cachorro na banheira

É importante cuidar do bem-estar dos cães, mesmo na hora do banho – shoehorn99/Creative Commons

Uma das coisas mais complicadas para a Aurora é a o banho. Já passei com diversos profissionais. Tive ótimas experiências, mas também alguns péssimas. Por receio do que pudesse acontecer, decidi passar a dar banho em casa mesmo. Afinal, minha cachorra é uma chihuahua de 2 quilos.

O grande problema de levar a Aurora para pet shops é mantê-la em pé. Por conta do piso da banheira ser de azulejo, com água, aquilo se torna um ótimo lugar para escorregar. Ainda mais ela que tem dificuldade locomotora. Para resolver isso, alguns locais improvisam colocando toalha ou até um tapete antiderrapante.

Eis que chegou até mim a notícia de um pet shop voltado exclusivamente para o bem-estar dos animais e sustentabilidade. Uma coisa é um texto contando, outra coisa é ir lá conferir. Então, peguei minha cobaia (Aurora) e fomos ver na prática o diferencial desse local.

Já dei algumas aulas sobre bem-estar dentro de pet shop, mas sempre tive o retorno de que algumas coisas não são factíveis na rotina do banho e tosa. Até que eu conheci a Brigitte Lee, comportamentalista e tosadora. Seu enfoque é exatamente se preocupar com o conforto e tranquilidade do cão durante banho, secagem e tosa. Ela atende principalmente aqueles cães super reativos, que nenhum pet shop aceita mais, sabe?!

Passamos a trocar inúmeras figurinhas sobre como minimizar o estresse durante o banho e a tosa.

Pet Shop dos sonhos

Segundo Brigittee, pensando no bem-estar dos pets, seria um pet shop com profissionais que sabem fazer uma interpretação real do comportamento dos pets. “Muitas vezes, acreditam que o cão está tranquilo somente pelo fato de ele estar parado. Entretanto, o cão pode estar sem se movimentar com sensações agradáveis ou desagradáveis do ponto de vista dele e não do ser humano. O cão pode apenas ficar sem reação, porque não tem para onde fugir” explica.

Outro fator que costuma estressar muito os cães de grande porte é serem pegos no colo para serem colocados na banheira ou mesa de tosa. Os pequenos estão acostumados a serem pegos no colo por nós, mais os grandões não, e, muitas vezes, têm medo desse manejo. Ou seja, o estresse pode começar muito antes do banho.

Banheira para cães grandes

Entrada da banheira para cães grandes
Foto: Luiza Cervenka

Ter a possibilidade de entrar andando na banheira ajuda a se sentir mais seguro. “Dessa forma, é possível perceber se ele realmente está concordando com o fato de entrar na banheira se ele for com as próprias patas. Além disso, os profissionais não correm risco de terem as costas prejudicadas ao erguer muito peso, nem de escorregarem no chão que geralmente está molhado. O benefício é mútuo” aponta Brigittee.

Agora um assunto polêmico: no meu pet shop dos sonhos, não há lacinhos e nem perfume. Nem todos os cães estão acostumados com adereços e eles podem causar grande incômodo. Eu sei que é fofinho, mas primeiro o bem-estar dos peludos, depois a fofurice. No caso do perfume, esquecemos o quanto o olfato do pet é sensível. Imagine ter que ficar com aquele cheiro, que muitas vezes é forte e desagradável a ele. Isso sem poder tirar ou minimizar.

Brigittee é categórica sobre o assunto, comentando que existe um dilema entre o bem-estar do pet e atender o que o mercado realmente compra. “São raros os tutores conscientes que pedem para não colocar perfume e a maioria em peso manda até colocar perfume extra ou troca de pet shop” pontua. O grande problema, segundo Lee, é o fato das pessoas desconhecem que se o “banho não dura” é porque o cachorro pode estar com dermatite, otite, doença periodontal ou qualquer outra infecção que libere odor. E quem acaba sendo penalizado é aquele que não sabe falar a língua humana e nem tirar o perfume desagradável sozinho.

Bable Pet

Voltando a minha experiência com a Aurora. Fomos até uma das lojas da Bable Pet, conhecer o banho. Já na chegada, passamos por um questionário sobre lacinhos, perfumes, alergias e cuidados com o cão. Expliquei, então, que a Aurora escorregava e não parava em pé na banheira.

Só depois eu entendi como é a banheira, patenteada pela rede. São diversos degraus, a depender do tamanho do pet. Todos com piso emborrachado. Mesmo assim, dois profissionais foram solicitados para que um desse o banho e o outro segurasse a pequena no colo.

Na hora de secar, uma sala acústica, para aquele barulho de secador não influenciar nos cães que estão em outras fases do banho. OS equipamentos potentes agilizaram o processo, deixando a Aurora pronta rapidamente. O que, no caso dela, é algo muito importante. E o colo continuou mesmo na secagem. Uma regalia e conforto para minha velhinha.

Aurora sendo secada

Momento da secagem no colo
Foto: Luiza Cervenka

O maior sinal de que ela saiu bem foi o pescoço. Quando ela se estressa, baba tanto que sai com o pescoço molhado. Não só ela saiu sequinha, como assim permaneceu ao longo do dia. Tudo isso sem perfume, sem lacinho e sem estresse.

Enquanto a Aurora tomava banho, conversei com a Laura Rodrigues, fundadora da rede. Ela me explicou toda sua pesquisa em bem-estar de pets, utensílios para banho e tosa com baixo ruído e até um sistema específico de aquecimento de água. Isso sem falar em toda preocupação com o meio ambiente.

Uma das lojas, de Piracicaba, é quase que autônoma em energia, já que tem uma usina solar. As toalhas são descartáveis, para que não precise gastar muita água na lavagem, mas o material é biodegradável. Ainda assim, é possível utilizar uma mesma toalha para fazer a limpeza da banheira de diversos banho, já que o produto adere à superfície a aumenta sua eficácia. A preocupação com a higiene e contaminação é muito grande.

Para deixar os bichinhos mais calmos, por exemplo, a música clássica – que reduz a ansiedade nos cachorros – toca no ambiente o tempo todo. A marca também conta com o serviço de beauty express (beleza expressa), com atendimento sem hora marcada.

“A Bable valoriza a segurança deles, por isso cada um dos cachorros que passa pelos nossos serviços é tratado de forma especial. Criamos uma rede na qual eles se sintam confortáveis e estejam seguros, e não somente um serviço de banho e tosa habitual’’, conta Laura.

A ideia principal é tratar o cachorro como cachorro, no melhor sentido da expressão. Por isso, não tem ofurô, tratamentos de beleza, muito menos penteado. Nada de humanizar o peludo e esquecer do seu bem-estar.

Mesmo assim, a depender do cachorro, pode haver estresse. Não há profissional perfeito, muito menos espaços que atendam todos os perfis de cães. Por isso, se seu cachorro tem algum tipo de sensibilidade ou angústia durante o processo de banho e tosa, busque um profissional do comportamento, para que seja feito um trabalho para ele se sentir seguro e confortável. O banho não pode ser um estresse. Se ele já chega com medo ao pet shop, entenda o que está acontecendo e busque o melhor para o seu peludo.