Thomas Hawk/Creative Commons

Thomas Hawk/Creative Commons

Um dia você percebe que seu cachorro está coçando as orelhas. Balança a cabeça sem parar. Você tenta achar o motivo. A primeira coisa que vem a cabeça é alergia ou talvez pulga. Mas seu peludo pode estar com otite (inflamação do ouvido).

A otite é muito comum dentro dos consultórios e casas (não só de pets), e chega sem ninguém perceber. Mas seu tratamento pode demorar mais do que gostaríamos.

Para entender melhor sobre esse assunto, procurei a médica veterinária Daniela Baccarin. Ela explicou que muitos fatores podem contribuir para o desenvolvimento da otite externa.

Principais causas

Tobias Klüpfel/Creative Commons

Tobias Klüpfel/Creative Commons

  • processos alérgicos
  • ectoparasitas (pulga, carrapato e sarna)
  • desordens de queratinização (seborreia)
  • doenças autoimunes

“Esses fatores, também conhecidos como causas primárias, são os responsáveis por causar a inflamação que levará a uma série de alterações no conduto auditivo (aumento da temperatura e umidade, vermelhidão, edema e dor) permitindo que bactérias e leveduras (fungos), naturalmente presentes no mesmo, se multipliquem perpetuando a inflamação e, consequentemente, o agravamento do caso” complementa Dra Daniela.

Como evitar

Justin LaBerge/Creative Commons

Justin LaBerge/Creative Commons

  • alguns animais, como os das raças Cocker Spaniel, Labrador e Golden Retriever, possuem aquela orelha fofa, para baixo (orelhas pendulares). Essas características anatômicas proporcionam um ambiente mais favorável à replicação das bactérias e leveduras. Por isso, devem ter mais cuidado e inspecionar as orelhas com mais frequência (semanalmente), para prevenir uma possível otite ou verificar qualquer tipo de alteração.
  • aqueles cães e gatos com muito pelo no conduto auditivo também devem ter mais cuidado. O ideal é aparar (não arrancar!) os pelos, para facilitar a ventilação do conduto.
  • se o animal de estimação pratica natação, costuma entrar em lagos ou é banhado frequentemente, proteja os condutos auditivos com algodão parafinado para impedir a entrada de água.
  • limpar excessivamente a orelha também pode facilitar a otite. Ter cerúmen (cera) no conduto auditivo é normal. Só se torna preocupante quando há em excesso ou com odor forte.
  • a limpeza da orelha deve ser feita somente quando há excesso de cerúmen, com produtos desenvolvidos especialmente para essa finalidade (outros produtos como, por exemplo, o álcool podem irritar).
  • usar antiparasitário (antipulgas e anticarrapatos) também ajuda a prevenir a otite.

Principais sintomas da otite

Tjarko Busink/Creative Commons

Tjarko Busink/Creative Commons

  • coceira intensa
  • excesso de cerúmen
  • odor desagradável
  • sensibilidade ao toque (dor)
  • surdez

Importante: se observar qualquer um desses sintomas, consulte o médico veterinário imediatamente.

Por que a otite é tão difícil de ser curada?

ginfox/Creative Commons

ginfox/Creative Commons

Se seu cachorro ou gato já teve otite, você sabe o quão chato e demorado pode ser o tratamento. Mas a Dra Daniela orienta: “muitos casos de otite externa acabam se agravando ou se tornando recorrentes devido à baixa adesão dos proprietários às recomendações prescritas pelos médicos veterinários”.

Também é muito importante que o médico veterinário descubra quais as bactérias ou fungos podem estar associados, além do motivo que originou essa otite. Sem isso, realmente o tratamento pode demorar mais do que o desejado. Tudo isso, pois, se não tratada adequadamente, a otite pode evoluir para surdez e até complicações neurológicas.

Por isso, notou algum comportamento diferente do seu peludo, procure imediatamente o médico veterinário e siga a risca todas as recomendações prescritas.