border collie

Border Collie é um cão de pastoreio – Corinne Benavides/Creative Commons

Originário da Grã-Bretanha, o cachorro da raça border collie é de particularidades. O que o faz único é sua facilidade de comunicação com o ser humano. Tudo isso devido a sua característica de ser um cão de pastoreio.

Sua função é juntar todas as ovelhas, sem que uma se perca ou se desgarre do grupo. Por isso, a comunicação entre o ser humano e o cão deve ser precisa. Com assobios e poucas palavras, o cachorro border collie é capaz de compreender em absoluto os comandos, sem errar.

Segundo a médica veterinária e criadora de border collie, Camila Sakavicius, os cães dessa raça são extremamente fiéis e companheiro ao dono, muito carinhosos, capazes de dar atenção ao seu dono 24 horas por dia. “Mas por conta disso também precisa ter atenção de volta. É realmente muito inteligente, apensar de não concordar com o título de ‘cão mais inteligente do mundo’” conta.

Título de cachorro mais inteligente do mundo

O cachorro da raça border collie, pela facilidade de comunicação com seu tutor, pode compreender diversas palavras e comandos. Assim, pela visão humana, é um cão muito inteligente. Segundo Camila, o que isso significa na verdade é que é um cão “alucinado por aprender e agradar seu humano”, por isso se saem tão bem em treinamentos.

Todavia, a inteligência de um cão não se dá apenas pela sua forma de lidar com humanos. Pensar dessa forma, é simplista e retira do cão todo seu arcabouço para comportamentos naturais da espécie.

Mesmo no caso de humanos, não podemos dizer que alguém é inteligente pelo fato de ser habilidoso com números ou fatos históricos. Antigamente, o invejado número do QI (quociente de inteligência) era o orgulho de toda mãe. Hoje, a inteligência é mais que uma habilidade, mas tem categorias. Dificilmente uma pessoa que é tem alta habilidade em exatas, tem a mesma facilidade com relações sociais.

Dizer que uma raça é inteligente ou não é um antropomorfismo, um julgamento pela ótica humana. Por isso, os principais pesquisadores e criadores da raça não gostam do título de “raça mais inteligente do mundo”. Mesmo porque, muitas pessoas buscam a raça por essa característica, sem entender todas as suas necessidades.

Para entender mais sobre inteligência canina, veja este vídeo.

Instinto de pastoreio do border collie

O médico veterinário, ex-criador de border collie e treinador de agility Dan Wroblewski conta que a raça foi selecionada para ser um exímio cão de pastoreio. “Hoje as pessoas esqueceram do instinto de pastoreio e cruzam os cães por beleza apenas” desabafa.

Como adestrar o border collie?

Adestrar um border collie é “mamão com açúcar”, como o dito popular. Desde que as técnicas certas sejam utilizadas, principalmente quando são filhotes e sensíveis. É preciso ser rápido, gentil, respeitoso e estudioso para adestrar um border. Se forem ensinados com técnicas abusivas e desrespeitosas, dificilmente terão bons resultados. Podem até se tornar reativos e medrosos. Principalmente se não forem socializados até um ano de idade.

Segundo Dan, o cão da raça border collie não é inteligente só para aprender coisas certas. Se não for educado adequadamente, poderá aprender muitas coisas erradas, na visão humana.

Tanto Dan, quanto a Camila são veementes em afirmar, que os border collies não devem ser educados através de broncas e punição.

Quanto vive um cão border collie?

Segundo Camila, mais importante que QUANTO é COMO eles vivem! “É raro ver Border Collies com mais de 15 anos de idade (não impossível, mas não tão frequente). Mas é igualmente raro ver border collies debilitados pela idade. Eles envelhecem bem” relata.

border collie correndo

Apesar de viver entre 13 e 15 anos, sua velhice é tranquila – Corinne Benavides/Creative Commons

Quais as diferenças entre o border collie e o pastor-australiano?

É muito comum haver diversas confusões com a raça border collie. Alguns acham que são parentes da raça Collie. Outros, confundem com a raça pastor australiano. Mas são raças completamente diferentes, tem funções diferentes, temperamento diferentes, tamanhos diferentes.

Dan diz que existem algumas semelhanças físicas, mas o pastor australiano é maior, mais pesado, não tem rabo, é mais tranquilo e não tem a intensidade de um border collie. “É mais fácil ter um pastor australiano do que um border collie” conta.

