spices-1

Pra mim, molho de tomate que se preze tem que ter manjericão. E feijão sem louro? Não tem graça nenhuma. A canela é obrigatória em todos os docinhos que levam banana ou maçã. Moro em apartamento e ainda não consegui fazer uma hortinha por lá, mas me divirto quando chego na casa dos meus pais. É no quintal deles que me abasteço com alecrim, sálvia, tomilho, coentro, hortelã e manjericão. Na hora de cozinhar também costumo lançar mão do curry, da páprica, da canela e da noz moscada, que vem do supermercado mesmo. Mas ainda sou uma iniciante nesta arte de temperar. Fico observando o meu pai, que costuma fazer marinadas incríveis para as carnes com eles. Mesmo com todo esse apreço pelas ervas e especiarias, eu não sabia de todo potencial que elas têm. Descobri recentemente folheando o segundo volume do livro ‘Receitas Toques e Truques’ da nutricionista Mayra Correa. E fui conversar com ela sobre alguns desses poderes.

-Quais ervas ou especiarias podem auxiliar na digestão?                                                                                                  
M.C.  O alecrim, por exemplo, possui diversos óleos essenciais com diferentes funções, entre elas ajudar na digestão. As sementes de cardamomo também são eficientes na melhora da digestão e no alívio de gases. Além de utilizá-lo em molhos, sopas, vitaminas e recheios, você também pode mastigar as sementes, que têm um aroma suave e podem ajudar a diminuir a vontade de comer doces. A noz moscada tem diversas funções, entre elas a de ajudar a amenizar dores e cólicas abdominais. Boa para consumir em forma de chá, a menta possui óleos essenciais, como o mentol, que aumenta a produção biliar, facilitando a digestão de gordura.

-Para terem este efeito elas devem ser consumidas em forma de chá ou extrato ou basta utilizá-las como tempero?
M.C. Você terá os benefícios utilizando de todas as formas, mas se usar como chá e extrato fica mais concentrado, tendo assim mais benefícios. De qualquer forma, vale a pena investir na utilização culinária das ervas e especiarias, pois além de darem um aroma e um sabor especial às preparações, substituem os temperos industrializados, cheios de sódio e aditivos químicos.

-Quais delas agem como antioxidante?
M.C. Os antioxidantes são substâncias que evitam a formação de radicais livres no organismo, são eles que promovem o envelhecimento celular e o aparecimento de doenças como o câncer. Assim, os antioxidantes combatem o envelhecimento precoce e ajudam a prevenir doenças. A cúrcuma, que também é conhecida como açafrão da terra, tem ativos como flavonóide e curcumina que atuam como potentes antioxidantes, antiinflamatórios e quimioprotetores, que auxiliam na proteção contra o câncer. Ela pode ser usada em doces, combina bem com o chocolate e salgados como peixes, carnes, aves, legumes e molhos. Já a canela possui óleos essenciais que atuam contra os radicais livres. O gengibre é uma raiz com diversos benefícios digestivos e também ajuda a combater enjoos e radicais livres e ainda acelera o metabolismo. É muito utilizado na culinária asiática, também pode entrar em sucos e chás e ajudar a temperar aves, peixes e carne de porco.

-Quais são anti-inflamatórias?
M.C. A curcumina é a principal substância ativa da cúrcuma e possui efeitos antiinflamatórios potentes. A cebolinha-verde, que é uma das ervas mais usadas no Brasil, também possui ação anti-inflamatória. É muito fácil de ser encontrada e utilizada, além de ter baixo custo.

-Quais são boas para prevenir a formação de gases?
M.C. Como o alecrim melhora a produção de suco digestivo, consequentemente ele melhora a formação de gases. O óleo extraído do cravo-da-índia possui ação contra gases. Ele pode ser tomado como chá, utilizado em molhos e em bolos. Com sabor e aroma agradáveis, o funcho possui diversos óleos essenciais que ajudam no sistema digestivo, aliviando cólica e gases. Pode ser usado para temperar peixes, molhos e conservas. O anis-estrelado é uma especiaria importada da China e da Europa, com aroma e sabor bem característicos. Tem como ação o alívio da produção excessiva de gases e auxilia na digestão. Pode ser usado em molhos, carnes, peixes, aves e bolos.

-Quais você indica para auxiliar no controle da glicemia?
M.C. Alguns estudos mostram que a canela pode ter um efeito positivo no controle do açúcar no sangue. Para garantir esse efeito, é necessário um consumo regular e com doses adequadas a cada pessoa.

-Alguma delas tem efeito diurético?
M.C. Além de ser rica em vitaminas e minerais, a salsa possui ação diurética, e pode ajudar a diminuir a retenção de líquidos. É também é uma das ervas preferidas dos brasileiros. Outro queridinho nosso, o manjericão possui ação diurética, além de ajudar a combater problemas estomacais.

– E as que são ingeridas em forma de chá?
M.C. É interessante citar o efeito calmante de ervas como melissa, camomila e passiflora. Outras são estimulantes e podem ajudar a acelerar a queima de gordura (quando combinadas a uma dieta saudável) como gengibre, canela e menta.  É bom lembrar que todas as ervas e especiarias possuem mais de uma função e podem ser indicadas para os mais variados casos. Citei alguns exemplos e sugestões para estimular a utilização delas. Caso não sejam utilizadas na forma culinária, é muito importante o acompanhamento com profissionais capacitados a prescreverem os princípios ativos em dosagens adequadas para cada caso.

-Se as ervas ou especiarias forem compradas secas elas mantém as propriedades benéficas?
M.C. Pode ocorrer uma variação na concentração dos princípios ativos, mas ainda encontraremos seus benefícios. O mais importante é evitar a utilização de temperos industrializados. Uma dica para quem não tem o hábito de usar ervas nas preparações é o sal verde: Basta bater no liquidificador:
– 1 xícara de sal marinho,
– 1 xícara de ervas desidratadas (sugiro colocar pelo menos 3 ervas de sua preferência: pode ser salsa, orégano, manjericão, alecrim…)
Guardar em um recipiente fechado e usar essa preparação para temperar no lugar do sal puro. Essa receita pode ser feita também com ervas frescas, mas é necessário guardar na geladeira. É uma ótima forma de introduzir as ervas no seu dia a dia, aproveitando os seus benefícios e diminuindo a quantidade de sal.