amaranto1

No Dia Mundial da Alimentação quero homenagear um alimento muito nutritivo e cheio de qualidades, que são pouco conhecidas por aqui, o amaranto. O grão é cultivado em países da América Central e da América do Norte, principalmente no México, onde é bem popular. No Brasil não é comercializado em larga escala porque a demanda ainda é baixa, apesar de crescente. Por isso é um pouco mais caro do que outros cereais, como a aveia, por exemplo.

Ele é considerado um produto completo porque, dependendo da maneira como é utilizado, pode substituir as proteínas ou os carboidratos da refeição. Pode também complementar um carboidrato refinado, acrescentando fibras e vitaminas a ele, abaixando o seu índice glicêmico e aumentando a sua saciedade. O que facilita o emagrecimento e os riscos de desenvolvimento de doenças como a diabetes. O seu sabor neutro faz com que ele se adapte bem a qualquer receita, doce ou salgada, sólida ou líquida. Em casa, ele entra na massa do pão e dos bolos, na vitamina de inhame e até na tapioca que o meu filho leva de lanche pra escola. Nas massas basta meia xícara do grão em flocos para que ele cumpra o seu papel. Na vitamina ou na tapioca utilizo ainda menos, duas ou três colheres de sopa e pronto.

Para aqueles que gostam de tomar suplementos proteicos antes ou após a atividade física, o amaranto é uma excelente opção. Ele tem um perfil de aminoácidos completo, e mesmo assim é um alimento de fácil digestão, leve e que mantém a energia durante o treino. Se você não utiliza suplementos para atividade física também pode se beneficiar com o perfil de carboidrato que tem o amaranto. Como promove uma energia de longo prazo, ele também mantém o sistema nervoso central com energia por mais tempo, isso pode melhorar a ação dos neurotransmissores e nos deixa mais ‘equilibrados’, menos ansiosos, por exemplo.

Se você precisa regular seus níveis de colesterol e se quer preservar a saúde do seu coração, amaranto de novo!  Ele possui fibras e fitoesteróis que já foram comprovadamente relacionados ao controle do colesterol. Também contém potássio, que funciona como um vasodilatador, reduzindo a pressão arterial e, consequentemente, os riscos de aparecimento de problemas cardíacos ou coronários.

Além de ter duas vezes mais cálcio que o leite de vaca, o amaranto também tem uma proporção de duas unidades de magnésio para uma de cálcio. Esta relação é essencial para que o cálcio seja absorvido e utilizado corretamente. O leite por sua vez, não tem a quantidade suficiente deste mineral para ajudar na sua utilização. O grão também possui zinco, fósforo, altas taxas de vitamina C e ferro, -outra dupla que deve ser consumida junta – importante para o nosso sistema imunológico, de Vitamina A, que ajuda a preservar a nossa visão e de lisina, que fortalece os nossos cabelos e também auxilia o nosso sistema imunológico, ela ajuda na prevenção de herpes, por exemplo.

Se não bastasse o amaranto, na forma de flocos, serve como alimento para as boas bactérias do nosso intestino, portanto, auxilia no seu bom funcionamento. (Ainda farei um post só sobre este órgão tão importante).

Quer experimentar? O amaranto é vendido em forma de grãos, flocos ou farinha. Eu prefiro os flocos. Pra quem mora em São Paulo, vale uma ida até o centro da cidade, para uma região chamada de Zona Cerealista, fica próxima ao Mercado Municipal. Lá são vendidos diversos tipos de farinhas e cereais a granel e o preço costuma ser melhor do que o de lojas de produtos naturais ou supermercados. Muitas lojas desta região fazem vendas e entregas pela internet, até para outras cidades.