Jason Meredith/Creative Commons

Com a convivência diária e a proximidade cada vez maior entre os cães e nós, humanos, é comum que ocorram alguns desentendimentos. Como acontece entre pessoas, com os animais há má interpretação de sinais e gestos. Assim, situações desagradáveis podem fazer com que o vínculo de amizade e respeito seja quebrado, ou ainda criar traumas psicológicos no animal.

Para você evitar fazer o que não deve com o seu cão ou com o do vizinho, aqui vão alguns toques. Muitos deles podem passar imperceptível, mas fazem muita diferença.

1) Ser encarado

Olhar nos olhos é um sinal de desafio no mundo animal. Muito antes da briga física acontecer, os animais se encaram, demonstram suas intenções com corpo (posição de patas, língua, orelhas, rabo e até piloereção). A disputa não irá para as vias de fato, caso um dos indivíduos desista, desvie o olhar e saia de perto. Por isso, encarar um cão, ainda mais desconhecido, pode ser assustador ou até ameaçador a ele. Veja neste vídeo como se aproximar de um cão.

2) Abraços em excesso

Christine Lynch/Creative Commons

O abraço é uma demonstração de afeto entre os primatas. Ele remete ao cuidado e proteção da mãe com o bebê. Em cães, esse tipo de comportamento não acontece. Pular ou agarrar um outro animal acontece rapidamente em momentos de brincadeira intensa, ou em conflitos e brigas. Por isso, muitos cães não gostam de intensos e longos abraços. Um agarrinho até vai, mas sem exagero. A demonstração pode se manter no carinho mesmo.

3) Beijos

Minha eterna frustração: a Aurora, minha cachorrinha, odeia beijos. Assim como ela, muitos cães também se sentem incomodados com a aproximação da boca ao seu focinho. A cabeça é uma área muito delicada dos animais. Ter uma grande boca se aproximando, sem a certeza do que ela fará, pode causar medo e angústia no cão. O que pode ser feito é aproximar, um pouco, a bochecha da boca dele e esperar ele vir cheirar. Se você merecer muito ou tiver um cheiro interessante, pode até ganhar uma lambida. Mas não se empolgue em querer retribuir. Entenda porque os cães lambem a nossa boca.

4) Forçar interações

Cães são animais extremamente observadores. Gostam de entender como é o comportamento de um indivíduo, antes de se aproximar. Ainda mais se for alguém estranho ou com alguma vestimenta diferente. Forçar o cão a interagir com uma pessoa estranha, um bebê, outro cão ou até um novo objeto pode causar estresse e angústia ao animal. É preciso respeitar o tempo dele, até que haja o interesse da interação.

5) Usar guias e coleiras erradas

É comum observar os tutores comprando coleiras e guia para seus cães nos pet shops. Porém, muitas vezes, eles não estão acompanhados dos seus peludos. Não experimentar o equipamento, conferindo tamanho, peso e indicações, pode causar extremo desconforto ao cão durante o passeio. A certeza da coleira certa, com o material adequado irá garantir a alegria e relaxamento do cão durante o passeio. Coleiras apertadas ou mesmo folgadas podem modificar o comportamento do animal e até causar acidentes.

6) Ser tratado como um mini-humano peludo

Mesmo adorando dormir na nossa casa, os cães não gostam de ser tratados como se fossem um bebê humano. Eles querem sair, passear, rolar na grama, sentir novos cheiros e fazer novos amigos. Quando humanizamos o bichinho e esquecemos das suas necessidades, facilitamos o aparecimento de problemas comportamentais e até físicos. Por isso, dedique um pouco do seu tempo para buscar mais informações sobre como os cães se comunicam, o que eles precisam para serem felizes ou mesmo o que cada comportamento quer dizer (rabo, orelhas e língua devem ser observados e compreendidos).

7) Castigo e broncas 

Se castigo adiantasse, não teríamos tantos adultos com comportamentos difíceis. Se não funciona para humanos, também não funcionará para cães. Eles não compreendem a lógica do castigo, como as crianças. Se eles soubessem que comer seu sapato novo iria te deixar magoado (para não dizer possuído), eles não fariam. Se eles fazem algo errado, é por falta de opção. Talvez você não deixou algo mais interessante para ele roer. Deixá-lo isolado da pessoa que ele mais ama, só irá deixa-lo mais angustiado e ansioso. Ao sair do castigo, com certeza irá comer alguma outra coisa.

Broncas também não funcionam! Nem durante, muito menos depois do comportamento errado. O cão simplesmente não consegue relacionar o que ele fez a sua fala. Além disso, se ele se comportou de uma forma que não agradou, algum motivo tem. Cães não fazem birra ou mal criação. Eles simplesmente buscam coisas para satisfazer suas necessidades, caso elas não sejam atendidas.

8) Cheiros muito fortes

O olfato dos cães é um dos sentidos mais importantes em sua vida. Por isso que ele prefere cheirar todos os postes durante o passeio, ao invés de brincar com o cachorro da vizinha. Como começa uma “conversa” entre os cães? Cheirando o fiofó do coleguinha. É nele que existem todas as informações necessárias. Tipo um Facebook canino. A comunicação olfativa é a primeira a ser desenvolvida no filhote. Aí vem os humanos e se lotam de perfume, passam produtos super cheirosos na casa e (o pior) passam litros de perfume do cachorro. Tudo isso sem perceber que o animal fica irritado ou até com alergia desses odores. São bons para nós. Mas e para o cachorro, não será excessivo?

9) Sons repentinos e altos

O cão ouve melhor que o ser humano. Isso todos sabem. Mas não é, simplesmente, que ele ouça os barulhos num volume mais alto que nós. Os cães escutam frequências que nós não escutamos, como os ultrassons e infrassons. Por isso, uma música que você adora pode ser extremamente irritante ou desconfortável ao cão. Mesmo aqueles apitos específicos para cães, podem doer o ouvido deles. Isso porque nós, humanos, sem escutar os ultrassons, que desenvolvemos. O melhor é ter uma playlist de músicas mais tranquilas, para auxiliar o animal a se acalmar. Reage e new age são ótimos estilos musicais para cães.

10) Falta de atividades

Todos os cães, independentemente da idade, tamanho, raça ou local onde morem, precisam ter atividades diariamente. Passeios, desafios, brinquedos, coisas para destruir, socialização e novidades são super importantes para garantir a alegria e sanidade mental do animal. A falta de uma ou todas essas atividades faz com que o cão fique muito entediado e estressado. Depois ele destrói seu sapato novo e você não entende o porquê. Isso sem falar nos diversos problemas comportamentais que podem acontecer por falta dos estímulos corretos para atender todas as necessidades da espécie.

Ao ter um animal em casa, devemos nos adequar a ele. Ele não pediu para estar na nossa casa. A intenção foi nossa de ter um amigo peludo. Quanto mais informação você buscar e mais se dedicar para dar uma vida canina para ele, mais feliz e saudável ele será!