Este ano completo 20 anos de carreira e vejo que eles voaram…

Tinha 15 para 16 anos quando me mudei para São Paulo, e confesso, não era um sonho essa carreira. Só percebi que a profissão precisaria ser levada a sério 1 ano e meio depois, quando terminei o ensino médio e precisei decidir entre a faculdade e a carreira.

4eb095a6244b44031bbd7f26cc2945fa

Desfile Balmain 2015

2000

Capa Harper’s Bazaar – 2000

Verão-2001

Campanha Ellus – 2001

Durante os anos de escola (período noturno) em SP, viajava para o Japão duas vezes ao ano para fazer o único (e ótimo) trabalho que me “bookava” sempre – a turnê de desfiles da Chanel. E, durante os outros meses, trabalhava muito pouco aqui no Brasil, poucas fotos e campanhas, mas sempre fiz quase todos os desfiles. Acho que participei de todas as edições da fashion week ????????????????!!!

Já em NY,  escutei frases nada “leves” para uma adolescente de 17, 18 anos. Mas logo aprendi a guardar apenas o que me fazia bem, ou eu era dentuça demais para fazer trabalhos bons, ou não era bonita o suficiente para fazer o comercial, bem complicado de engolir!

055d578ca506449057a20be31ca383a5

ribr

Campanha Gucci – 2000

Repensei a vida e decidi parar e isso é extremamente importante, saber que você tem para onde voltar, e não a família dependendo do seu trabalho. Sempre soube que se não desse certo na carreira poderia voltar para casa e retomar os estudos . Mas por sorte, e digo sorte mesmo, o Zeca (que trabalhou anos comigo e nem era mais da minha agência) me pediu para tentar mais uma semana, marcou um apontamento em uma outra agência, que gostou de mim e tiraram todas as fotos do meu book , fizeram algumas “polas” (antigamente fazíamos polaroids, não digitais, rs) e as coisas começaram a acontecer. Sorte mesmo!!!

caroline-ribeiro-by-steven-meisel-for-vogue-italia-december-1999-cover

Vogue Italia – 2000

tumblr_nr4n00An5m1s7xduro1_1280

Campanha Zoomp – 2001

Fiz uma foto para a revista W e com ela e algumas polas fui conhecer os diretores de casting, entre eles, Kevin Krayer, que me confirmou para 14 desfiles em NY e me levou a Milão para conhecer Tom Ford. Foi aí que peguei o desfile da Gucci com exclusividade. Após os shows, Steven Meisel me confirmou para a capa da Vogue Italia e aí veio a primeira campanha da Gucci e muitos outros grandes trabalhos. Minha carreira é um misto de muito esforço, acúmulos de experiências, gostar muito do que eu faço e sorte, muita sorte.

caroline_ribeiro-june2000

Vogue Brasil – 2001

Hoje, o mercado mudou muito, está tudo muito rápido, até por conta das redes sociais. É preciso se adaptar, e acho que mesmo as agências e clientes ainda estão tentando entender como as coisas vão se encaixar. Mas uma coisa é certa e serve como dica para as meninas: ache uma agência que realmente aposte em você; se doe, pois é um trabalho muito sério; aprenda, mas se for pela fama e dinheiro, é melhor parar. Tem que gostar mesmo e o que vier é lucro e muito bem vindo! Ahhh, e o mais importante para não se perder no caminho é ter a família para te trazer de volta à realidade quando necessário, (e são muitas vezes, viu?)

Marie-Claire-Brazil-25th-Anniversary-by-Nicole-Heiniger-12

Marie Claire – 2016

www.blogdacarolribeiro.blogspot.com.br

@caropita

Fotos: reproduução