cachorro deitado na grama

Alimentos e petiscos podem ajudar a diminuir estresse e medo de fogos de artifício – Freddy Smet/Creative Commons

A reação de estresse em cães e gatos é bastante semelhante ao que acontece nos humanos. Com o medo, há três reações possíveis: luta, fuga ou congelamento. Na luta, o cachorro pode latir para o barulho dos fogos. Na fuga, se esconde, treme, baba. Já no congelamento ele trava e não consegue fazer mais nada, como se estivesse petrificado.

Normalmente a reação dos cães e gatos nos dias com fogos é de fuga. Eles buscam um local para se esconder e não saem de lá até que o barulho acabe. Mas tem como aliviar o estresse desse momento.

O grande vilão do estresse é um hormônio chamado cortisol. Em qualquer uma das três respostas ao medo, lá está ele. O grande problema é que não há remédio que consiga diminuir o cortisol. O que podemos fazer é aumentar a concentração de outros hormônios e neurotransmissores que ajudam na diminuição do cortisol e aumento da sensação de bem-estar.

Serotonina, dopamina e oxitocina fazem parte do batalhão do bem-estar. Quando essas três aumentam, os efeitos gerados pelo cortisol diminuem. Por isso que muitos antidepressivos são receptadores de serotonina. Eles pegam a serotonina livre, que não foi usada no cérebro e coloca para jogo de novo.

Outras formas de ajudar na resposta ao medo é diminuindo a sensibilidade do animal aos estímulos. Nesse ponto entram os calmantes e relaxantes. Eles fazem com que os sintomas do estresse não sejam tão elevados e intensos.

Ração relax para cães

Uma das formas de ajudar na produção de serotonina é oferecer mais triptofano na alimentação do pet. Este indivíduo (o triptofano) é o precursor da serotonina. Não tem como oferecer direto a serotonina para o nosso corpo. Então, a gente dá uma leve roubadinha oferecendo o ingrediente para fabricar a serotonina.

Essa é uma das bases da nutracêutica, ciência que combina nutrição e bem-estar animal. A partir de testes realizados para identificar as diferentes necessidades dos pets, a Royal Canin lançou um novo produto para proporcionar maior bem-estar.

Segundo pesquisas realizas pela marca, um dos problemas mais recorrente em cães é o estresse. Os cães podem apresentar sintomas de ansiedade em diferentes situações e pelo contato a diversas fontes de estresse, especialmente em momentos de mudanças em sua rotina, por exemplo.

Relax Care pode ajudar nesses momentos de estresse. Tudo graças a um óleo de peixe hidrolisado, com efeito cientificamente comprovado, unido ao nosso amigo triptofano.  As pesquisas mostram que mais de 44% dos cães apresentaram um comportamento normal em ambiente de mudança após a utilização do alimento, facilitando a adaptação dos cães às situações de estresse do dia a dia.

No estudo, os cães eram submetidos a barulhos de tempestade e trovões. O nível de cortisol foi mensurado com e sem o uso do óleo de peixe. Houve uma diminuição nos comportamentos vinculados ao medo e ansiedade, além de reduzir às respostas ao cortisol.

“Mais da metade da população mundial de cães desenvolve algum quadro clínico de saúde que poderia ser evitado. Em muitos casos, a resposta para controlar esses quadros e impedir que se torne uma doença está na nutrição, mas se os sintomas persistirem, é sempre importante consultar um especialista”, comenta Natália Lopes, Médica-Veterinária e Gerente de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil.

O alimento pode ser oferecido diariamente para cães de pequeno porte. Ele não entra na linha de ração medicamentosa. O ideal é que a ração comece a ser oferecida o quanto antes para poder observar os resultados. Se possível, uns 10 dias antes do evento estressor.

cachorro escondido

Na fuga, o cachorro tenta se esconder do que lhe causa medo – PINKE/Creative Commons

Petiscos que acalmam

Outra opção é oferecer petiscos com ingredientes fitoterápicos. Valeriana, camomila, e passiflora são alguns dos princípios utilizados para ajudar no relaxamento de cães, gatos e humanos.

No mercado pet há diversas opções e marcas de petiscos com princípios calmantes. Já testei alguns. Uns com melhor resposta do que outros. Mas não há milagres.

A marca Nats lançou a pouco mais de um ano o petisco Cats 3 em 1.  Segundo Marcos Garcia de Oliveira, Diretor Proprietário da Nats, o intuito do produto foi agregar um ingrediente natural que pudesse proporcionar algum benefício com sua utilização. “A valeriana sabidamente tem propriedades fitoterápicas que trazem redução do estresse e consequentemente redução da formação de bolas de pelo devido ao hábito do gato se lamber” explica.

Vale ressaltar que o petisco não tem caráter curativo e não deve ser utilizado como única fonte de alimento. Nada mais é do que um agrado, faz parte de um momento de interação afetiva entre tutor e pet. “O feedback tem sido positivo por parte dos tutores, principalmente devido a aceitação, já que os gatos são bem exigentes. As respostas são variáveis em função das próprias características individuais dos gatos, da frequência e da quantidade de fornecimento dos produtos” aponta Marcos.

Outra marca que vem ganhando bastante notoriedade no mercado é a Botica Pets. A versão em palitos da Fórmula Maracujá (treats) tem como objetivo facilitar ainda mais a administração do suplemento para os cães. A fórmula inclui: Passiflora incarnata (efeito ansiolítico, melhora a hiperatividade, auxilia em distúrbios nervosos, fobias e agressividade) + alcachofra (ação digestiva e antioxidante) + levedura de cerveja (melhora a digestão).

Com efeito ansiolítico, a fórmula promove maior equilíbrio emocional, acalma animais que sofrem de ansiedade, reduz a hiperatividade, diminui distúrbios nervosos, medos e agressividade, promovendo maior conforto. Segundo Ana Cristina, veterinária da marca, a Fórmula Maracujá foi desenvolvida e testada por veterinários diante do benefício já conhecido da passiflora no organismo de humanos e pets. Estudos científicos foram desenvolvidos com a utilização do produto, garantindo sua eficácia.

O produto começa a apresentar efeitos a partir de duas horas após a administração. Mas o ideal é que seja dado durante alguns dias antes de um evento estressor.

Não se baseie apenas em alimentos ou petiscos. Não há milagres. Esses produtos ajudam na redução do estresse, mas não resolvem totalmente. É um coadjuvante na luta pelo bem-estar dos animais. Não há milagres. Há diversas outras coisas que devem ser feitas para ajudar cães e gatos a lidarem com situações estressantes, como as festas de final de ano. Cenas dos próximos capítulos.