Qual o perfil ideal de tutor para ter um border collie?

Segundo Camila, o border collie é perfeito para quem quer fazer uma trilha de vários quilômetros, mas que também ter um companheiro para uma maratona de séries no sofá, em um dia chuvoso.

Não é um cachorro para deixar no quintal, sair para passear somente duas vezes ao dia e jogar bolinha. Precisa de relação intenso com seu tutor. Se ele fica muito tempo sozinho, pode desenvolver diversos problemas de comportamento.

O border collie precisa trabalhar. Por isso, o ideal é um tutor tenha conhecimento de treinamento de cães, enriquecimento ambiental e tenha disponibilidade para leva-lo para fazer agility, treino de obediência, fresbee ou pastoreio.

“Alguém que queira ‘apenas um cachorro’, ou que queira ter um bibelô para mostrar para os amigos ou para distrair as crianças quando não tiverem o que fazer, não é o humano ideal para um Border Collie” afirma Camila.

Dan é categórico ao dizer que a residência ideal para um border collie é um sítio, uma chácara ou uma fazenda. “Mas é possível ter um border collie em área urbana, desde que haja a consciência da necessidade de atividade físicas e mentais diariamente” comenta Dan.

Tanto Dan, como a Camila afirmam que é possível, sim ter um border collie em apartamento, apesar de não ser o ideal. “ É fácil? Não, não é! É impossível? Longe disso! É perfeitamente possível!” conta Camila.

O principal problema de morar em apartamento é o espaço, mas isso pode ser suprido com atividades, passeios e até mesmo contratando serviços de “day care”.

Dan confessa que parou de criar border collie devido a falta de conhecimento dos tutores sobre as necessidades da raça. Assim, reclamavam que o cão destruía as coisas, mesmo sendo “a raça mais inteligente do mundo”.

Segundo Camila, o mais importante é ter em mente o quando se quer ter um companheiro e o quanto está disposto a adaptar a sua rotina para que essa relação seja 100% saudável para humanos e cachorro.

border collies pastoreando ovelhas

Eles poden viver em apartamento, desde que tenham atividades diárias – Lawrence Wright/Creative Commons

Por que o border collie é tão bom em agility?

Dan foi um dos primeiros profissionais a trazer o agility para o Brasil. Ele é categórico em afirmar que devido ao porte físico, leveza, inteligência, concentração, foco, facilidade de fazer curvas (devido ao pastoreio) e a intensa relação com o humano, é a raça que se dá muito bem em atividades físicas, incluindo a agility.

border collie fazendo agility

Uma ótima raça para praticar agility – Foto: Dan Wroblewski

Border collie X crianças

Algumas pessoas dizem que border collies não gostam de crianças e mordem seus calcanhares. Mas isso é um mito.

O que acontece é que o seu instinto de pastoreio, quando não utilizado de forma correta, será redirecionado para o que ele encontrar para pastorear. “Se está o border collie, o pai e a criança, o cão poderá encurralar a criança em direção ao pai. Se a criança não seguir esse comando, o border collie poderá dar uma beliscada para que a criança faça o mesmo que uma ovelha faria. Mas isso pode ser facilmente corrigido” explica Dan.

Camila afirma que não é um cão “para crianças”, mas sim é perfeitamente possível que seja um cão de humanos que tenham crianças, desde que essas sejam supervisionadas.

Por tudo isso, é muito importante a pessoa ter absoluta certeza que deseja ter um border collie, com todas as suas necessidades e características. Mas buscar um criador idôneo, que faça exames genéticos e de saúde. Isso porque existem dezenas de doenças genética-hereditárias que podem vir “de presente” com um filhote. “A maioria das doenças podem ser evitadas por uma criação séria e consciente, através da reprodução de pais devidamente testados e saudáveis para essas doenças” aponta Camila.

Outro ponto fundamental é o criador promover bem-estar aos seus adultos e filhotes. Por isso, o indicado é conhecer como vivem os cães e como é de fato o dia a dia desses cães. Não compre em lojas! Vá até o criador.

O grande problema e mito do cão da raça Border Collie é que ele é o cachorro ideal por ser inteligente e saber tudo. “O Border Collie não é o pet ideal” finaliza Dan.