fogos com barulhos. Converse com familiares e amigos sobre os malefícios desse tipo de barulho para toda a comunidade. Replique vídeos e conteúdos informativos nas suas redes sociais. Ofereça o espaço mais seguro e confortável para o seu pet. São pequenas ações que somadas podem mudar a vida de muitos animais e pessoas. Não só nas festas de final de ano.