cachorro deitado no sofá

A volta às aulas e trabalho presencial pode interferir na qualidade de vida dos pets – Tomos Kay/Creative Commons

Chegou aquele momento que muitas pessoas esperavam: a volta ao trabalho e aulas presenciais. Mas com menos tempo em casa, como ficarão os cães e gatos?

Muitos pets foram adquiridos durante a quarentena da pandemia de COVID-19. Pessoas sozinhas, isoladas de amigos e familiares encontraram nos animais de estimação uma possibilidade de companhia e carinho. Mas como adaptar um animal de estimação, que sempre teve seu tutor em casa, a ficar sozinho? Essa não é um dúvida apenas de tutores da pandemia, mas também daqueles que já tinham cães e gatos.

Como treinar o cachorro a ficar sozinho?

Quem mais aproveitou o home office foram os cães. Ter o tutor 24h em casa é o sonho de todo peludo. Muitos, inclusive, fizeram parte das reuniões com aparições inusitadas.

O mais importante dessa mudança de rotina é que ela não seja brusca. Se um dia estivermos em casa e no dia seguinte já passarmos longas horas fora, o cachorro sofrerá. Não apenas pelo fato de estar sozinho, mas pela alteração de rotina, que os cães não gostam.

Por isso, é muito importante fazer uma transição gradativa. Aqui vão três dicas:

  1. Uma opção é fazer treinos de isolamento dentro de casa. Para isso, basta oferecer algo muito gostoso para o cachorro (pode ser um mordedor ou mesmo um tapete de lamber) e se isolar em um quarto ou escritório, sem que o cachorro tenha acesso. O treino pode começar com pouco tempo, uns 3 minutos. Esse período pode ser maior ou menor de acordo com a tolerância do cachorro em ficar sozinho. Se ele latir ou arranhar a porta, sinal que passamos o limite dele e ele entrou em desconforto. No próximo treino, devemos começar com menos tempo. Aos poucos, você poderá aumentar o tempo de isolamento, para ser semelhante ao período que ficará fora. Assim, o cachorro vai aprender que estar em cômodo separado, mas ainda sim sozinho, pode ser algo divertido e tranquilo.
  2. Outra opção é associar música e aroma a momentos que vocês estejam juntos, relaxando. Assim, quando você precisar sair, pode deixar essa mesma música para o cachorro associar o momento a algo tranquilo e confortável.
  3. Se você tiver a possibilidade, ao invés de voltar ao presencial o dia todo, vá apenas algumas horas e volte para casa. Aos poucos, aumente o tempo que ficará fora. Isso poderá ajudar da adaptação do cachorro.
  4. Creches e pet sitters são uma ótima saída para não deixar o cachorro tanto tempo sozinho. Mas para isso, também precisa de adaptação. Nem todos os cães têm perfil para frequentar uma creche ou receber uma pessoa em casa, sem ser seu tutor.

Para ajudar nesse momento delicado, três empresas se juntaram para produzir um material para ajudar tutores de cães e gatos nessa fase. Pet Games, PetLove e Dog Hero convidaram alguns profissionais para dar dicas através de um jogo divertido.

jogo de tabuleiro

Jogo para tutores ajuda no fim do home office – Imagem: PetLove

Para ter acesso a todo o conteúdo, basta clicar aqui.

Não deixe para última hora. Comece desde já a preparar seu pet para ficar mais tempo sozinho em casa. O bem-estar deles está em nossas mãos.