ack Lin/Creative Commons

ack Lin/Creative Commons

Quem é felícia ou gateiro, adora apertar a pancinha dos gatos. Mas você sabe o que pode haver escondido por ali?

Pancinha, pelanquinha, pâncepis, gordinho e área proibida são algumas das formas carinhosas de se referir à barriguinha do gato. Muitos mitos e dúvidas pairam sobre essa região tão fofinha.

Dar a barriga não é sinal de “faça carinho”

Quem está acostumado a lidar com cães, sabe que eles, normalmente, adoram um bom carinho na barriga. Como é uma região com menos pelos e pele mais fina, eles têm mais sensibilidade ao toque.

picturesinmylife_yls/Creative Commons

picturesinmylife_yls/Creative Commons

Em cães, dar a barriga pode querer dizer confiança. Muitas vezes vemos um cão dar a barriga para outro. Algumas pessoas falam que isso quer dizer submissão. Na verdade, isso pode acontecer como sinal de paz. Quando um cão muito medroso tenta fazer amizade, o maior pode oferecer a barriga como sinal de ausência de perigo. Dar a barriga também pode sinalizar ausência de conflito. O cão que deita com a barriga para cima, aceita a aproximação do outro animal, de forma pacífica.

Claro que esse comportamento é encorajado por muitos “ai, que lindo”, “cadê o baligão?!”, “deixa eu fazer carinho na pancinha!”. Assim, os cães aprendem que, ao dar a barriga, recebem carinho e atenção.

Mas e os gatos?

William Hartnett/Creative Commons

William Hartnett/Creative Commons

O comportamento dos felinos, na maioria das vezes, não pode ser comparado ao dos cães. Apesar de fofinhos e peludinhos igualmente, cães e gatos têm origens diferentes e, por isso, seus comportamentos podem ser quase antagônicos.

Então, quando o seu gato mostrar a barriga, não quer dizer que ele quer carinho ou aproximação. Pode ser uma forma de se espreguiçar, esfriar o corpo ou só te provocar mesmo.

Muitos gatos têm pavor que encostem em sua barriga. A médica veterinária especialista em felinos, Luciana Deschamps, explica que algumas gatas não gostam que toquem na barriga, por lembranças de dor ou incômodo após a castração.

Quem nunca levou uns chutinhos após não resistir e apertar a pancinha do gato?

E por falar em pancinha….

Foto: Adriana Fotografia

Foto: Adriana Fotografia

Você sabia que existe uma função para aquela pelanquinha na barrida do gato?

Sabe aquela pele que fica caída e balança quando eles andam? Essa pelanquinha ou bolsa primordial fornece uma pequena proteção contra alguma pancada ou briga entre gatos. “Mesmo quando o gato emagrece, é muito difícil se livrar dessa bolsinha de gordura. É preciso convencê-lo a fazer exercícios” esclarece dra Luciana.

Quando a barriga se torna um problema?

Benny Bottema/Creative Commons

Benny Bottema/Creative Commons

A existência de uma barriguinha não necessariamente quer dizer que há algo errado com o gato. “O grande problema é que muitas vezes o gato apresenta uma gordura abdominal em excesso, por causa de uma obesidade mórbida. O que não é nada saudável para o animal” alerta dra. Luciana.

Se você passar a mão nessa região e sentir algum aumento de volume, alguma formação rígida, procure imediatamente o médico veterinário, para que ele possa fazer uma avaliação através da palpação e do ultrassom abdominal.

Acredite, se quiser: alguns proprietários não gostam desse excesso de pele na região abdominal e buscam a cirurgia de redução. Como se fosse uma lipoaspiração. “Quero deixar claro que sou radicalmente contra diminuir esse excesso de pele cirurgicamente” enfatiza a veterinária.

Mas meu gato adora dar a barriga….

Foto: Frederico Dolabella

Foto: Frederico Dolabella

Toda regra tem uma (ou várias) exceção. O gato Boris Bolitovsky é um exemplo. Muito esperto, ele descobriu que ninguém se segura diante de uma barriga fofinha e peluda. Por isso, quando seu tutor, Frederico Dolabella, recebe uma visita, Boris já logo oferece sua barriga como boas-vindas.

É tiro e queda! Na hora ele já passa a ser o centro das atenções. “É o gato mais simpático do mundo” confessa Frederico.

Foto: Frederico Dolabella

Foto: Frederico Dolabella

Tudo isso, para desespero do Sidarta Gautama, o gatinho branquinho, que não oferece a barriga a estranhos. No máximo, uma cabeçada na perna, e olha lá.

O mais importante é respeitar a vontade de cada gato. Afinal, cada um tem seu jeitinho peculiar, com áreas permitidas para carinho e outras interditadas.