Quarta-feira de cinzas é o dia nacional da ressaca, depois de muita ingestão de álcool, pouca comida, calor, falta de sono e excesso de atividade física, o corpo dá diversos sinais de esgotamento. Repor os nutrientes perdidos durante a folia é primordial para recuperar as energias e voltar às atividades diárias. Mais uma vez, a alimentação será a base para essa recuperação.

 

Fraqueza, enjôo, dor de cabeça, tremor, câimbras, os sintomas da ressaca estão ligados à desidratação ocorrida durante o carnaval. O álcool elimina nutrientes do organismo, seu consumo excessivo, aliado à baixa ingestão de comida de verdade e de água e ao aumento na demanda de vitaminas e minerais causada pela exigência física, provocam a deficiência de muitas delas, como o magnésio, por exemplo. Este mineral é exigido para ajudar no metabolismo do álcool e para ajudar na nossa recuperação após períodos de estresse físico, mental ou emocional. Ao mesmo tempo é pouco consumido nesta época porque suas principais fontes são os alimentos naturais, as folhas verdes, as leguminosas, as oleaginosas e os cereais. Se não bastasse, ainda é muito eliminado pelo álcool nos dias em que a bebida é consumida e também por mais alguns dias que se seguem, assim como o zinco e as vitaminas do complexo B.

 

O reforço na hidratação é a primeira medida que deve ser adotada pelos foliões da véspera, além da água, sucos de frutas naturais e chás naturais não adoçados são ótimas opções. A água de coco natural também será muito bem recebida pelos organismos cansados. De acordo com a nutricionista, Lívia Nogueira, do Oba Hortifruti, “composta predominantemente por água (95% de seu conteúdo), vitaminas, sais minerais (como magnésio e potássio) e antioxidantes, a bebida promove benefícios que vão da hidratação, à diminuição do estresse até a prevenção de doenças como o câncer. Beber cerca de 500ml a 1000ml horas depois ou no dia seguinte à  bebedeira promoverá a reposição dos líquidos e eletrólitos perdidos, amenizando os desconfortos. A quantidade exata dependerá de cada organismo e do tanto de álcool consumido”.

 

O suco verde costuma ser bastante lembrado quando o assunto é  ‘combater a ressaca’, e não é por acaso. A couve, seu principal ingrediente, é rica em magnésio e costuma ser batida com frutas, ricas em outras vitaminas e minerais, também necessários para a recuperação do organismo. Esta verdura escura, de preferência a orgânica, tem ainda diversas substâncias benéficas, que são mais liberadas quando as folhas são batidas, por isso a ideia de transformá-la em suco. A verdura ainda tem ação antiinflamatória, aumenta a capacidade do fígado de eliminar toxinas e ajuda na cicatrização da mucosa gastrointestinal, que fica muito abalada em dias de consumo excessivo de álcool, jejum prolongado e comidas gordurosas. Mas é bom lembrar que o suco deve ser tomado sem açúcar, uma boa opção para quem quer adoçá-lo é utilizar água de coco no lugar da água, ou bater a água com frutas naturalmente doces, como a manga ou a maçã, por exemplo.

 

Voltar ao trabalho e retomar as funções cerebrais para entrar novamente na vida produtiva pode ser um desafio nos dias que se sucedem à festa. A nutricionista Silvia Kalil, especializada em alimentos para o cérebro e consultora do Método SUPERA, elenca alguns alimentos que poderão te ajudar a vencer este desafio: açaí e frutas vermelhas, como amoras e framboesas, possuem uma boa quantidade de antioxidantes e anti-inflamatórios, que ajudam nas funções cerebrais; brócolis e folhas verdes contêm grande quantidade de vitamina K e antioxidantes, que ajudam a fortalecer a capacidade cognitiva. O espinafre ainda é rico em nitratos, compostos que ajudam na circulação sanguínea, e consequentemente na oxigenação cerebral; a beterraba também é rica em vitaminas A, C, E, potássio, cálcio e nitratos. Peixes e oleaginosas, como nozes e castanhas, são uma grande fonte de Ômega 3 e antioxidantes; além de vitamina E, que ajuda a melhorar nossa capacidade cognitiva, já o Ômega 3 atua na manutenção da memória e aumenta a capacidade de concentração.